O Professor Corujinha

Escrito em 19/08/2018 3 minutos de leitura

Estava navegando no meu feed do Twitter ontem, quando me deparei com este tweet do Pulp Librarian:

Eu, que vivi boa parte da época das calculadoras, me prendi à história: É interessante como o custo e o tamanho delas despencou na década de 1970, transformando ferramentas que você só veria em escritórios em verdadeiros brinquedos.

Esse fenômeno foi responsável por fazer com que as empresas de tecnologia precisaram se diversificar, criando outros produtos, para evitar que não morressem. Mas o que mais me chamou à atenção foi a imagem que ilustra este tweet — o primeiro de uma série descrevendo a corrida das calculadoras nos anos 70: uma foto do Professor Corujinha (bem, na verdade, do Little Professor, seu primo norte-americano criado pela Texas Instruments em 1976).

No Brasil, o brinquedo só chegou mesmo 10 anos depois, em 1986. Eu tive a felicidade de ganhar um Professor Corujinha dos meus pais — que infelizmente há muitos anos eu já não possuo. Mas, pesquisando na internet, descobri uma imagem dele e da embalagem original, que, além da calculadora em si, vinha com um caderninho de atividades:

O Professor Corujinha

Lembro de brincar muito, muito mesmo, com ele. Ao invés de uma calculadora comum, em que você digita os termos e recebe os resultados de volta, o Professor tinha como missão fazer com que mais crianças se interessassem por matemática, e fazia isso ao propôr problemas matemáticos que precisavam ser solucionados.

Esses problemas apareciam no visor LED como uma equação, e você tinha que digitar a resposta correta pra eles. Se respondesse errado, uma mensagem de erro piscava na tela e, depois de três tentativas, a resposta da equação aparecia, pra que a criança visse onde errou antes de passar para o próximo problema.

Mas se a criança acertasse o problema, a equação completa aparecia por um segundo, seguida de um novo problema. Para que houvesse um quê de competição e de incentivo, o Professor também exibia o número de respostas corretas a cada vez em que 10 problemas eram respondidos. Modéstia à parte, eu era muito bom nisso.

No vídeo acima, que eu encontrei enquanto pesquisava pra escrever este texto, é possível ver o Little Professor em funcionamento. Apesar das ligeiras diferenças entre o original e a versão lançada aqui no Brasil, o funcionamento é praticamente o mesmo.

Oportunidade pra ser um pouquinho nostálgico 😄.

comments powered by Disqus