Método do Tijolo para contratar funcionários

tijolosÉ duro ter que admitir que certos métodos, como o que está listado abaixo — e que recebi por e-mail de uma amiga — realmente têm total fundamentação e são muito eficientes.

Método do tijolo para contratação de funcionário
O método consiste em:

  1. Colocar todos os candidatos num galpão
  2. Disponibilizar 200 tijolos para cada um.
  3. Não dê orientação alguma sobre o que fazer.
  4. Tranque-os lá.

Após seis horas, volte e verifique o que fizeram.  Segue a análise dos resultados:

  1. Os que contaram os tijolos contratem-os como contadores.
  2. Os que contaram e em seguida recontaram os tijolos, são auditores.
  3. Os que espalharam os tijolos são engenheiros.
  4. Os que tiverem arrumado os tijolos de maneira muito estranha, difícil de entender, coloque-os no Planejamento, Projeto e Implantação do Controle de Produção.
  5. Os que estiverem jogando tijolos uns nos outros, coloque-os em Operações.
  6. Os que estiverem dormindo, coloque-os na Segurança.
  7. Aqueles que picaram os tijolos em pedacinhos e estiverem tentando montá-los novamente, devem ir direto   Tecnologia da Informação.
  8. Os que estiverem sentados sem fazer nada ou batendo papo-furado são dos Recursos Humanos.
  9. Os que disserem que fizeram de tudo para diminuir o estoque, mas a concorrência está desleal e será preciso pensar em maiores facilidades, são vendedores natos.
  10. Os que já tiverem saído são Gerentes.
  11. Os que estiverem olhando pela janela com o olhar perdido no infinito, são os responsáveis pelo Planejamento Estratégico.
  12. Os que estiverem conversando entre si com as mãos no bolso demonstrando que nem sequer tocaram nos tijolos e jamais fariam isso, cumprimente-os com muito respeito e coloque-os na Diretoria.
  13. Os que levantaram um muro e se esconderam atrás são do Departamento de Marketing.
  14. Os que afirmarem não estar vendo tijolo algum na sala, são advogados, encaminhem ao Departamento Jurídico.
  15. Os que reclamarem que os tijolos estão uma porcaria, sem identificação, sem padronização e com medidas erradas, coloque na Qualidade.
  16. Os que começarem a chamar os demais de companheiros, elimine-os imediatamente antes que criem um sindicato.

Atenciosamente,
Psicólogo Chefe

Pesadelo

Recebi este pequeno conto por e-mail. Só lembro de ter dado tanta risada assim na época em que vi aquele vídeo do Joseph Climber no Programa do Jô. Vejam se é ou não hilário:

Me levanto da cama, me olho no espelho e descubro que sou vesgo.

Procuro freneticamente nos bolsos, para ver minha foto na identidade, para ver se na foto sou realmente daquele jeito, acho um passaporte e descubro… que sou argentino!

— Não pode ser, meu Deus!!!

Sento-me inconsolável em uma cadeira. Mas não é possível! É uma cadeira de rodas, o que significa que, além de ser vesgo e argentino, sou também deficiente físico!

É impossível, digo para mim mesmo, que eu seja vesgo, argentino e deficiente físico…

Amoooooor! — grita uma voz atrás de mim. É o meu namorado… Cacete! Também sou viado!

Foi você que pegou a minha seringa? — Ã?â?? Deus! Vesgo, argentino, deficiente físico, viado, viciado e soropositivo!

Desesperado, começo a gritar, a chorar, a arrancar os cabelos e… nãooo!!!!! Sou careca!

Toca o telefone. É meu irmão, que diz:

Desde quando mamãe e papai morreram, você só faz se entupir de drogas, vagabundeando o dia inteiro! Procura um emprego, arranja algum trabalho! — Que merda, descubro que também sou desempregado!!

Tento explicar ao meu irmão que é difícil encontrar trabalho quando se é vesgo, argentino, deficiente físico, viado, viciado, soropositivo, careca e órfão, mas não consigo, porque… porque sou gago!

Transtornado, desligo o telefone com a única mão que tenho e com lágrimas nos olhos vou até a janela olhar a paisagem. Milhões de barracos ao meu redor…

Sinto uma punhalada no marca-passo: além de vesgo, argentino, deficiente físico, viado, viciado, soropositivo, careca, órfão, gago, maneta e cardíaco, sou também favelado

Começo a passar mal e sentir um calafrio. Dirijo-me ao guarda-roupa para pegar uma agasalho, e para minha surpresa, quando abro a gaveta encontro uma camisa do… Corinthians!

Aí já é sacanagem…entro em surto pois além de vesgo, argentino, deficiente físico, viado, viciado, soropositivo, careca, órfão, gago, maneta, cardíaco, sou também favelado… e CORINTHIANO… Puta que o pariu!!!!

Nesse momento, volta o meu namorado e diz:

— Amooor, vamos! Se não chegaremos atrasados   convenção nacional do PT…

NÃ?Æ?Ã?Æ?Ã?Æ?Ã?Æ?Ã?Æ?Ã?Æ?Ã?Æ?OOOOOOOOOO! NÃ?Æ?Ã?Æ?Ã?Æ?Ã?Æ?Ã?Æ?OOOOOOOOOOOO!

Falha de Comunicação!

Há muitos anos atrás — quando eu ainda era criança — me lembro de ter visto uma mensagem com o texto abaixo. Hoje, depois de anos, percebo o quanto ele continua atual. Embora seja uma piada, retrata um dos problemas mais sérios do mundo corporativo de hoje e sempre. A comunicação.

De: Diretor Presidente
Para: Gerente

Na próxima sexta-feira, aproximadamente  s 17 hs, o Cometa Halley estará nesta área. Trata-se de um evento que ocorre somente a cada 76 anos. Assim, por favor, reúnam os funcionários no pátio da fábrica, todos usando capacete de segurança, quando explicarei o fenômeno a eles. Se estiver chovendo, não poderemos ver o raro espetáculo a olho nu — sendo assim, todos deverão dirigir-se ao refeitório, onde será exibido um filme-documentário sobre o cometa Halley.

De: Gerente
Para: Supervisor

Por ordem do Diretor Presidente, na sexta-feira,  s 17 hs, o Cometa Halley vai aparecer sobre a fábrica. Se chover, por favor, reúnam os funcionários, todos de capacete de segurança, e os encaminhem ao refeitório, onde o raro fenômeno terá lugar, o que acontece a cada 76 anos a olho nu.

De: Supervisor
Para: Chefe de Produção

A convite do nosso querido Diretor, o cientista Halley, 76 anos, vai aparecer nu no refeitório da fábrica usando capacete, pois vai ser apresentado um filme sobre o problema da chuva na segurança. O Diretor levará a demonstração para o pátio da fábrica.

De: Chefe de Produção
Para: Mestre

Na sexta-feira,  s 17 hs, o Diretor, pela primeira vez em 76 anos, vai aparecer no refeitório da fábrica para filmar o Halley nu, o cientista famoso e sua equipe. Todo mundo deve estar lá de capacete, pois será apresentado um show sobre a segurança na chuva. O Diretor levará a banda para o pátio da fábrica.

De: Mestre
Para: Funcionário

Todo mundo nu, sem exceção, deve estar com os seguranças no pátio da fábrica na próxima sexta-feira,  s 17 hs, pois o manda-chuva (o Diretor) e o Sr. Halley, guitarrista famoso, estarão lá para mostrar o raro filme “Dançando na Chuva”. Caso comece a chover mesmo, é para ir pro refeitório de capacete na mesma hora. O show será lá, o que ocorre a cada 76 anos.

Aviso para Todos

Na sexta-feira, o chefe da Diretoria vai fazer 76 anos, e liberou geral pra festa,  s 17 hs no refeitório. Vão estar lá, pagos pelo manda-chuva, Bill Halley e Seus Cometas. Todo mundo deve estar nu e de capacete, porque a banda é muito louca e o rock vai rolar solto até no pátio, mesmo com chuva.

…e as árveres, somos nozes…

Eu sou obrigado a confessar que morri de dar risada com o programa dolos exibido no último dia 10 de maio de 2007 — o décimo quarto da segunda temporada, que passei a acompanhar informalmente de uns dias pra cá. Nele, Carlos Miranda, um dos quatro jurados que compõem a banca que invariavelmente detona a maioria dos concorrentes que lhes passam pela frente, faz referência a um muito conhecido vídeo viral que bombardeou a Internet no final do ano passado:

[coolplayer width=”480″ height=”380″ autoplay=”0″ loop=”0″ charset=”utf-8″ download=”0″ mediatype=””] As árveres somos nozes?
[/coolplayer]

Lembraram-se do pobre cidadão que tentava, incansavelmente, pronunciar a frase O jardineiro é Jesus, e as árvores, somos nós, não é mesmo? O problema era que a frase nunca saía… Certamente, este foi um dos momentos mais hilários do programa. Oportunamente, aproveitei para mostrar a pérola aos meus pais e minha irmã, que não a conheciam!! As risadas estão ecoando até agora, neste que foi um dos mais divertidos Dia das Mães que passamos! 🙂

Os Três Porquinhos, contado por um engenheiro

Meu Filho, era uma vez três porquinhos ( P1, P2 e P3) e um Lobo Mau, por definição, LM, que vivia os atormentando.

P1 era sabido e fazia Engenharia Elétrica e já era formado em Engenharia Civil.

P2 era arquiteto e vivia em fúteis devaneios estéticos absolutamente desprovidos de cálculos rigorosos.

P3 fazia Comunicação e Expressão Visual na ECA.

LM, na Escala Oficial da ABNT, para medição da Maldade (EOMM) era Mau nível 8,75 (arredondando a partir da 3ê casa decimal para cima). LM também era um mega investidor imobiliário sem escrúpulos e cobiçava a propriedade que pertencia aos Pn (onde n é um número natural e varia entre 1 e 3), visto que o terreno era de boa conformidade geológica e configuração topográfica, localizado próximo a Granja Viana.

Mas nesse promissor perímetro, P1 construiu uma casa de tijolos, sensata e logicamente planejada, toda protegida e com mecanismos automáticos.

P2 montou uma casa de blocos articulados feitos de mogno que mais parecia um castelo lego tresloucado.

Enquanto P3 planejou no Autocad e montou, ele mesmo, com barbantes e isopor como fundamentos, uma cabana de palha com teto solar, e achava aquilo “o máximo“.

Um dia, LM foi ate a propriedade dos suínos e disse, encontrando P3:

— Uahahhahaha, corra, P3, porque vou gritar, e vou gritar e chamar o Conselho de Engenharia Civil para denunciar sua casa de palha projetada por um ormando em Comunicação e Expressão Visual!

Ao que P3 correu para sua amada cabana, mas quando chegou lá os fiscais do conselho já haviam posto tudo abaixo. Então P3 correu para a casa de P2.

Mas quando chegou lá, encontrou LM   porta, batendo com força e gritando:

— Abra essa porta, P2, ou vou gritar, gritar e gritar e chamar o Greenpeace, para denunciar que você usou madeira nobre de áreas não-reflorestadas e areia de praia para misturar no cimento.

Antes que P2 alcançasse a porta, esta foi posta a baixo por uma multidão insandecida de eco-chatos que invadiram o ambiente, vandalizaram tudo e ocuparam os destroços, pixando e entoando palavras de ordem.

Ao que segue P3 e P2 correm para a casa de P1. Quando chegaram na casa de P1, este os recebe, e os dois caem ofegantes na sala de entrada.

P1: — O que houve?

P2: — LM, lobo mau por definição, nível 8.75, destruiu nossas casas e desapropriou os terrenos.

P3: — Não temos para onde ir. E agora, que eu farei? Sou apenas um formando em Comunicação e Expressão Visual!

Tum-tum-tum-tum-tuuummm!!!! (— isto é somente uma simulação de batidas   porta, meu filho! o som correto não é esse.)

LM: — P1, abra essa porta e assine este contrato de transferência de posse de imóvel, ou eu vou gritar e gritar e chamar os fiscais do Conselho de Engenharia em cima de você, e, se for preciso, até aquele tal de Confea!

Como P1 não abria (apesar da insistência covarde do porco arquiteto e a… do… comunicador e expressivo visual?), LM chamou os fiscais, e estes fizeram testes de robustez do projeto, inspeções sanitárias, projeções geomorfológicas, exames de agentes físico-estressores, cálculos com muitas integrais, matrizes, e geometria analítica avançada, e nada acharam de errado. Então LM gritou e gritou pela segunda vez, e veio o Greenpeace, mas todo o projeto e implementação da casa de P1 eram ecologicamente corretos.

Cansado e esbaforido, o vilão lupino resolveu agir de forma irracional porém super-comum nos contos de fada: Ele pessoalmente escalou a casa de P1 pela parede, subiu ate a chaminé e resolveu entrar por esta, para invadir.

Mas quando ele pulou para dentro da chaminé, um dispositivo mecatrônico instalado por P1 captou sua presença por um sensor térmico e ativou uma catapulta que impulsionou — com uma força de 33300 N (Newtons) — LM para cima.

Este subiu aos céus, numa trajetória parabólica estreita, alcançando o ápice, onde sua velocidade chegou a zero, a 200 metros do chão.

Agora, meu filho, antes que você pegue num repousar gostoso e o Papai te cubra com este edredom macio e quente, admitindo que a gravidade vale 9,8m/s2 e que um lobo adulto médio pese 60 kg, calcule:

  1. o deslocamento no eixo “x”, tomando como referencial a chaminé;
  2. a velocidade de queda de LM quando este tocou o chão e;
  3. o susto que o Lobo Mau tomou, num gráfico lógico que varia do 0 (repouso) ao 9 (ataque histérico).

Kwik-E-Marts de verdade?

The Simpsons 7 ElevenApós 18 temporadas contínuas de um dos desenhos mais famosos e divertidos de todos os tempos, é impossível negar a fama da fictícia cadeia de lojas de conveniência Kwik-E-Mart — subsidiária da Nordyne Defense Dynamics —,  já que uma das filiais é operada pelo indiano Apu Nahasapeemapetilon e aparece em praticamente 90% dos desenhos de Os Simpsons.

Mas um movimento anunciado durante a semana passada está prestes a tirar as lojas apenas da ficção e da imaginação dos roteiristas, e transformá-las em lojas de verdade: Coordenadas com o lançamento do The Simpsons Movie — amplamente anunciado aqui no Brasil durante a programação da Fox e com estréia prevista para 27 de julho deste ano —, onze lojas da rede de conveniência 7-Eleven devem se tornar Kwik-E-Marts reais, inclusive com a realização de reformas nas fachadas para que lembrem a loja do desenho animado.

Para os fãs de plantão, a novidade só não é melhor porquê não há ainda um acordo oficial entre a cadeia de lojas internacional e os estúdios da Fox. Tudo o que foi visto se trata de material produzido pelo departamento de marketing da franquia, direcionado a uma audiência interna: Desta forma, não se pode ainda confirmar onde ou quando as lojas começarão a mudar, e se começarão. De qualquer forma, não custa se imaginar comprando a cerveja Duff, o refrigerante Buzz Cola ou o cereal KrustyO’s, não é mesmo?