Enquanto isso, no Twitter…

  • Ok… vamos dar um reboot nisso aqui. Tentar de novo, começar de novo. Twitter, eu me rendo! Oi pessoal! #
  • Testando o Twittermail… há algo que me diz que será bastante útil! #
  • Gosto muito de desenhar e arrisco algumas caricaturas e ilustrações. Mas fazer isso com o mouse, como acabo de comprovar, é barra!! #
  • Ouvindo Lighthouse Family (antes de dormir 🙂 #
  • Depois de 2 semanas de tempo brusco o sol finalmente abriu!! Hora de levar o
    filhão na piscina!! Até mais ver… #
  • 37 graus de temperatura o dia todo, regados a piscina e água de coco… isso sim é que foi um sábado bacana… #

Ok, Twitter. Você venceu.

É através da minha conta no Jaiku que qualquer pessoa pode acompanhar praticamente toda a minha vida on-line, porquê lá estão registrados os últimos artigos deste blog, minhas fotos, meu favoritos no del.icio.us e muito mais. No entanto, eu me rendo! Tem muita gente bacana no Twitter, e é por isso que decidi.

Precisava dar vida nova ao meu perfil por lá, que andava meio  s moscas. Já adicionei alguns amigos blogueiros e conhecidos. Se eu esqueci de alguém, por favor, me avisem… ok?

Nome bom pra cachorro

Sempre que vamos a um determinado shopping aqui da cidade, paramos em uma loja de animais pra ver os filhotinhos de cachorro que ficam em exposição,   espera de que alguém os compre. O motivo destas paradas? O filhão, lógico, que sempre que dá umas voltas por lá, não sossega enquanto não dá uma bela olhada nos bichinhos…

Hoje então, ele pirou! Isso porquê a dona da loja tirou da vitrine um filhote de maltês e deixou que ele fizesse carinho. Perguntei se ele tinha gostado e a resposta — Gostou, gostou — foi mais do que imediata, o que me fez pensar em, assim que puder, comprar um cachorrinho pra ele.

Eis que a patroa sugere que, se comprarmos um cãozinho — na verdade, pela preferência dela, uma cachorrinha —, poderíamos chamá-la de Mel. Respondi imediatamente que só de amigos meus que deram esse nome aos seus bichinhos, conheço meia dúzia, e que preferia um nome, digamos… mais original. Algo do tipo Monza — como batizou seu cachorro um tio meu — ou Caps Lock — nome que eu gostaria particularmente de dar a um cachorrinho (hehehe). Alguém tem alguma sugestão?

Mal posso esperar pelo Fav.or.it

Encontrei hoje uma ótima review no site TechCrunch, especializado em startups Web 2.0. Lá eles mencionavam um novo serviço batizado de Fav.or.it, que deve revolucionar toda a grande rede assim que sair da fase private beta.

A justificativa para uma afirmação tão impactante dos jornalistas especializados é a proposta do serviço, que veio, segundo li, para finalmente combinar as ações de ler os vários posts de vários de blogs com a possibilidade de fazer comentários diretamente em uma única interface.

Preciso dizer que só duas palavras me ocorrem agora. É GENIAL!! Ainda mais porquê, por incrível que pareça, pareceu uma transmissão de pensamento: Ainda ontem me perguntei quando é que afinal seria possível utilizar um serviço como o Google Reader e ser capaz de fazer meus comentários ali mesmo, para continuar lendo post atrás de post, e esta parece ser — finalmente — a resposta que eu estava procurando!

Ainda segundo o TechCrunch, que já teve acesso ao serviço, o Fav.or.it será um leitor de feeds RSS que poderão ser combinadas de diversas formas, e a proposta de se agregar comentários aos blogs originais diretamente do site, sem a necessidade de preencher dados como nome, URL e e-mail lembra sites como o Twitter.

Recomendo a leitura imediata do artigo, pois as inovações são realmente consideráveis. Enquanto a coisa não é oficialmente lançada, eu já corri no novo site e me inscrevi na lista de beta testers. Será que rola?

Provedor pra quê?

Via meu amigo Kadu, chega a ratificação de algo que eu ontem comentava com a minha mãe:

COMUNICADO IMPORTANTE

Com o intuito de reforçar comunicado anteriormente encaminhado a você cliente Speedy, a Telefônica informa que, de acordo com decisão judicial não definitiva, a partir de quarta-feira, 26 de Setembro de 2007 passou a oferecer conexão   Internet através do login ââ?¬Ë?internet@speedy.com.br’ e da senha ââ?¬Ë?internet’.

O serviço de conectividade prestado por meio do login acima indicado não inclui os serviços que hoje você já usufrui e que somente são disponibilizados através dos provedores, tais como: e-mail, conteúdos de acesso restrito, entre outros.

A Telefônica esclarece que o serviço de conectividade, realizado por meio do login acima, será cobrado no valor de R$8,70 em prazo a ser definido.

Por fim, a decisão judicial não cancela os serviços de provedores de internet já contratados por você, que poderá optar por continuar fazendo o login através do provedor que já contratou e manter os serviços que possui atualmente. Neste caso, você não precisa fazer nada. Caso queira entender melhor estes serviços e/ou alterá-los entre em contato com o seu provedor.

Mais informações podem ser obtidas em nossa Central de Relacionamento.

Bom… Devo dizer que a primeira coisa que passa pela minha cabeça é que já era hora de alguém pensar em acabar com a obrigatoriedade de se contratar um provedor de acesso para utilizar a internet, mesmo porquê isso nunca foi necessário. Agora, assim como o Kadu, acho que não é hora (ainda) de sair por aí mandando provedores  s favas.

O trecho do comunicado da Telefônica que se refere   uma decisão judicial não definitiva dá muito pano pra manga, e esta é a justificativa ideal para não nos precipitarmos. É bom que aguardemos algum tempo até que este termo seja trocado por algo realmente definitivo, o que, acredito eu, certamente acabará acontecendo.

De qualquer forma, enquanto esperamos, vale a pena refletir sobre outro ponto da mensagem da operadora: a decisão judicial não cancela os serviços de provedores de internet já contratados por você. Pergunto: Será que realmente compensa pagar mais para usufruir de alguns diferenciais?

Continuar lendo

Mixx x Digg: Quem ganha?

Recebi recentemente um convite para testar a versão beta do Mixx, um serviço cuja principal finalidade é promover a agregação social de notícias e conteúdo multimídia, como fotos e vídeos.

A minha intenção ao testar o novo site foi muito clara: Comparado a um gigante veterano que se dispõe a realizar basicamente as mesmas coisas, e que conta com milhares e milhares de usuários — o Digg —, quais seriam os resultados? Com este texto, tento responder esta questão e chegar a alguma conclusão.

Personalização

Eu devo confessar que uma coisa que achei interessante no Mixx foi a capacidade que o usuário possui de personalizar a sua navegação. O site oferece uma seção denominada Your Mix, que começa a ser populada logo que a conta de um usuário é criada, pois este pode selecionar os assuntos que mais lhe interessam. Uma vez feitas as escolhas, cada nova visita ao site exibirá as 5 notícias mais populares de cada uma delas, dando ao usuário um ponto de partida em sua navegação.

Há também a possibilidade de visualizar notícias locais. No entanto, esta característica, que me lembrou os acessos que eu de vez em quando faço ao site Topix — porquê lá, baseado no endereço IP da máquina, são exibidas notícias do país de origem do internauta — infelizmente (ainda?) não está disponível para os residentes de fora dos EUA. É uma pena, pois este aspecto, associado ao que mencionei no parágrafo acima, me faz colocar o Mixx em vantagem inicial, já que o Digg, embora permita personalizar tópicos, não possua personalização local, que é feita através da informação do CEP.

Vencedor: Mixx

Rede Social

Eu devo confessar que uma coisa que eu vejo cada vez mais presente em qualquer tipo de site moderno é o comportamento orkutesco. Todos querem ser redes sociais, o que acredito ser uma importante tendência, pois as pessoas com isso se aproximam mais umas das outras. Os dois sites comparados permitem esta abordagem, ao criarem recursos para inclusão de amigos em uma rede particular de contatos.

O Digg recentemente deu um tapa nos seus Digg Profiles, com a finalidade de tornar mais simples compartilhar conteúdo que se julga interessante com os amigos. Na minha opinião, um dos recursos introduzidos por ele, o chamado Shout (grito, em inglês) me lembra muito o sistema que o del.icio.us usa para compartilhamento de links, no formato for:username.

A diferença está no fato de que usar o shout significa criar a possibilidade de iniciar-se um processo de envio de mensagens   medida que estas vão para um ou mais usuários, através de cliques diretamente em cada notícia ou conteúdo multimídia, e podem ser respondidas quantas vezes se quiser. Claro que, para aqueles que são menos extrovertidos, pode-se configurar opções de privacidade.

mixxmenu.jpgNeste aspecto, o Mixx me pareceu muito mais simplório: O perfil do usuário apresenta apenas as informações básicas, e não há nada parecido com os recursos do Digg ou do del.icio.us quando o assunto é compartilhar. No entanto, há pelo menos uma coisa interessante no serviço: A opção follow user, que permite a qualquer usuário assinar os links submetidos por outro. Neste aspecto, o Mixx lembra os serviços de microblogging como o Twitter ou o Jaiku. O Digg peca um pouco neste aspecto porquê só permite acompanhar a atividade de quem está diretamente ligado   sua rede de contatos.

Em termos de perfil, o Digg ainda permite, além do registro dos shouts, que já mencionei antes, a inclusão da lista de links favoritos para consulta — novamente ao estilo del.icio.us, mas com links encontrados apenas no próprio site — e de até 25 imagens ou fotos com até 5mb de tamanho, para compartilhar com a rede pessoal.

O Mixx ainda contra-ataca permitindo a criação de grupos, que têm a finalidade de compartilhar histórias, fotos e vídeos com os amigos, família ou quem mais se quiser: Até mesmo pessoas que ainda não tem cadastro no site. Situação difícil de desempatar.

Vencedor: Empate!

Recursos e Ferramentas

O novíssimo Mixx também dá seus toques de del.icio.us, ao permitir que o usuário acrescente tags  s notícias. Como já deve ser de conhecimento amplo, tags são palavras-chave que podemos usar para qualificar melhor um link, e para tornar mais fácil encontrá-lo em meio a outros, ainda mais quando o tempo passa. Ao acessar os detalhes de uma notícia, por exemplo, basta clicar em add tags para inseri-las. Assim, outros usuários podem visualizar as descrições que você deu  s histórias, e vice-versa. O ponto negativo está no fato de que não se consegue navegar nas próprias tags, para encontrar assuntos posteriormente.

O Digg não aposta nas tags, e sim, em tópicos, que lembram as categorias de um blog. Acho este um ponto falho, mas vejo-o sendo superado por conta das demais ferramentas e recursos que se encontram no site: Os pontos de karma, por exemplo, estão presentes nos dois sites comparados, e, no caso do mais antigo, dão nome   coisa, pois histórias boas sobem no ranking, enquanto histórias ruins caem, ou são enterradas pela comunidade.

Mas o Digg também possui o recurso shout, como já disse, e, além disso, há a questão de compartilhamento por e-mail e a capacidade do usuário que possui um blog nas plataformas Blogger, Typepad, Live Journal, Moveable Type ou WordPress criar posts diretamente do site a partir de qualquer conteúdo encontrado. Isso sem mencionar o fato de que há inúmeros plugins disponíveis para o WP, por exemplo. Enquanto o tempo não é mais generoso com o novo concorrente, o Mixx sai perdendo este round.

Vencedor: Digg

Sistema de Comentários

O Mixx possui um sistema de comentários praticamente idêntico ao de qualquer blog, em qualquer plataforma mais comum: Eles vão sendo adicionados aos artigos e conteúdo, e nesta ordem, vão sendo empilhados. Em resumo, trata-se de uma característica também bastante simplória, a meu ver, para um site que talvez deseje encontrar seu lugar entre os outros, num mundo com tanta competição.

Já o Digg é um competidor mais preparado: Se você analisar com calma o site, verá que ele conta com o recurso threaded comments, ou seja, os comentários podem ser respondidos individualmente, criando ramificações similares a de sites com orientação social mais antigos, como o Slashdot. Também na linha do Slashdot, é possível votar nos comentários, classificá-los como abusivos e impedir a visualização daqueles com as menores notas ou com conteúdo ofensivo. Tudo isso, a meu ver, é essencial para um site que se propõe a ter uma certa magnitude.

Vencedor: Digg

Minhas conclusões

Devo tirar o chapéu para o Mixx. Com uma internet onde cada dia mais pipocam sites com o mesmo tipo de orientação a que ele se propõe, é possível perceber que há certos recursos inovadores na ferramenta, e que, com trabalho sério e tempo, ele poderá conquistar seu espaço merecido.

Como eu já disse no início deste texto, a personalização pesa a favor dos desenvolvedores da nova ferramenta. As características de tag, por exemplo, permitem inclusive associar uma determinada localidade ao conteúdo, ou seja, se uma notícia é relacionada ao estado de São Paulo, pode-se escrever São Paulo nela, e assim contribuir para a localização mais simples daquilo que realmente quer ser visto pelo usuário.

mixx.jpg

Entretanto, confesso que ainda não senti um nível de empolgação tamanho que me fizesse repensar o que acredito em relação a seu concorrente mais antigo, o Digg. Desta maneira, fico com ele quando o assunto entra neste tipo de mérito. Pode ser que, com o lançamento oficial do Mixx, alguns novos recursos faltantes sejam adicionados, e que a minha opinião mude. Mas por agora, só o tempo dirá. Espero que vocês consigam, também, se decidir, com esta rápida revisão…

Eita cachorrinho safado!

humpy_doggy.gifTenho que admitir que as pérolas que se encontram na Internet são as mais diversas possíveis.

Digo isso porquê lendo uma série de artigos de tecnologia na semana passada enquanto procurava algo que me interessasse publicar neste humilde blog, eis que me deparei com um anúncio na lateral de uma das páginas que visitava — exatamente o que está ilustrando o início deste artigo.

Notaram o quanto ele é… er… bem, chamativo?

Pois bem. Mereceu um clique meu, somente para descobrir se tratar de um dispositivo USB que… bem, vocês já sabem. O interessante é que, ao preço de US$ 17,95 cada — e oferta temporária de US$ 45 pelo lote de 3 modelos de cachorrinhos diferentes — não se trata de memória flash. Trocando em miúdos, não é pen drive. Trata-se apenas de um dispositivo cuja finalidade é… essa.

É claro que, caso você esteja pensando em presentear alguém com este interessante gadget, poderá antes assistir a uma demonstração:

[coolplayer width=”480″ height=”380″ autoplay=”0″ loop=”0″ charset=”utf-8″ download=”0″ mediatype=””] Humping Dog
[/coolplayer]

Por isso, da próxima vez em que você estiver pensando em presentear um amigo no aniversário, amigo secreto ou qualquer outra ocasião, pense bem. Os simpáticos cachorrinhos — nas versões Beagle, Dálmata ou Labrador — podem ser a alma da festa…!

humpingdogs.jpg

Traduções via hardware

fuji_translator.jpgNão é nenhuma novidade que, quando você precisa traduzir um documento, além dos já manjados dicionários velhos de guerra, pode tentar utilizar um serviço de tradução on-line, como o Google Translate. A despeito de serviços como este serem acessíveis de qualquer local ou plataforma computacional, seu problema principal é outro velho conhecido de muita gente: As traduções são, por vezes, absolutamente macarrônicas.

Por conta deste tipo de limitação tecnológica atual, os serviços profissionais de professores de idiomas ou tradutores — que dependem exclusivamente de seus cérebros e raciocínios para elaborar as traduções — são extremamente valorizados quando se precisa de um serviço com qualidade. Mas, se a mais nova copiadora da Fuji Xerox — atualmente em demonstração apenas em território japonês — se mostrar viável, estes profissionais podem estar prestes a precisar enfrentar a fila de uma agência de empregos.

O produto pode digitalizar uma página de texto impressa em japonês e, com o simples pressionamento de uma tecla, imprimir uma tradução fiel do conteúdo em chinês, inglês ou coreano, com o detalhe importante de manter o layout original, se o conteúdo tiver sido obtido de jornais ou revistas. As traduções também funcionam no sentido inverso, se necessário.

A mágica do processo ocorre quando se conecta a copiadora — que ainda não foi batizada oficialmente — a um servidor de tradução, onde são combinados diversos algoritmos que podem diferenciar texto, desenhos, figuras e linhas para a manutenção do layout.

Embora o produto me impressione, fico imaginando seu custo, que, com certeza, será bem alto. Para profissionais ou agências que trabalham diretamente com isso no dia-a-dia, e fazem das traduções seu ganha pão, provavelmente o investimento possa compensar. Mas serão os algoritmos de tradução — também baseados em software — ao menos mais inteligentes que os que estão disponíveis hoje? Só o tempo — e o lançamento oficial da copiadora, sem data marcada — dirão.

Me divertindo   beça na pracinha!

Uma das coisas que eu mais gosto de fazer é ir na pracinha. Digo isso porquê a pracinha é um lugar super bacana, onde tem muitas coisas pra eu me divertir. Lá tem areia pra eu brincar com os meus brinquedinhos, lá tem balanço pra eu poder me balançar e gangorra pra mamãe e o papai me fazerem subir e descer!

Mas lá na pracinha tem também o meu brinquedo favorito de todos os tempos, o escorregador. Quando visito a pracinha, é lá que eu quero ficar mais tempo. De tanto praticar, aliás, já me tornei uma ferinha quando o assunto é subir sozinho os degraus e, sempre que eu chego lá em cima, vou logo tratando de descer, que é pra eu poder escorregar de novo, e de novo, e de novo! Eu nunca me canso!

Xande na Pracinha

Se vocês estão pensando que a única coisa que eu faço na pracinha é brincar no parquinho, estão muito enganados! Hoje mesmo foi um dia em que eu levei o meu velotrol, e aproveitei para pedalar bastante em todos os lugares possíveis. Mamãe e papai sabem que eu tenho muita energia pra gastar, então imaginem só como foi pra eles ficarem andando atrás de mim enquanto eu pedalava!

O Ã?Æ?�s do Velotrol

É claro que eu não podia terminar de falar sobre a pracinha sem mencionar quem eu encontro cada vez que eu vou lá. A pracinha é um lugar muito divertido e, assim sendo, muitas crianças como eu também vão lá pra brincar. Cada dia é uma diferente, e isso é bom porquê eu vou conhecenho um monte de novos amiguinhos o tempo todo!

Nossa..!! Só de contar isso tudo pra vocês eu já fico com vontade de ir lá de novo!! Aliás, vou terminando por aqui essa minha aventura de hoje, que é pra eu poder perguntar pro papai se já está na hora de irmos na pracinha de novo, que eu já estou é com muita, muita saudade de lá!!

Beijo do Xandinho! 🙂

Brasil é o 40ú melhor país para se viver

Um ranking elaborado pela revista norte-americana Reader’s Digest coloca o Brasil como 40ú melhor país para se viver no mundo. Finlândia, Islândia e Noruega são, respectivamente, os três melhores países para morar, de acordo com a revista.

De acordo com a notícia, a lista foi montada com base nos indicadores de qualidade de vida e ambientais, e fatores sociais e de renda. As melhores nações, neste caso, são aquelas que apresentam condições ambientais que dêem a chance de seus habitantes prosperarem.

Acho a posição justa, mas o que realmente me surpreende é termos ficado atrás, por exemplo, de países como Cuba, que é um tanto quanto barra pesada por conta dos regimes políticos, e também igualmente afetado por diversos de nossos problemas sociais…

VocêTV tentando cobrar multa indevida

Há mais ou menos uns 20 dias atrás liguei para o 0800 da VocêTV — que, apesar de não estar mais sendo comercializada por conta de sua substituição pelo serviço próprio da Telefônica, o Telefônica TV Digital, ainda funciona para o atendimento de seu portifólio de clientes — com a finalidade de cancelar o serviço. Há uma série de motivadores que me levaram a isso, embora eu não vá detalhá-los no momento. O que importa é que o atendente que falou comigo me disse que bastaria apenas esperar a ligação deles próprios para agendar uma visita, quando o técnico retiraria tudo o que fosse necessário.

Domingo passado recebemos a tal ligação — um tanto quanto tardia, na minha humilde opinião. O técnico viria   minha casa para levar decodificador e controle (a antena da VocêTV ficaria onde foi montada, no telhado) no dia seguinte, segunda-feira. Logo pela manhã ele veio e realmente levou tudo, conforme me disse a minha esposa.

Acontece que, segunda-feira   tarde, logo depois de eu ter chegado do trabalho, recebi o seguinte telegrama da DTHI, prestadora do serviço até então comercializado pela Telefônica:

telegramavocetv.jpg

Reparem na multa, de R$400,00. Trata-se do cúmulo do aproveitamento! Se, em primeiro lugar, a orientação deles é de esperar por uma ligação, esta cobrança deles não faz o menor sentido. Como tenho o comprovante assinado de que o equipamento foi retirado nesta segunda, qualquer tentativa de cobrança da parte deles será logo rebatida. Mas não posso deixar de afirmar o quanto isso me cheira a querer se aproveitar dos inocentes consumidores… Fala sério.

Escolinha? Por enquanto não!!

Vocês se lembram de que uns dias atrás eu tinha ido conhecer a escolinha? Pois bem naquele eu gostei bastante de brincar com os amiguinhos e com os brinquedos que eu encontrei lá, e isso fez com que a mamãe me levasse lá de volta pra tentar me acostumar com o ambiente um pouco mais de tempo.

fotos 01_09_07 063  fotos 01_09_07 051

No primeiro e no segundo dias tudo correu bem porque encontrei bastante coisa para eu fazer e a mamãe estava sempre do meu lado dando o maior apoio. Não preciso dizer que eu estava bastante animado com a escolinha, não é mesmo?

fotos 01_09_07 048  fotos 01_09_07 031

Foi no terceiro dia que a coisa complicou. A titia Ana, a professora, sugeriu que a mamãe tentasse se afastar um pouco para ver se eu me aproximava mais dela. Não preciso dizer que, grudado na mamãe como eu sou, não gostei nem um pouquinho dessa história! Bastou ela se afastar mais ou menos um metro que eu corri pra perto dela e não quis mais saber do parquinho, dos brinquedos, nem de mais nada! Só aceitei voltar a brincar quando eu tive certeza que ela não ia sair mais de perto de mim…

fotos 01_09_07 024  fotos 01_09_07 019

Pobre mamãe! Acho que a idéia dela era tentar por uma semana ver como é que eu ia me sair com essa história de escolinha. Acontece que a partir desse dia não teve quem me convencesse a voltar lá. Procurem ver o meu lado, né gente? Eu acho que ainda não estou 100% preparado pra essa situação não… Mas quem sabe daqui um tempo, não é mesmo?

fotos 01_09_07 049

O Yahoo! Fotos será descontinuado

Eis uma mensagem interessante que eu recebi hoje pela manhã, da qual destaco o seguinte parágrafo:

O Yahoo! Fotos será descontinuado oficialmente em 18 de outubro de 2007,  s 4 horas da manhã GMT/UTC. Até esta data, nós oferecemos a oportunidade de migrar suas fotos para o Flickr ou baixá-las na resolução original para o seu computador. Tudo o que você precisa fazer é decidir antes que o serviço seja descontinuado, pois depois desta data todas as fotos remanescentes no Yahoo! Fotos serão apagadas e não estarão mais acessíveis.

Já passava da hora. Um serviço de compartilhamento de fotos com mais recursos do que o originalmente mantido pela empresa — no qual, aliás, eu possuo uma conta —, e que recentemente ganhou versão em português dada sua popularidade também pelas bandas da Terra Brasilis merece o foco das atenções.

Longa vida ao Flickr!

PS: Apenas a título de curiosidade, 18 de outubro é, também, a data em que este que vos escreve comemora seu aniversário.

Pagando contas via SMS graças ao Google

É provável que você já tenha ao menos ouvido falar sobre o Google Checkout, um serviço de pagamentos via web similar ao já popular e conhecido PayPal, mas com atuação ainda muito limitada. Acredito que ainda levará um belo tempo até que ele se firme como opção ao rival, e conquiste uma fatia razoável da preferência dos internautas consumidores.

Tendo dito isto, preciso parabenizar o Google pelo movimento feito esta semana, ao publicar uma solicitação de patente de um sistema de pagamentos baseado no envio de mensagens de texto — SMS — a partir de aparelhos celulares chamado Text Message Payment. Digo isso porquê acredito que este é um passo na direção da revolução dos métodos de pagamento, através do uso de uma tecnologia muito simples, que inclusive já se tornou banal para muita gente. Desde uma máquina de refrigerante até as transações em lojas poderão ser pagas através do celular.

Mas não apenas o lado tecnológico da notícia é importante: O Google pode estar querendo fazer do novo sistema um trunfo para o provável lançamento de um telefone celular até o final deste ano, e isso demonstra, mais uma vez, o apurado tino comercial da empresa em ação.

Tecnicamente, o processo de pagamento deve ocorrer através da simples composição de uma mensagem de texto no celular do comprador, que incluirá informações que identificarão a transação e a quantia do pagamento. Tal mensagem poderá então ser ou não enviada para um sistema de processamento de pagamentos, que poderá debitar o valor de uma conta pré-determinada pelo cliente, ao mesmo tempo em que creditará a conta do vendedor, notificando ambos. Realmente excelente, não acham?

Conhecendo a Escolinha!

xande2Hoje eu fiz uma coisa bem diferente do que estou acostumado normalmente. Fui conhecer a primeira escolinha onde meu papai estudou. Acreditem ou não mas ela ainda existe.

Chegando lá a minha primeira reação foi a de ficar apenas observando e conhecendo como funcionava tudo por lá. Mas aos poucos fui me soltando e logo corri para um parquinho que tem por lá. Brinquei em uma salinha que tem só brinquedos, como bichinhos, bonecos, fogão, sofazinho, etc.

Depois de muito brincar, uma titia (que é a que toma conta da sala) me chamou para ir até a sala junto com as outras crianças, enquanto a minha mamãe conversava com a coordenadora, em um outro lugar… Eu acho que a mamãe estava querendo tirar todas as suas dúvidas com relação a escolinha.

Enquanto eu estava na sala aproveitei para brincar bastante com uma massinha, que eu não conhecia… a tittia que estava do meu lado deixou ela parecendo uma minhoquinha e me deu uma faquinha sem corte para eu ficar cortando ela… Eu achei muito divertido…

Quando mamãe chegou e perguntou: “Xandinho, vamos para casa?” eu logo respondi: “Não”. E mamãe disse: “Vamos, nós precisamos ir pegar o vovô que está nos esperando”.

E como a titia logo em seguida me ofereceu a massinha e a faquinha para eu levar, aceitei na mesma hora… Mas sabendo que voltaria o mais breve possivel para conhecer melhor a escolinha…

Assim que eu cheguei em casa estava tão empolgado que não via a hora do papai chegar para contar as novidades… e não deu outra: assim que ele chegou, tratei logo de contar tudinho nos mínimos detalhes… E como não poderia deixar de faltar mamãe e vovó trataram logo de registrar esse momento da melhor forma possível… E vejam só:


xande1

Isso é que é supermercado!

pa_alface_nota_id48924.jpgEu admiro de coração as pessoas que têm paciência suficiente para se aventurar em supermercados. Alguns bons amigos meus, aliás, fazem destas visitas um verdadeiro passatempo, e se deleitam em poder cruzar os corredores das lojas atrás das últimas novidades do momento. Eu, ao contrário, procuro minimizar o período de tempo que passo fazendo compras, ainda mais em dias e horários que são por definição movimentados.

Mas pode ser que minha visão mude: Acabo de descobrir que o Grupo Pão de Açúcar deve inaugurar hoje, no Shopping Iguatemi de São Paulo uma loja em que até mesmo eu gostaria de fazer compras. Trata-se de uma loja em que diversos recursos de tecnologia de ponta estarão presentes, tudo isso não para tornar o supermercado sofisticado, mas sim um ambiente prazeroso para se fazer compras, de forma que os clientes sintam vontade de voltar em busca de inovações de última linha.

Na nova loja, com 940 m² de área de vendas, foram investidos cerca de R$ 4 milhões, em aquisição de soluções da Microsoft, IBM, Unisys, Bematech/Gemco, Megamídia, Toledo, Intermeq RR Etiquetas, Cisco, Itautec, Software Express, Vertigo, VituralGate e CA. Tudo isso para trazer confortos como cinco carrinhos de compra PSA (Personal Shopper Assistant). Este tipo de carrinho terá um navegador GPS, que ajuda o usuário a encontrar mais rapidamente os produtos que procura. As etiquetas de compra serão eletrônicas, e as compras poderão ser registradas nos próprios carrinhos, que informarão ao caixa os valores totais dos tickets.

Além dos carrinhos, uma série de quiosques multimídia deverão fornecer informações completas sobre os produtos da loja, sugestões de consumo e receitas que podem ser impressas na hora. Também serão usados telões de plasma de 42 polegadas com a finalidade de exibir ofertas, informações aos consumidores e filmes publicitários.

20082007d.jpgComo se a tecnologia empregada na loja já não fosse suficiente, serão empregadas etiquetas RFID, permitindo que o operador de caixa leia os itens   distância: ou seja, nem ao menos o trabalho de tirar os itens do carrinho o consumidor terá, e, se ainda assim desejar fazê-lo, será auxiliado pelas novas esteiras do caixa, capazes de reconhecer RFID e os códigos de barra dos itens, ainda que eles estejam em movimento.

Só uma palavra pode descrever a minha reação   tudo isso, depois de lido: Fantástico! Neste tipo de iniciativa do Pão de Açúcar, em que claramente se vê a possibilidade de trazer as últimas tecnologias para o dia-a-dia de muita gente que nem se dá conta disso, o único risco é deixar algumas pessoas beeeeem mal-acostumadas… mas é algo com o que se pode conviver, não é?

PS: Alguém aí lembrou do Supermercado 2.0?