em Dicas e tutoriais

O PIS da questão

Um amigo precisou, de última hora ontem, do número do seu PIS. O problema disso é que não se trata de uma informação trivial, como o número do CPF ou do RG, que muita gente decora e tem na ponta da língua: O meu PIS, por exemplo, como imagino que seja o caso da maioria de vocês, está grampeado no anteverso da minha carteira de trabalho, que, por si só, não costuma ser um documento que alguém carregue pra cima e pra baixo consigo.

Assim sendo, lá pelas tantas de ontem, meu amigo tinha constatado exatamente isso: Como fazer para obter o PIS de uma maneira trivial, já que até mesmo o nosso departamento de Recursos Humanos, graças ao último dia de expediente do ano, já havia dado tudo por encerrado, e ninguém de lá atendia o ramal?

Graças a Deus, no entanto, descobrimos uma maneira simples de conseguir esta informação, e eu resolvi dividir nossa descoberta por aqui, já que muita gente pode, mais cedo ou mais tarde, se ver numa situação em que o PIS pode ser necessário.

Em primeiro lugar, lembremos que o PIS é um documento da Previdência Social. Assim sendo, a primeira coisa que se precisa fazer é uma visita   esta página do governo. Uma vez lá, deve-se procurar um link — até onde verifiquei, na região superior da página — denominado Trabalhador sem previdência.

Dentre as opções que estarão disponíveis, deve-se selecionar a Inscrição na Previdência Social. Isso fará com que um formulário seja apresentado, e nele deverão ser digitados seu nome completo, data de nascimento, nome da mãe e CPF válidos. Aí é que se vê o grande pulo do gato, já que, se o cadastro existir e estiver ativo, será exibido o número do PIS, bastando então apenas anotá-lo em algum lugar. E pronto.

Felizmente o PIS é um documento cujo número é de simples recuperação. Mas nem todos eles são facilmente recuperáveis: Procurar o próprio número do CPF, por exemplo, exige do cidadão procurar uma unidade da Receita Federal para orientações, já que existem questões de sigilo fiscal envolvidas.

A isso faço uma crítica: Porquê é que neste país precisamos de tantos documentos diferentes, afinal de contas? Me parece mais um dos artifícios governamentais para fazer com que o cidadão brasileiro se perca entre RGs, CPFs, CNHs e Títulos de Eleitor, isso para não mencionar outros. O cidadão brasileiro poderia ter um documento único, que não apenas desse acesso a direitos e benefícios, mas também comprovasse sua  identidade e capacidade para dirigir ou exercer direitos eleitorais, por exemplo. Sabendo que há vários países no mundo onde isso já acontece, resta saber se um dia as coisas por aqui serão assim…

Escreva um comentário

Comentário

  1. Oi Daniel!
    Parabéns por ter postado este artigo!
    Precisei do número do meu PIS de última hora e, através do seu site, consegui obtê-lo.
    Muito obrigada!!!
    Tatiana