em Tecnologia

Quatro carros que querem ganhar os céus

No já longínquo ano de 1940, Henry Ford, então presidente da primeira fabricante de veículos do mundo declarou: ââ?¬Å?Marquem minhas palavras: Uma combinação de avião e carro está chegando. Vocês podem dar risada. Mas ela virá…ââ?¬Â. “O quanto Ford está certo, considerando os avanços tecnológicos de quase 50 anos depois?”, foi o que eu me perguntei ao ler essa frase.

Para responder   minha própria dúvida, resolvi procurar e listar alguns possíveis candidatos ao feito de se tornarem, efetivamente, o primeiro veículo híbrido de carro e avião a cruzar os céus mundiais, dando fama e fortuna instantâneas a seus desenvolvedores. Agora eu divido com vocês as minhas descobertas — aliás, alguém deve reparar, o número de projetos é bem considerável, cada qual tentando por conta própria alçar vôos ambiciosos.

transition.jpg

Em outubro do ano passado eu mencionei por aqui o Transition, carro voador cujo modelo de prova de conceito ainda se encontra em construção. Fruto da imaginação de um grupo de estudantes do MIT que fundaram uma empresa para produção do misto de aeronave e automóvel — a Terrafugia —, o veículo parece que vai mesmo ganhar os céus em 2009 a um sugerido — e salgado — preço de cerca de US$ 150 mil.Digo isso porquê o projeto parece estar avançando bem, pelo menos de acordo com o último newsletter da companhia, que menciona não apenas o término de dois dos quatro componentes principais do protótipo em construção, feitos de fibra de carbono, mas também a participação do grupo na Exposição de Aviação Exportiva em Sebring, na Flórida, agora em janeiro. Lá eles exibiram um dos diferenciais de sua invenção, a capacidade da asa em se dobrar, conforme o vídeo a seguir.

youtube
please specify correct url

Outros competidores, no entanto, podem ameaçar o possível mercado dos estudantes de tecnologia. A Milner Motors, por exemplo, é uma empresa canadense que está desenvolvendo um veículo que chama de AirCar. Sua invenção, uma vez disponível para compra, não apenas terá as mesmas asas dobráveis características do Transition, mas também terá uma capacidade maior — levando de 4 a 5 passageiros, contra apenas dois prometidos pelo rival. Em solo terá o mesmo tamanho de um Toyota Corolla ou Honda Civic. A vantagem dos canadenses é que seu protótipo, construído ao longo de 2007, já está totalmente pronto. Em 2008, segundo dizem, seu foco será o estudo de viabilidade e custo para que então possam fabricar o AirCar em escala.

080124_allthreew.JPG

Em relação ao Transition, o que eu sinceramente não gosto são as hélices traseiras, usadas para impulsionar o veículo em seu vôo. Apesar de juntas as duas serem responsáveis por conduzir vôos de até 1600km de distância a uma velocidade de cerca de 321 quilômetros por hora, admitamos: são feias de doer. Um outro ponto fraco do carro voador canadense é seu preço: Salgados US$ 450 mil, isso pelo menos conforme esta nota!

Um pouco menos ambicioso — e provavelmente muito mais barato — que os projetos das empresas que citei acima é a iniciativa do piloto de testes russo Alexander Begak, que desenvolveu uma espécie de bólido voador ao qual batizou de Evolution. Seu veículo é capaz não apenas de rodar em estradas comuns, como também deslizar sobre a água e a neve, além de voar, é claro.

evolution.jpgTudo isso, segundo o inventor, é possível graças a um pára-quedas que atua como uma leve e portátil asa para o veículo, que levou dois anos para ficar pronto. Sua estrutura feita em plástico e fibras de Kevlar é muito leve. Tem apenas 60 quilos. Alexander defende a sua criação, que pode transportar uma ou duas pessoas, dizendo que o veículo pode voar lentamente — a cerca de 15 quilômetros por hora —, o que o torna ideal para pescar, caçar ou outras atividades de lazer. Também pode ser mais rápido: Com seu motor de 30 HP, chega a até 160 km/h em vôo e 80 km/h em terra, e tem autonomia de 400 quilômetros.

Os problemas desse veículo, a meu ver, apesar dos mais de 100 vôos completados com sucesso, são sua falta de indicação de produção comercial e o seu aspecto amador: A coisa parece muito mais uma asa delta do que qualquer coisa…

Menos amador parece ser o projeto da Moller International. A empresa está   frente do desenvolvimento do Skycar, em tese o primeiro veículo pessoal VTOL – Vertical Takeoff and Landing Vehicle do mundo — capaz de decolar e pousar na vertical, tal como faz um helicóptero, mas ao mesmo tempo de voar como um avião comum.

O Moller M400

Seu avanço mais impressionante é o M400, que comportará o transporte de quatro passageiros. A invenção, que está em fase de testes de vôo, já figurou em diversos programas americanos, como o Today Show da NBC e o 60 Minutes, da CBS. De acordo com os desenvolvedores, o veículo híbrido conta com uma velocidade máxima de impressionantes 603 quilômetros por hora, ou seja, o dobro, em média, de um avançado Fórmula 1. Além disso, abastecido com Etanol, seu consumo é de cerca de 8 quilômetros e meio por litro. Até que para um carro que voará, pode ser considerado econômico.Muito mais adiantado em relação aos outros mistos de avião e carro que eu mencionei anteriormente, a Moller já despertou o interesse de diversas empresas do setor aeronáutico que, em tese, teriam procurado a companhia para oferecerem joint ventures: Entre elas, supostamente, a Boeing. O presidente da empresa, Paul Moller, no entanto, desmentiu publicamente o interesse da gigante da aviação americana.

Mas nem tudo são flores. Uma outra notícia relativamente recente — do final do ano passado — deu conta de que a empresa estaria passando por turbulências financeiras, acumulando déficits que, até aquela data, já ultrapassavam US$ 40,5 milhões. Isso significa que os donos do negócio têm sérias dúvidas de que conseguirão levar o projeto adiante.

Como dá pra perceber, não é nada simples desenvolver o que alguns especialistas chamam de próxima tendência dos meios de transporte domésticos. Mesmo passados quase 50 anos da afirmação de Henry Ford, acredito que ainda deva levar algum tempo até que você ou eu possamos ser vistos pelas ruas da cidade — ou por seus céus, na verdade — pilotando um carro voador.

[ratings]

Escreva um comentário

Comentário