em Couch potato

No more Hameron?

Que House é uma das melhores séries da paróquia, não vou discutir. O que eu nunca comentei por aqui é que eu sempre torci para que algo pudesse rolar entre o Dr. Gregory House — personagem do ator Hugh Laurie, que dá título   série — e a Dra. Alison Cameron — personagem de Jennifer Morrison —, possibilidade também desejada por muitos fãs da série mundo afora, e denominada por eles, carinhosamente, de hameron, numa mistura de nomes de ambos os personagens.

Eu sempre torci desta maneira porquê, desde os primeiros episódios e das primeiras temporadas do seriado que eu percebo que há uma química, algo muito forte, entre eles. Mas parece, para meu alarme, que todas as esperanças se neste sentido foram por completo, agora que o episódio Teamwork — o oitavo da sexta temporada do seriado — foi exibido, no último dia 16 de novembro. Não costumo escrever reviews dos episódios das séries que assisto, mas farei isso excepcionalmente desta vez.

Se você ainda não assistiu ao episódio, não continue lendo.

Cuidado. O texto a seguir contém spoilers.

Teamwork põe fim a um arco de história que durou aproximadamente 1 mês, ou cerca de cinco episódios, arco este que foi iniciado em 05 de outubro, quando foi ao ar The Tyrant, episódio em que a equipe trata um brutal tirano africano chamado Dibala,  que anteriormente havia ameaçado executar limpezas étnicas em seu país, e fica repentinamente doente. Após diversas discussões éticas com relação aos direitos de um assassino em massa merecer ser tratado, o Dr. Robert Chase — marido da Dra. Cameron na série, interpretado por Jesse Spencer — põe fim   vida do ditador, após falsificar um exame de sangue propositadamente, o que o leva a receber um tratamento errado.

Os episódios seguintes são marcados por um conflito de consciência na cabeça de Chase, que não suporta mais viver consigo mesmo frente   culpa de sempre lembrar do que fez, todas as vezes que está andando pelo hospital — e sobretudo quando visita o leito que era ocupado por Dibala antes de tudo ocorrer. Chase chega até mesmo a procurar um padre para se confessar, mas este lhe  diz que a única forma de reparar o que fez é admitindo sua culpa. Para encurtar a questão, ao final do sétimo episódio, Known Unknowns, o médico confessa   esposa — com quem se casou oficialmente no término da quinta temporada — o que fez, e ela fica perplexa.

Cameron falando sobre o drama de Chase

Cameron falando sobre o drama de Chase

Cortinas, e fim, até o início de Teamwork, em que o casal dialoga sobre o ocorrido, e sobre a confissão de Chase. Cameron acaba dizendo ao marido que eles podem passar por isso juntos, mas que precisam sair do Princeton-Plainsboro Hospital para que possam recomeçar seu relacionamento, o que eles anunciam tão logo chegam ao trabalho naquele dia. Os planos do casal são de ir embora imediatamente. Acontece que Foreman — vivido por Omar Epps —, que ajudou Chase a ocultar a verdade sobre Dibala durante as investigações no hospital, cobra que ele lhe deve o favor de pelo menos ficar até o final do caso, pois de outra forma ele seria o único médico a ajudar House. A história se desenvolve até o momento em que Chase diz a House que prefere ficar na equipe, mesmo sem saber se isso afetará seu casamento ou não, uma vez que ele tem dúvidas quanto ao porquê de a esposa o haver perdoado.

Eu sempre soube

Eu sempre soube

Nos minutos finais do episódio, Cameron confronta House, dizendo que ele arruinou completamente a carreira do marido, já que ele não consegue mais discernir entre o que é certo e errado. Ela admite que o amou, mas que esse amor acabou ao longo do tempo, enquanto ela tentava entender e compreender o médico. Também diz que a mesma coisa aconteceu com o amor por Chase, graças aos últimos acontecimentos e revelações. A moça beija House no rosto, como sinal de que está deixando a equipe após quase seis anos, e, nas cenas finais, aparece deixando o marido.

Tudo isso confirma notícias já fornecidas anteriormente por Michael Ausiello, jornalista da Entertainment Weekly, sobre a saída de Jennifer Morrison do elenco da série. Segundo ele, a personagem seria eliminada da série não por vontade da atriz, mas sim como parte de uma solução criativa adotada por parte dos produtores. A atriz não sabe se voltará, em algum momento, a participar como membro fixo do elenco — por ora, aparentemente, poderá aparecer como guest star.

Sentirei falta da atriz e da personagem, sinceramente. De qualquer maneira, só me resta citar as palavras de Mickey O’Connor, do site TV Guide, pois penso o mesmo:

Jennifer Morrison‘s departure from House was as decisive and high-minded as Cameron herself. Similarly, kudos to the talented actress for handling her dismissal from the show with such grace and honesty. Here’s hoping it was all some sort of bad pharmaceutical side effect and she’ll be back at Princeton-Plainsboro soon. [TV Guide, formatação por minha conta]

Bom… Até a volta, Cam.

Escreva um comentário

Comentário