Weapons of Math Destruction

Cathy O’Neil, matemática e cientista de dados faz um excelente TED Talk e nos conta os chamados segredos obscuros do big data: Em poucos minutos, ela demonstra como os algoritmos modernos representam um grande perigo, uma vez que podem ser extremamente tendenciosos preconceituosos, se tornando verdadeiras weapons of math destruction, termo cunhado por Cathy.

O perigo do viés, aliás, fica bem demonstrado em uma das frases da palestra, onde ela cita que os algoritmos nada mais fazem do que automatizar o status quo. Para evitar análises burras, portanto, é necessário ter parcimônia, acompanhar seus resultados de perto, e, como diz aquela expressão em inglês, take them with a grain of salt.

 

A logomarca da Embraer nos céus

E ontem, 19 de agosto, foi dia do aniversário da Embraer.

A empresa está completando 48 anos, e para marcar a data ganhou um presente diferente: Teve sua logomarca desenhada nos céus dos Estados Unidos — mas não no estilo em que a Esquadrilha da Fumaça faria, e sim, através do traçado de uma rota, que pôde ser acompanhada pelo mundo inteiro, ao vivo, a partir do site Flight Radar 24.

A aeronave responsável pelo feito foi a N177HQ, um Embraer 190 voando a cerca de 900 km/h. Os pilotos saíram do centro de manutenção de aeronaves da empresa em Nashville, no Tennessee, e a rota passou por mais seis estados: Kentucky, Indiana, Illinois, Iowa, Nebraska e Missouri.

Eu resolvi acessar o histórico de vôos do avião, e capturei o playback do de ontem, que compartilho com vocês abaixo:

Taí uma coisa que não se vê todos os dias.

Projeto Coelho Branco

Descobri esta semana, meio que por acaso, a série White Rabbit Project, produção original da Netflix que me foi sugerida com 90% de chance de combinar com meu gosto por programas de TV — confesso, aliás, que até agora os algoritmos mágicos da Dona Netflix estão acertando mais do que errando!

Mas também pudera: White Rabbit Project, que foi disponibilizada em 10 episódios e estreou já há tempo considerável, em 09 de dezembro de 2016, é apresentada por Kari Byron, Tory Belleci e Grant Imahara, o trio que auxiliou Adam Savage e Jamie Hyneman na série Mythbusters, que aqui no Brasil ficou conhecida como Os Caçadores de Mitos.

Se esta não é minha série favorita de todos os tempos, ela passa muito perto: sempre achei muito divertido acompanhar essa turma detonando mitos e explodindo coisas pelo caminho, e me entristeceu de verdade a notícia de que a produção chegaria a seu fim.

Embora White Rabbit Project não seja exatamente 100% sobre experimentos científicos — o formato do programa apresenta sempre seis eventos, como assaltos milionários impensáveis, fugas da cadeia sensacionais, os maiores charlatões da história, entre outros, para os quais os próprios apresentadores sugerem pontuações e definem o vencedor — ainda é possível ver os três construírem uma ou outra engenhoca aqui e realizarem uma experiência acolá, no estilo do programa Mythbusters.

Para mim, esses são ingredientes suficientes para muita diversão: tanto que já detonei 100% dos episódios disponíveis e estou no aguardo de uma segunda temporada, que eu espero que a Netflix disponibilize, já que gastou uma boa grana na primeira temporada, ao investir em tema e formato até então inéditos para a empresa. Resta esperar…

Ficou mais legal acompanhar letras de música pelo iOS usando Musixmatch e Spotify

Eu sempre gostei muito de usar o Musixmatch para descobrir e acompanhar as letras das músicas que eu escuto, no melhor estilo sing along.

Alguns anos atrás, quando eu utilizava um Samsung Galaxy S3, havia um recurso interessantíssimo do Musixmatch, que me permitia acompanhar letras de música através de um popup, que aparecia por cima da interface do Spotify enquanto a música estivesse sendo reproduzida.

Eu achava esse recurso tão sensacional que confesso que depois que voltei para a Apple e o iPhone, foi uma das coisas que mais senti falta, pois, para acompanhar letras de música utilizando o app em conjunto com o Spotify, vinha sendo obrigado a abrir os dois aplicativos no celular ao mesmo tempo, e ficar trocando entre eles: fazendo assim, toda vez que volto para o Musixmatch, a música se interrompe um pouco, pois o microfone precisa ser novamente acessado pelo aplicativo, e isso  atrapalha um pouco a experiência de ouvir música.

Eis que, atualizando o Musixmatch hoje, me deparei com um novo widget que pode ser acrescentado à área de notificações do iPhone. E a melhor notícia é que este novo recurso se integra perfeitamente com o Spotify, e à medida em que ouço músicas no aplicativo, as respectivas letras aparecem normalmente após serem carregadas no widget.

Ainda não se trata do popup que aparecia por cima do aplicativo do Spotify quando eu utilizava um Android. Mesmo assim, é um avanço muito bem-vindo, que deve deixar muita gente feliz, da mesma forma que me deixou.

Profissão: Protetor do Planeta

Entre o grande número de profissões existentes no mercado atualmente, sejam elas clássicas ou modernas, eu certamente nunca tinha ouvido falar de uma: Ocorre que a NASA está procurando candidatos a ocuparem a vaga de oficial protetor planetário.

Pode ser a chance de alguém conseguir ganhar a vida defendendo nosso Planeta Terra de ameaças e invasores alienígenas e, se não fosse o fato de a NASA ser uma agência norte-americana a milhares de quilômetros de onde eu moro, e meus compromissos atuais, eu bem que me candidataria à função, pois assim eu seria capaz de fazer igualzinho aos homens de preto, quem sabe, inclusive, ganhando meu próprio desneuralizador para carregar por aí.

Calma rapazes. É brincadeirinha.

Na verdade, a vaga aberta pela NASA, para uma função que de fato existe, é para buscar profissionais muito menos parecidos com Will Smith e Tommy Lee Jones,  e e muito mais parecidos com aqueles caras das equipes de Apollo 13 ou de Perdido em Marte, ou seja, nada de atirar em alienígenas e outras coisas do gênero, por mais fantástico que isso pudesse ser.

Protetores planetários, na verdade, são profissionais que estudam, de forma muito aplicada, aliás, uma grande diversidade de métodos de contaminação e como fazer para desinfetar equipamentos robóticos utilizados nas missões espaciais realizadas pela agência de maneira apropriada.

Mas como assim… desinfetar?

Pode parecer estranho, mas, de acordo com um texto publicado por Randall Munroe, editor e desenhista por trás do site xkcd, todas as naves espaciais carregam bactérias, e é papel do oficial de proteção planetária esterelizá-las antes e durante os lançamentos, já que ninguém quer contaminar outros planetas ou luas com bactérias terrestres.

Parece bobagem? Eu também pensei isso, mas existem dois grandes motivos para fazer isso. O primeiro é que, da mesma forma que ninguém gostaria de ver nosso tão amado planetinha ter seus ecossistemas invadidos por formas de vida alienígena, a NASA também não quer que isso ocorra ao contrário, ou seja, não seria nada legal deixar vidas terrestres se infiltrarem em outros planetas e seus ecossistemas — uma questão ética e tanto.

O segundo motivo é que, caso encontremos mesmo alguma forma de vida alienígena pelo espaço afora, não seria nada legal ter que ficar gastando um tempão para descobrir se era mesmo um organismo extraterreno ou um de nossos próprios seres já conhecidos — os tataranetos das bactérias que viajassem acidentalmente da Terra para outro lugar no espaço, por exemplo.

Assim, caso alguém por aí resolva se candidatar à vaga da NASA, vai estar prestando um serviço muito grande à NASA — o que, de qualquer maneira, preencheria o tempo até que de fato precisássemos lutar com forças extraterrestres pelo domínio de nosso planeta, o que ainda pode levar anos e anos, se resolvermos ouvir Stephen Hawking, ou nunca de fato acontecer…

Os Minions num Embraer E190

E o dia 27/07/2017 não marcou apenas o aniversário de São José dos Campos, mas também, de acordo com um recente comunicado de imprensa da Japan Airlines, a entrada em serviço da aeronave Embraer E190 JA248 da empresa, especialmente decorada com uma pintura especial dos Minions, após parceria entre a companhia aérea e a Universal Studios Japan, conforme postado no perfil oficial da Embraer no Facebook:

Congratulations Japan Airlines on the inaugural flight of JA248J, J-AIR’s 8th #E190! This JAL #Minion jet features a…

Posted by Embraer on Friday, August 4, 2017

A iniciativa comemora o lançamento da Despicable Me Minion Mayhem Ride, a maior atração do Minion Park, aberto no final do mês de abril deste ano. Abaixo, um comercial de TV que mostra a atração:

Sensacional! Pena que não veremos este avião voando em céus brasileiros…