Eternally stuck in beta version

Sistema operacional na web? Não, obrigado.

Quando o assunto é web office, me considero bastante conservador. Mesmo já tendo razoavelmente experimentado o Google Docs, por exemplo, devo admitir que não me arrisco a dar aquele passo além, migrando todos os meus documentos para uma plataforma diretamente localizada na grande rede de computadores. Na prática, isso significa que meus arquivos de uso mais freq¼ente ainda gozam mesmo é da proteção dos meus hard disks.

Mas para aqueles que são mais arrojados do que eu, a idéia de migrar não apenas os softwares de produtividade de escritório — como planilhas eletrônicas e processadores de texto — para a Internet, mas todo o sistema operacional, criando o que alguns especialistas chamam de WebOS ou Webtop, pode vir a calhar.

Um exemplo de WebOS é o Cloudo.

Os desenvolvedores do Cloudo — que não é pioneiro em seu segmento, mas tem chamado a atenção da crítica especializada pelo belíssimo visual que estão dando ao produto — dizem que a idéia por trás da sua iniciativa é proporcionar aos usuários a comodidade de acessar seu desktop de qualquer lugar do mundo.

Isso tornaria mais fácil contornar imprevistos como esquecer a cópia da apresentação para a reunião no computador de casa, ou se lamentar por não haver trazido as fotos das férias para os amigos verem, por exemplo. Ou seja, uma interface 100% web seria o fim de dispositivos hoje cada vez mais populares como pen drives ou MP3 players.

O Desktop do Cloudo (via TechCrunch)

Embora ainda não exista nenhuma versão aberta para testes públicos, descobri que o Cloudo conta com recursos como gerenciamento e armazenamento de arquivos, widgets, cliente de email e muito mais. Além disso, seu visual padrão poderá ser substituído por temas que lembram diversas versões de Windows, Mac e Linux, o que deve agradar gregos e troianos e fazê-los sentirem-se em casa.

Como eu não pus — e nem vou poder pôr, tão cedo — minhas mãos no produto, não arriscarei ficar falando demais para não me arrepender depois. Mas ao menos parece que o Cloudo será muito mais atrativo do que o Jooce, outro exemplo de WebOS, este sendo um que já conheço.

Há mais tempo no mercado e já em beta público, inclusive em português, nem mesmo todas as firulas gráficas proporcionadas pelo flash da interface do Jooce — vide abaixo — me convenceram. A verdade é que me deu a sensação de algo estranho demais de usar, e eu simplesmente não me senti   vontade.

Além disso, o Jooce não conta com aplicações como processadores de texto ou planilhas eletrônicas, jogos ou qualquer outra coisa. Você se limita a ouvir música, entrar no chat e assistir a vídeos, ainda que esse conteúdo todo possa ser compartilhado com outros usuários. É a tentativa de misturar rede social com sistema operacional.

O meu Desktop no Jooce

No fim das contas, o que estou tentando concluir é que não me importa o quanto os desenvolvedores insistam que o nome dessas interfaces seja sistema operacional. Eu ainda preciso de outro sistema operacional para que o navegador web seja carregado antes de usá-las, e convenhamos, não acho que compense ter mais uma camada de software rodando além da primeira, quando um pen drive e um comprimido para a memória podem atuar juntos evitando o esquecimento de arquivos.

Definitivamente essa possível onda de sistema operacional on line não é pra mim.


Reader Comments

  1. acabei de lembrar que tenho um post em rascunho desde o final de 2006 sobre 7 webos. naquela época baseei o texto em um artigo do read write web que discutia sobre a precocidade da onda de sistemas operacionais online que a web 2.0 trouxe e qual a real utilidade disso para o usuário comum, não esquecendo, é claro, a segurança e a privacidade dos dados ali confiados.

    pretendia fazer uma análise de cada um deles, mas o tempo acabou enterrando o artigo, lembro vagamente da bonita interface do goowy, e que o grande problema era a banda larga exigida para não passar raiva. em meados do ano passado também conheci o wixi, mas assim como você nunca consegui me “apegar” aos webos, como ainda somos obrigados a rodar um OS instalado na máquina para acessar a internet, não existe motivo para eu transferir algumas aplicações básicas para a lentidão da web, acho que algo simples como o box.net já resolve o problema =)

    []

  2. Eu também entro na lista dos que não se interessaram pelos WebOS. Testei apenas um, que nem me lembro o nome, mas realmente não me chamou a atenção. Parece meio estúpido rodar dois OS ao mesmo tempo, para fazer coisas que você pode fazer apenas no seu desktop, de maneira mais rápida e sem perigo de perder dados com um timeout ou uma possível queda da internet, além de gastos de banda, que no meu caso é medido.

    Como o kadu disse aí em cima, acho bem mais interessante usar o box.net, ou outro qualquer, para criar backups online do seu conteúdo “emergêncial”, à rodar um sistema dentro de um navegador de um sistema já instalado. Soa até confuso. 😛

  3. Também não curto esse esquema de desktop online, mas nesssa onda já entra a crítica de um amigo que me acusa de heresia por guardar tudo no gmail.
    Abração

  4. Eu particularmente sou um fã de sistemas baseados em web. Estou focando meu trabalho para essa área. Migrei muitos aplicativos para web como leitores de rss, emails, agendas, etc. Mas ainda tem muita coisa que precisa ser feita para a idéia de suítes p/ escritório, sistemas operacionais e afins darem certo. No estágio atual eu acredito que o melhor seria usar tanto o desktop quanto o webtop, de acordo com a necessidade.

    Mas pode ter certeza que daqui alguns anos o sistema operacional online vai virar uma realidade praticável. Teremos muitos computadores com conceitos de ‘cliente fino’ rodando por aí. Só terá computador completo quem realmente precisar de processamento.

  5. preciso fazer um trabalho sobre webOS. Alguem poderia me explicar resumidamende como é o funcionamento desses softwares?

  6. Acredito que WebOS deveria ser um sistema operacional completamente na maquina do usuário podendo acessar usando um browser e funções de disco que ao invez de serem na máquina local fosse remota, assim todos os programas estariam na Web e o S.O deveria ser somente configurado para entrar na estação de trabalho.

    O que vejo por ai é somente uma moda e que não irá pegar tão cedo.

    Até mais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *