em Couch potato

As melhores frases do Pica-Pau

Algumas das memórias mais tenras da minha infância foram construídas passando manhãs e tardes inteirinhas assistindo a PopeyeLooney Tunes Tom e Jerry. Mas, sem dúvida nenhuma, o meu desenho favorito naquela época era, de longe, o Pica-Pau. Criado em 1940 pelo desenhista e animador norte-americano Walter Lantz, esta ave de cabelo vermelho foi garantia de que eu desse muitas e muitas risadas.

Não é de hoje, posso dizer, portanto, que o Pica-Pau influencia minha vida. Seja em casa ou no trabalho, vira e mexe me lembro de alguns dos desenhos mais memoráveis aos quais assisti. E são essas lembranças que me fazem citar algumas passagens e frases do desenho, muitas vezes divertindo os colegas que têm mais ou menos a minha idade — e que portanto se lembram tão bem quanto eu do personagem e suas travessuras — e intrigando o pessoal que é um pouco mais novo.

Após refletir um pouco sobre o assunto, resolvi compartilhar aqui uma lista, contendo 5 frases e/ ou passagens que mais utilizo,  ou que mais costumam me divertir. E são elas:

Se o Pica-Pau tivesse comunicado à polícia, isso nunca teria acontecido

O episódio Bunco Busters (no Brasil, Um Tesouro Difícil), que foi ao ar originalmente em 21 de novembro de 1955, narra a história do caso do Pica-Pau pateta (The Case of the Gullible Woodpecker): O desenho começa com um jornal noticiando que “o Pica-Pau herda uma nota firme”. Pica-Pau passa com um pote cheio de dinheiro por Zeca Urubu, que decide que vai tomar toda a fortuna do Pica-Pau, inventando um mapa do tesouro e diversas artimanhas para lhe tirar cada centavo. A frase “Se o Pica-Pau tivesse comunicado à polícia, isso nunca teria acontecido” era repetida exaustivamente pelo detetive da polícia que nos narra o caso, todas as vezes em que Zeca tirava mais um dinheirinho de nosso amigo penado.

Ok. Mas nada disto, e disto

O episódio Woody’s Clip Joint (no Brasil, O Pica-Pau na barbearia), exibido pela primeira vez em 3 de agosto de 1964, mostra o Pica-Pau indo cortar seu cabelo (hã?) como muita gente faz todos os dias. Abandonado pelo barbeiro (porque era hora do almoço, afinal de contas), Pica-Pau ouve o noticiário que informa sobre a fuga do leão Rei Luisinho. É claro que o leão vai justamente até a barbearia onde está o Pica-Pau e o obriga a escondê-lo. Até que o Pica-Pau descobre que há uma recompensa pela captura do leão e o engana, oferecendo-se para disfarçá-loLuisinho maltrata Pica-Pau o tempo inteiro com tapas no rosto e socos na cabeça, e, à certa altura, nosso herói só concorda em continuar ajudando caso o leão pare com isso.

Asas batendo. Marcha de decolagem. Turbinas e… já!

Em Sufferin’ Cats (no Brasil, O Gato a Jato), de 1961, um homem está sendo atormentado pelo Pica-Pau, que transformou seu telhado em uma reprodução de queijo suíço com mais buracos do que se pode imaginar. Cansado da situação, ele resolve contratar os serviços do Gato a Jato, que se diz “o gato mais a jato do mundo“. Obviamente, como em qualquer desenho da série, não é nada fácil para os inimigos do Pica-Pau se livrarem dele, e neste caso não há exceção. A frase que cito neste caso é usada pelo Gato a Jato, quando este vai “decolar” para mais uma investida veloz no Pica-Pau.

¡Yo no lo conozco, señor!

O episódio Panhandle Scandal (no Brasil, Pica-Pau Delegado), que foi ao ar pela primeira vez em 18 de maio de 1959 é um dos que mais me provoca risadas. A frase acima é repetida por um baixinho, vestido com trajes mexicanos e sombrero, como parte de um diálogo muito engraçado entre ele e um bandido que chega na cidade e está em busca do Pica-Pau, que proibiu a entrada de bandidos na cidade.  O diálogo é assim:  “Quiere dicer el tal de cabelo vermelho? (sim) E de grande nariz? (sim) E que faz ha-ha-ha? (sim, sim, sim) E que é um grande astro da TV? (Esse mesmo!) ¡Yo no lo conozco, señor!“.  De bônus, o espirituoso cavalo do bandido em questão, quando se mete a pedir uma bebida no bar local é expulso, proferindo a pérola “Nhé, não gosta de beber com cavalo, é?“.

Tô procurando rachador. É um cara que faz assim: VRRUMMMM…

The Screwdriver (no Brasil, O Rachador, ou, algumas vezes, O Pica-Pau biruta) é o segundo desenho do Pica-Pau produzido em toda a filmografia. É um episódio em que o Pica-Pau tem aquela aparência mais amalucada, com olhos verdes, tal como o coloquei neste post. Durante o desenho, o carro do Pica-Pau quebra e ele resolve tentar consertá-lo. Depois de consertá-lo, ele volta a ficar possante, e ele acaba se encontrando com um policial rodoviário que está procurando rachadores. A certa altura, ocorre um diálogo entre o oficial e o Pica-Pau, onde o primeiro está explicando o conceito de um rachador.

 

Escreva um comentário

Comentário