Receba um SMS quando o Brasil ganhar medalha!

Eu simplesmente não posso negar que adoro assistir  s Olimpíadas. É o momento para se torcer por seu país em tantos esportes ao mesmo tempo que você até perde a conta! Estando de férias, então, assistirei boa parte das competições graças a uma extensiva cobertura dos canais de televisão.

Mas somente a TV não basta. Estar de férias é sobretudo passear, e assim, eu criei uma receita no ifttt para ser avisado via SMS sempre que um brasileiro for medalhista em qualquer competição dos Jogos de Londres 2012.

Esta criação foi possível graças a uma novidade do ifttt, que, durante todas as disputas, disponibilizará, em parceria com a ESPN norte-americana, um canal com triggers olímpicos. A partir daí, foi só dar asas   imaginação!

Confesso que foi a primeira vez que usei o canal de mensagens SMS. O ifttt deixa claro que não há garantia de compatibilidade com 100% das operadoras de telefonia mundiais, mas mesmo assim envia um PIN de confirmação para a ativação, em todo caso — no caso da TIM, o código levou poucos segundos para chegar.

Ao assistir  s competições de judô hoje pela manhã, me deparei com a primeira chance de ver se a receita havia funcionado, com as medalhas de bronze de Felipe Kitadai e Sarah Menezes.

É fato que as notificações por SMS vindas do ifttt não chegaram em tempo real, mas, como se pode ver pela imagem acima, elas vieram. Prova de que, mais uma vez, o ifttt mostra porquê mata a pau.

Se você também quiser um jeitinho um pouco mais nerd de acompanhar o Brasil em Londres 2012, não se esqueça de também usar a receita, ok?

[icons_button link=”http://ifttt.com/recipes/47374″ target=”blank” style=”info”]Acesse a receita no ifttt[/icons_button]

Simple Desktops

Enquanto me atualizava no blog do Ghedin, descobri o Simple Desktops, um site prá lá de bacana onde se pode escolher entre muitos — muitos mesmo — papéis de parede para sua área de trabalho.

A maioria deles é muito bonita, e tem algo que eu valorizo muito: minimalismo. Eu mesmo já escolhi dois papéis para experimentar 🙂

Ah, se alguém estiver curioso, o post onde ele citou um wallpaper do site foi este.

Visite o Simple Desktops

The evolution of PC games

From the earliest text-based adventures to the latest modern shooters, Reverse Enginears has created a stunning musical composition featuring only sounds and music from PC games.

Só pra citar alguns dos games que reconheci do vídeo acima: Alley CatKing’s QuestLeisure Suit Larry, The Secret of Monkey IslandLemmingsSam and Max, Wolfenstein 3D, Doom, WarcraftDuke Nukem 3D e Minecraft.

Todos eles me renderam — e alguns, graças ao Steam, ainda rendem — horas e horas a fio de diversão. E você? De quais games se lembra ao assistir ao vídeo? Quais lhes trouxeram memórias divertidas?

Como nunca mais esquecer o guarda-chuva

Forgotten — ilustração de Mike R. Baker

Você certamente já esqueceu um guarda-chuva. É ruim quando saímos com ele de casa para tentarmos nos prevenir de algum tipo de incidente meteorológico, só para descobrir que, ao invés de chuva, veio o sol. Daí é muitas vezes tarde demais: Já deixamos o dito cujo sobre alguma cadeira, apoiado em alguma parede ou sabe-se lá Deus onde. E o pior — muitas vezes esquecemos onde foi que deixamos o guarda-chuva, tudo isso porquê o sol nos faz  esquecer que precisamos dele. E há os momentos em que chove e estamos sem guarda-chuva, o que talvez seja muito pior do que a primeira situação, já que, neste caso, acabaremos molhados!

Pois bem. Usando uma conta no Gmail, outra no Remember the Milk e, finalmente, uma última conta no ifttt, vou mostrar uma maneira de ser lembrado de que é uma ótima ideia levar o guarda-chuva, através da previsão do tempo. Isso porquê, se o dia estiver realmente chuvoso, nós raramente vamos esquecer do guarda-chuva, e o que eu quero mostrar é uma forma de dar um empurrãozinho na memória.

Vou assumir que você já tem uma conta no Remember the Milk. Se não tem, devia ter — trata-se de um ótimo aplicativo, gratuito, para o gerenciamento de listas de tarefas. Eu tenho várias listas lá, e uma delas se chama Pessoal (com minhas tarefas pessoais, é claro). É esta a lista que usarei neste texto. Ah… e pra ficar mais legal, vou acreditar que você usa o Remember the Milk no celular.

Também vou assumir que você já tem uma conta no ifttt. Se você não conhece o site, deveria — é um automatizador de tarefas rotineiras, que pode, entre outras coisas, publicar uma foto em um álbum no Flickr quando você a publica no Instagram, e salvar um bookmark do Pinboad no Evernote, só para dar dois exemplos. Aqui, será o ifttt que fará a interação com o Remember the Milk.

Mãos   obra!

A primeira coisa a se fazer é identificar o seu endereço de e-mail do Remember the Milk.

Este endereço é utilizado para enviar novas tarefas ao serviço, de maneira que elas sejam publicadas em uma ou mais listas de tarefas específicas. Quando você está conectado   sua conta do serviço, o e-mail pode ser obtido no seguinte endereço:

[blue_box]http://www.rememberthemilk.com/home/username/#section.settings[/blue_box]

Anote o endereço — provavelmente algo no formato username+número@rmilk.com — para que possamos usá-lo daqui a alguns instantes.

Em seguida, vamos criar uma nova receita no ifttt. Para isso, já conectado   sua conta do serviço, acesse o seguinte endereço:

[blue_box]http://ifttt.com/myrecipes/personal/new[/blue_box]

Clique no bloco this da receita: Para que ela funcione, usaremos um canal de previsão meteorológica — o weather channel. Este canal está mais abaixo no primeiro passo, pois os canais estão listados em ordem alfabética.

Uma vez tendo selecionado o canal correto, escolha o trigger adequado. Um trigger é um gatilho, ou seja, uma ocorrência que, quando acontecer, fará com que uma ação seja desencadeada. Neste caso, estamos interessados no trigger Tomorrow’s forecast calls for, ou seja, “A previsão do tempo para amanhã é de…”.

Provavelmente, após a seleção do trigger, a previsão em que estamos interessados (rain, ou chuva), já estará escolhida. Caso isso não tenha ocorrido, altere a seleção para que fique como na figura a seguir. Não se esqueça de clicar em Create Trigger criar gatilho quando terminar:

Agora que já configuramos o bloco this da receita, é hora de configurar o bloco that, ou seja, vamos dizer ao ifttt o que deve ser feito se a previsão do tempo para amanhã for de chuva.

O que vamos fazer é compor uma mensagem de email. Para isso, após clicar em that, selecione o canal de ação Gmail, conforme aparece na imagem a seguir:

O canal Gmail serve para mandar mensagens automáticas quando disparado por algum evento — no nosso caso, é bom lembrar, sempre que a previsão do tempo para amanhã for de chuva. Ao selecionar o canal, basta optar pela única opção disponível, ou seja, send an email.

Isto fará com que um formulário padrão de composição de email apareça na tela, inclusive já pré-populado com algumas informações que, para efeitos deste texto, podem ser apagadas, o que vai acabar deixando todos os campos em branco.

Agora basta personalizar a mensagem. Veja o exemplo:

O que eu fiz foi inserir o meu endereço de email do Remember the Milk no campo To address. Em seguida, usando uma facilidade do próprio RTM, o Smart Add, usei o campo Subject da mensagem para indicar que o meu to-do será chamado “Se for sair, levar o guarda-chuva!”, e que a ação deverá ser agendada para amanhã  s 06:30, sendo incluída na minha lista de tarefas Pessoal, como eu havia mencionado anteriormente.

A última coisa a se fazer é clicar o botão Create Action, para que a nova receita fique listada entre as demais que você eventualmente já possui no ifttt. Assim, se tudo correu bem e você seguiu as instruções direitinho, basta esperar que a previsão do tempo seja de chuva — droga!! — e voil , você verá a tarefa em seu Remember the Milk, alertando-lhe para que, aí sim, você leve o guarda-chuva com  muito mais certeza de que vá efetivamente usá-lo.

A regrinha dos 10 reais

Um texto bastante curioso que encontrei recentemente no Lifehacker fala de algo chamado de The Whisky Rule, ou, em bom português, “A Regra do Uísque”. Basicamente, ela serve para aquelas pessoas que não tem lá muito compromisso com a pontualidade quando se trata de reuniões ou, na verdade, qualquer tipo de compromisso.

Basicamente, funciona da seguinte maneira: Sempre que você cancelar uma reunião com menos de 10 minutos de antecedência ou ignorá-la completamente, dando o bolo em alguém, você fica devendo uma garrafa de uísque pra essa pessoa. Assim, a garrafa serve como pedido de desculpas e compensação pelo tempo perdido, já que o tempo de todos é importante.

Enquanto é verdade que eu não sou fã de uísque, o tal texto me fez lembrar de um chefe que tive na empresa onde trabalho, que adotava uma política que, embora nada tivesse a ver com uísque, resultou em menos atrasos ou não comparecimentos  s reuniões ao longo do tempo. A coisa era bem simples: O último a chegar para a reunião contribuía com 10 reais, que serviriam para financiar um café da manhã na sexta-feira subsequente.

Felizmente, nunca financiei o café da manhã de ninguém. Ou quase.

The Coca-Cola Hug Machine

Normally, Coca-Cola wouldn’t be too kind to people replacing their words in the iconic Coke branding, particularly in the form of a vending machine. However, Coca-Cola rewired one of their machines to accept hugs, instead of cash, as payment for cola,

After stocking the machine, Coke captured student’s reactions.

[Do Business Insider, via]

Chaplin em desenho animado

Vocês já tiveram a chance de assistir a pelo menos um episódio de Chaplin & Co, série animada em 3D baseada no personagem Vagabundo, de Charles Chaplin?

http://www.youtube.com/watch?v=1cCaPMLjVvY

Confesso que eu venho me divertindo muito com os curtas, 104 desenhos que tem duração de cerca de 7 minutos, cada um. Assisti-los junto com o pequeno sempre me faz querer ver mais. Sinceramente, na minha opinião, trata-se de um programa ideal e imperdível para toda a família, que tem ido ao ar pelo canal Gloob.

Sobre tomar notas e Cintanotes

Estava lendo o texto que o Ghedin escreveu sobre como seria o aplicativo de notas ideal para Windows e resolvi escrever este texto como uma espécie de resposta, sobretudo porquê eu, mais do que ninguém, vivo experimentando aplicativos — deste e de outros gêneros.

Antes de mais nada, no entanto, quero deixar claro que, pessoalmente, costumo fazer anotações de três tipos.

Primeiro, aquelas que se referem  s tarefas que eu preciso executar, o que alguns costumeiramente chamariam de uma lista de to-do. Em segundo lugar, aquelas que me serão úteis em algum momento, seja no trabalho, seja na vida pessoal, como por exemplo, referências, tutoriais, artigos e manuais, entre muitas outras coisas. Esta utilidade pode variar ou se ampliar, e esta categoria de notas que eu crio tende a ser bastante editada.

Finalmente, faço anotações para compor textos que escrevo, especificamente para meu blog — este que você está lendo. Esta categoria de anotação tem sido bastante esparsa — mais do que eu gostaria, na verdade —, e, para ela, eu procuro trabalhar   frente do meu computador desktop, usando o fantástico WriteMonkey, que, além de leve e grátis, ainda impede que eu me distraia quando estou compondo algum texto.

Para as duas primeiras categorias de notas que eu citei, já usei diversas soluções. No primeiro caso, inclusive, escrevi aqui mesmo no blog sobre um programa chamado Noteliner, que eu usei por quase dois anos para dar conta dos meus to-dos e que, mais recentemente, no entanto, foi trocado pelo Remember the Milk, que possui diversos recursos interessantes como reminders e um app para iPhone e iPad que me quebra um galho enorme, e que por isso mesmo tomou facilmente o lugar do anterior.

Para a segunda categoria de notas usei por muito tempo um programa chamado Keynote, que era na verdade um outliner muito versátil e que permitia a criação de notas — na verdade arquivos de texto organizados como um verdadeiro banco de dados — com recursos como formatação richtext e inserção de imagens, além de permitir organizá-las e procurá-las de diversas maneiras. Embora a Tranglos Software tenha encerrado seu desenvolvimento em 2006, o projeto foi levado adiante e transformou-se no Keynote NF, ativamente mantido e com mais recursos que seu antecessor, e que eu também usei para não ficar órfão.

Só parei de usar o Keynote e o Keynote NF porquê com a mobilidade dos tempos mais recentes, não pude mais depender de um programa cuja base de dados era local. Com aparelhos smartphone, tablets e outros dispositivos em mãos, acabei me rendendo ao Evernote, que não deixa de pertencer, a meu ver, a uma categoria avançada de outliner, e que conta com tudo o que o Keynote possuía e muito mais: sobretudo, capacidade de sincronização e, aqui também, um app para iPhone.

Mas e o texto do Rodrigo Ghedin?

Depois de ter dito tudo isso — e dividido com vocês algumas de minhas preferências pessoais atuais no mundo da tomada de notas, vou direto ao assunto: Para solucionar as questões descritas por ele, eu escolheria um notável software chamado Cintanotes.

Trata-se de um aplicativo gratuito muito simples e leve, voltado para a tomada de notas e que recentemente ganhou também uma versão comercial, que por menos de 10 Obamas habilita alguns recursos extras e, convenhamos, ajuda o autor a comprar o leite das crianças.

De qualquer maneira, porquê essa escolha?

Bem, primeiro porquê ele menciona o Notational Velocity e o Resoph Notes, e, a meu ver, o Cintanotes é fortemente inspirado por — ou pelo menos muito parecido com — ambos.

Além disso, o Rodrigo fala em seu texto que procura algo que apresente bom desempenho. O Cintanotes é escrito em Visual C++ e recorre apenas   chamadas de API puras do Windows, ou seja, nada de .NET ou MFC.

É um download pequeno — cerca de 1,5 MB e possui uma assinatura de memória baixa, além de ficar no system tray quando minimizado e responder rapidamente   uma tecla de atalho que pode ser acionada para capturar o que quer que esteja na área de transferência do Windows e transformar em nota.

Quanto   pesquisa em tempo real, o que é facilmente atendido pela ferramenta, que tem uma interface simples com uma lista de notas   direita e uma barra de busca find and highlight as you type na região superior, que é uma das mais rápidas que eu já vi.

Sobre a questão de aparência e usabilidade — embora neste caso seja a minha vez de dizer que esta não é bem a minha praia —, o Cintanotes possui apenas e tão somente caixas de busca e de filtro, uma lista de notas e,   esquerda, uma barra com tags que pode ou não, dependendo da vontade do usuário, ser escondida.

Quanto   suporte ao Aero Glass, é algo nativo, e você pode configurar as fontes e seus tamanhos — inclusive, assim, usando a Segoe UI, que o Rodrigo mencionada. Talvez o único senão se dê em relação ao espaçamento entre linhas, que não pode ser alterado.

O próximo ponto que ele aborda são menus e teclas de atalho.

Teclas de atalho estão presentes no programa, e permitem a edição básica de texto, como torná-lo negrito, itálico, sublinhado e tachado, acrescida da possibilidade de destacar (highlight) trechos de texto, e de transformá-los em monospace. Além disso, pode-se pressionar F2 para edição rápida de notas, F4 para adicionar tags (falo delas mais adiante) e configurar teclas de atalho para captura rápida de notas, como mencionei acima, para exibição da janela principal do programa e para a criação de notas em branco.

No caso dos menus, há um com operações básicas de arquivo, inclusive com direito a backup, importação e exportação de notas nos formatos unicode e XML para a versão gratuita do programa, e destes formatos e mais HTML para a versão paga. Existem outros menus, e, das opções desejáveis pelo Ghedin para edição de texto, só não existe a de find and replace, embora ela exista para a edição de tags.

Tags, aliás, são possivelmente uma característica muito interessante para muitas pessoas (eu, inclusive). Talvez não para uma resposta ao texto, mas sim quando se trabalha com diversas categorias de notas. No Evernote, por exemplo, poderiam-se usar tags e notebooks, embora no Cintanotes as tags já atuem bem, e possam ser agrupadas, movidas e excluídas com muita facilidade.

No quesito seguinte markdown e HTML, já mencionei a exportação para HTML caso se opte por adquirir a versão paga do Cintanotes. O programa, no entanto, não possui uma exportação para markdown — a-há, WriteMonkey! —, embora o autor da ferramenta abra espaço para a sugestão de novas features.

Agora, uma questão muito importante. A sincronização. Para aqueles que usam múltiplos computadores — como, por exemplo, um desktop e um ou mais notebooks —, o Cintanotes é perfeito. Existem instruções para efetuar sincronização com o Dropbox, baseadas na cópia do arquivo onde estão armazenadas suas notas para uma pasta sincronizada com o serviço. Simples e funcional, e ainda melhor se levarmos em conta que quando eu fecho uma nota após editá-la ela é automaticamente salva neste arquivo.

Mas, ao contrário do Noteliner e do Keynote, que mencionei aqui, as notas não são salvas em arquivos texto, e sim em formato proprietário. Assim, se a intenção for visualizar e concluir a edição de um texto em um smartphone ou tablet, por exemplo, nada feito — mesmo com a aplicação nativa do Dropbox para iPhone, por exemplo. É melhor, mais uma vez, optar pelo Evernote.

No entanto, ainda cito o Cintanotes para resolver o questionamento do Ghedin por seu oferecimento de alguma alternativa de sincronia online, e pelo simples fato de ser o que é: um aplicativo amigável, agradável aos olhos, ativamente desenvolvido e muito funcional. Creio que valha, ao menos, experimentar…