Toda velocidade à frente!!

Need for Speed

Uóuóuóuóuóuó… Sabe a sirene dos bombeiros? Pois então… é assim o barulho dela!!!

Eu simplesmente adoro andar no caminhão de bombeiros que tem em um dos shoppings aqui da cidade… Hoje foi mais uma uma das oportunidades de fazer isso, e eu nem pensei duas vezes. Fui logo pra dentro dele!!! Mamãe e papai, que estavam me esperando, viram como eu viajo rápido com meu caminhão, e não perderam tempo: Bateram uma foto!!

Aderindo aos Tweetbacks

Qualquer um que já tenha escrito pelo menos meia dúzia de artigos em um blog sabe o que é  — ou, pelo menos, já ouviu falar de — um linkback: Também popularmente conhecido como pingback ou trackback, trata-se de um mecanismo que notifica um autor, em seu próprio blog, todas as vezes em que outras pessoas fazem menção a um ou mais artigos seus em outro endereço da Grande Rede de Computadores.

Exemplos de tweetback por aqui

Exemplos de tweetback por aqui

Pois bem: Depois de haver recentemente instalado e saudado com entusiasmo o TweetDeck, me dei conta de alguns links interessantes que mencionavam alguns artigos que eu havia escrito por aqui recentemente. Minha conclusão óbvia é de que, assim como alguns blogueiros têm evoluído para formas aleatórias de microblogging, as pessoas têm usado também seus serviços de microblogging — sobretudo o Twitter como forma de linkback. Esse novo tipo de link, chamado tweetback, foi na verdade introduzido no começo deste ano por Rachel Cunliffe, em seu post  10 Ways Twitter Will Change Blog Design in 2009, publicado no site Mashable:

Bloggers will start to add ââ?¬Å?Tweetbacksââ?¬Â to their blog posts. The simplest version will show the number of people who have tweeted this post (including all reverse engineered tinyurls). Tweetbacks are not yet available.

Options will include:

  • Showing what tweeters are saying about the post
  • Replies to those tweets from others
  • Showing who is tweeting the post
  • Showing the tweeters’ avatars
  • Ordering tweeters by Twitter influence
  • Mixing tweets in with comments, rather than displaying them separately

Imaginei logo que eu deveria aderir a algum tipo de integração dos assim chamados tweetbacks com o meu próprio blog: Minha motivação foi realmente o fato de acreditar que as pessoas efetivamente têm passado menos tempo visitando e comentando posts dos blogs, e que têm dado preferência ao Twitter, para tanto. Depois de procurar um pouco por aí, acabei fazendo algumas experiências e me decidi com relação ao plugin Tweetback, escrito por Florian Holzhauer.

De maneira resumida, ele é capaz de varrer o Twitter em busca de links que apontem para os artigos do blog, mesmo que eles estejam ocultos por serviços de URL shortening — atualmente, aliás, são suportados, além do tinyurlpadrão —,  o is.gd e o bit.ly, sendo que o autor já prometeu suportes adicionais em breve. Uma vez encontrados estes links, eles são transformados em tweetbacks, e publicados no blog acompanhados dos avatares de seus autores, no Twitter.

Opções do plugin

Opções do plugin

Para não dizer que a instalação foi totalmente plug and play, a única coisa que resolvi fazer foi uma edição no arquivo PHP fonte, apenas para aumentar o tamanho do avatar padrão, para que ele coincidisse com o tamanho que venho usando no blog.

Seja como for, o importante é saber que qualquer comentário ou reação aos meus artigos que venha via Twitter agora passará a ser capturados por aqui — figurando na barra lateral, junto aos comentários feitos direto no blog —-, o que me permitirá ter uma idéia melhor das reações com relação ao que eu escrevo. Espero ter boas surpresas… 🙂

Twitter pelo TweetDeck é uma maravilha!

tweetdeck_birdJá dizem vários amigos meus que, de tempos em tempos, é inevitável que você precise reformatar seu computador. Há menos de uma semana foi a minha vez de passar pela enésima vez por essa experiência, de forma que eu ainda nem tive tempo de reinstalar a maioria dos programas que venho usando no dia-a-dia.

Entre estes programas está o Twhirl, cliente para interação com o Twitter implementado em Adobe AIR, do qual eu gosto muito. Acontece que hoje, no momento em que eu estava me preparando para reinstalá-lo, acabei me deparando com um interessante artigo do site Mashable, listando justamente os clientes de Twitter mais populares da atualidade, baseado em informações do site TwitStat, e me deparei com o primeiro da lista: O TweetDeck, que também é baseado em Adobe AIR.

Preciso dizer que eu já havia cruzado com a ferramenta antes, gravando-a em meus bookmarks, para eventualmente testá-la qualquer dia desses. Acontece que, como a lista que encontrei demonstra que a aplicação está duas posições   frente do Twhirl, resolvi experimentá-la para saber se era tão bom assim.

Minhas conclusões foram muito positivas.

Logo depois de instalar e configurar o TweetDeck, uma ampla janela com tons de cinza e preto é aberta. Nela são apresentadas, a princípio, três colunas: A primeira com os status mais recentes de todos os seus contatos (All Friends), a segunda com todas as suas replies mais recentes e a última contendo todas as direct messages enviadas a você. Exceto pelo fato de apresentar as informações em três colunas, nada difere,   primeira vista, do Twhirl.

Exemplo de grupo

Exemplo de grupo

Mas as semelhanças param exatamente ai. O TweetDeck se mostra muito mais poderoso, pois permite gerenciar seu tweet feed, dividindo as informações em grupos menores.

Você pode, por exemplo, criar um grupo separado a partir de todos os seus contatos, de forma a acompanhar suas atualizações mais facilmente. Isso pode ser útil, por exemplo, para separar as mensagens dos colegas da faculdade daquelas do trabalho. Ao lado, para ilustrar este artigo, criei um grupo de exemplo, a partir do meu blogroll.

Algumas funções do TweetDeck

Algumas funções do TweetDeck

Outra coisa muito bacana, na minha opinião, é poder utilizar um recurso similar para apresentar em janelas separadas o resultado de suas buscas. Entre estas buscas podem estar nomes de usuário — inclusive @replies dadas a este —, #hashtags e quaisquer palavras soltas. Estas janelas vão se acumulando   direita da interface do TweetDeck, com o número de resultados encontrados para cada uma. A partir daí, os resultados podem ser filtrados, excluídos e marcados como lidos a bel prazer.

Mas o melhor aspecto da coisa mesmo, na minha opinião, é o fato de que, a exemplo das colunas padrão que citei acima, todas estas janelas personalizadas com grupos e buscas vão sendo automaticamente atualizadas   medida em que novas chamadas   API do Twitter são feitas. , o Na prática, isso faz com que a utilização do TweetDeck torne a leitura de tweets muito mais proveitosa, divertida, e até mesmo mais produtiva.

Sinto muito, Twhirl. Você perdeu.

Tooncast: Eu quero!!!

Vou direto ao ponto: Desde quando o Boomerang anunciou, em 2006, que faria sérias mudanças em sua grade de programação, retirando A Pantera Cor de Rosa, Space Ghost e Popeye do ar — isso pra não mencionar vários outros — para passar a exibir séries teen e pequenos enlatados mexicanos, que eu digo que fiquei foi na saudade.

Como eu mencionei na época, sou um verdadeiro fanático por esses verdadeiros clássicos, e aceitava numa boa as acusações da minha esposa, que me dizia,  s vezes, que parecia que o único motivo pra eu assinar TV via satélite era para assistir desenho animado — já que isso nunca foi, afinal, uma mentira, em termos.

Embora hoje em dia eu até consiga encontrar algumas alternativas online para suprir minhas crises de saudosismo — vejam, por exemplo, o Boomerang On Demand, canal disponível na Justin.tv, ou uma série de outros que estão   espera de uma busca —, nenhuma delas chega sequer perto do que era o original   época — talvez, aliás, pelo fato de não haver nenhum streaming ao vivo de programação.

Pois bem. Somente essa semana, depois que um amigo do trabalho comentou comigo sobre uma notícia divulgada no Omelete em novembro do ano passado, é que eu fiquei sabendo do lançamento do Tooncast:

tooncastA Turner International do Brasil apresentou   imprensa seus novos canais e anunciou alguns dos novos programas que estréiam nos próximos meses e em 2009.

A maior novidade é a volta de um canal dedicado aos desenhos animados de antigamente. Os órfãos do perfil inicial do Boomerang, que exibia os clássicos dos anos 70 e 80 da Hanna-Barbera, já têm como resolver sua crise de abstinência. Batizado Tooncast, o novo canal estréia no dia 1ú de dezembro com 24 horas de animação sem intervalos comerciais. A grade terá, ainda, produções do Cartoon Network, como A Vaca e o Frango, Coragem, o Cão Covarde e Laboratório do Dexter.

Entrei no site oficial do canal e me deparei, logo na abertura, com uma vinheta que me lembrou em muito o Cartoon Network da década de 1990 — a música é praticamente igual. Também fiquei com aquela impressão que dava o slogan do Boomerang até abril de 2006, “o que é bom, volta”:

youtube
please specify correct url

A grade de programação do canal ainda está em elaboração, mas dá pra ver as presenças de Popeye, Johnny Quest, Manda Chuva, Os Flintstones, Os Jetsons e Pernalonga. Além disso, ratificando a sensação de Cartoon Network dos anos 90, há um bloco dedicado ao programa What a Cartoon Show, que servia, na época, como um laboratório para as idéias de novos artistas, e que foi o responsável por ceder espaço  s primeiras aparições de A Vaca e o Frango e As Meninas Super-Poderosas. Com tudo isso, é claro, aumentou a vontade de ter o canal em minha grade de programação.

Mas, para minha infelicidade, não encontrei qualquer evidência recente de que as grandes operadoras — como a NET ou a Sky — estejam em negociação ativa para inclusão do Tooncast em seu line-up. Na verdade, nem mesmo as operadoras de TV de pequeno porte mencionadas pelo site RetrôTV numa notícia mais antiga — datada de agosto de 2008 — parecem mais estar disponibilizando o canal em suas programações.

Pode ser que essa ausência de negociação se deva ao fato de que as grandes estejam esperando para ver se o canal decola — o que, se depender dos milhares de órfãos dos clássicos do antigo Boomerang, certamente deve ocorrer —, ou até mesmo ao fato de que talvez as coisas estejam acontecendo nos bastidores. De fato, neste caso, a única certeza é que será preciso dar tempo ao tempo, e esperar que em breve as respostas surjam. E, é claro, se alguém souber de alguma coisa nesse meio tempo, me avise, por favor… 🙂