A biometria chega aos bancos

palmsecure_bradesco.jpgSe tudo correr conforme o planejado, o Bradesco deverá ser o primeiro banco nacional a utilizar um parque de equipamentos totalmente equipado com sistemas de identificação de clientes através da biometriaBiometria é a medida de características físicas ou comportamentais das pessoas como forma de identificá-las unicamente. [fonte]: Através de uma técnica para a identificação de pessoas que é pouco difundida no país — uma vez que o sistema biométrico mais conhecido por aqui é a leitura de impressões digitais —, foram introduzidos este mês alguns novos terminais de auto-atendimento que utilizam a leitura de padrões vasculares das mãos das pessoas para identificá-las.

Os equipamentos — scannners desenvolvidos pela japonesa Fujitsu e denominados PalmSecures — são o resultado de parte dos R$ 1,5 bilhão destinados   melhoria das tecnologias de segurança para os clientes no ano passado, investidos na biometria. Até o momento, existem 40 terminais equipados com a nova tecnologia, espalhados por agências localizadas nas duas maiores capitais brasileiras, São Paulo e Rio de Janeiro, em fase de testes com os clientes, o que mostra mais uma vez que há a grande possibilidade de sistemas de identificação como este saírem de vez das histórias de ficção e se somarem   segurança que hoje já é dada por senhas, chips de computador e perguntas secretas.

O que mais me impressiona no sistema da Fujitsu é que o scanner funciona sem que seja necessário contato físico com o equipamento, apenas através da aproximação da palma da mão: Num primeiro acesso, os padrões venais de qualquer pessoa — únicos até mesmo entre gêmeos idênticos — são armazenados e posteriormente usados para permitir ou negar o acesso  s transações bancárias de cada conta. Estes padrões são tão únicos que, se uma pessoa usar a mão direita para se registrar e depois disso tentar se autenticar com a mão esquerda, terá seu acesso recusado, com um percentual de erro de menos de 0,00008%.

O grande receio parece residir mesmo é no hábito de se utilizar, no dia a dia, equipamentos como este: Embora tenham sido escolhidos pelo Bradesco, entre outros motivos, por propiciarem uma forma extremamente higiênica de autenticação, muita gente pode ter dúvidas dignas de grandes estórias policiais: Uma delas, por exemplo, diz respeito ao fato de que os marginais poderiam decepar a mão de alguém só para acessar grandes somas de dinheiro, o que não adiantaria nada, pois é preciso que haja sangue correndo nas veias para que a autenticação se realize.

De fato, se a aceitação for positiva, todos os 24 mil terminais do banco deverão ser trocados até 2010, a um custo por scanner que se espera chegar aos US$ 100. Além disso, outros dois grandes bancos do país, o Itaú e o Unibanco estão em fase de pesquisa de soluções similares. Ou seja, desde leitores de padrões das veias de sua mão até a possibilidade de seu reconhecimento através da retina, é bom que nos acostumemos com as autenticações biométricas que nos reservam o futuro. Por hora, eu só lamento mesmo é não poder testar um equipamento destes pessoalmente… Quem mandou não ser correntista do maior banco do país, não é mesmo?Meus agradecimentos vão para o Kadu, que como um dos meus 6 fiéis leitores sabe que adoro o assunto e que me enviou um link que me levou a este post.

DVD Players por R$ 38

durabrand1005.jpg

Esta semana vi a notícia de que a Asda está oferecendo um DVD Player por ã 9,00 , ou cerca de R$ 38,00 no mercado internacional. A empresa — que está fabricando o aparelho na China — é uma subsidiária do Wal-Mart, a maior rede varejista e segunda maior empresa do mundo.

Esta é a prova de que os reprodutores de mídia estão passando pelo mesmo fenômeno que as impressoras jato de tinta: Em algum tempo será mais barato comprar um aparelho de DVD do que o próprio DVD, assim como uma impressora se paga — para o fabricante, é claro — quando o usuário adquire dois ou três cartuchos para recarga.

Aliás, verdade seja dita, se buscarmos com cuidado na Internet, veremos que esta realidade já é válida aqui no Brasil, pelo menos em alguns casos como este: Existem aparelhos de DVD   venda por cerca de R$ 100   vista, enquanto que boxes com temporadas de algumas das séries exibidas nos canais pagos, como Lost, são comercializados por valores quase três vezes maiores.

A pergunta é: Será este fenômeno que já ocorre com os DVDs no Brasil algo isolado, ou estaremos prontos para ingressar na mesma categoria de países como a Inglaterra, onde os preços de equipamentos eletrônicos como MP3 Players, TVs de plasma e laptops caíram cerca de 74% nos últimos dez anos, transformando tais itens quase que em artigos de primeira necessidade, ao invés de supérfluos? Na minha humilde opinião, ainda estamos longe de tal situação…

Diversão na minha toca!

Lembram da toca de bolinhas que ganhei no Natal? Então… ela tem me rendido alguns bons momentos de diversão! Que o diga o meu papai, que hoje estava em casa, sentado ao computador, quando eu, de repente, resolvi que ia puxá-lo pela mão… chamei a atenção dele, fiz com que ele levantasse e indiquei a minha toca com a mão, enquanto puxava ele pelos dedos.

Não sosseguei até que eu fizesse com que ele entrasse na toca!! Ficou um pouco apertado pra nós dois lá dentro, mas sabem como é… apesar de não ser daquela época em que diziam sempre cabe mais um, foi exatamente isso que eu pensei: E como se já não bastássemos lá dentro o papai, eu e mais umas duas centenas de bolinhas coloridas, ainda resolvi levar pra dentro da toca o Bidu — meu cachorrinho inflável —, o Yumel, a minha vaquinha de pelúcia e, de quebra, uns lápis de cor e meus cadernos de desenhar. Depois disso, entrei na toca de novo!

Papai e eu na toca!!

Ficamos tão engraçados lá dentro que mamãe, quando viu aquela nossa situação, não teve remédio: Foi logo pegar a câmera pra registrar esse momento divertido!! Papai já mandou avisar, é claro, que na próxima vez, quem vai pra dentro da toca é ela… Será que eu consigo um novo recorde, colocando os dois lá dentro, mais os meus brinquedos?!

Perca o medo do Linux!

tux_msn.jpgTentem, como eu já tentei, falar das vantagens de um sistema operacional de código aberto com as pessoas em geral e verão que não se trata de uma tarefa das mais fáceis, ainda mais considerando que vivemos num mundo onde mais da metade dos usuários de computador sequer sabe o que são sistemas operacionais. As pessoas, quando querem comprar um computador, simplesmente vão a uma loja qualquer — o magazine da esquina, por exemplo — e compram um PC, ou esperam que um amigo visite o Paraguai para lhes trazer um computador e daí pagam mais algum dinheiro — por fora — para que outro alguém, obscuramente, lhes instale o Windows, porquê, afinal de contas, sem ele o micro não funciona.

Mas não funciona exatamente porquê o Windows é, nada mais, nada menos, do que um sistema operacional. Me desculpem aqueles que já o sabem — e, se quiserem, podem descer mais além no artigo — mas é preciso esclarecer o quê é um sistema operacional o mais rápido possível: Trata-se de um programa que gerencia não apenas o seu hardware — ou seja, os componentes do seu computador, a parte física dele — mas também o software — tudo aquilo que você instala nele, os programas, jogos e tudo mais —, a memória, e mais um monte de coisas. Sem um sistema operacional, você estaria frito se quisesse navegar pela Internet, gravar CD’s, ouvir música ou fazer qualquer outra coisa que lhe desse vontade   frente de um computador.

Eu sei que não há discussão: O Microsoft Windows é, sem sombra de dúvida, o sistema operacional mais famoso do mundo, e, muito provavelmente, você pode estar usando uma cópia dele — mesmo que seja pirata — neste exato momento enquanto navega na Internet. A pergunta é: Você sabia que existem sistemas operacionais que fazem as mesmas coisas que o Windows, e que, enquanto o primeiro pode lhe custar algumas centenas de reais para adquirir, estas alternativas podem ser totalmente gratuitas?

Me lembrei agora que, no começo deste mês, um amigo me perguntou se eu poderia lhe ajudar a formatar um dos computadores que a escola onde ele trabalha tinha acabado de comprar, porquê ele tinha vindo com um tal de Linux instalado. Fiquei, confesso, um tanto quanto chocado com o pedido que ele me fez, e ainda tentei lhe contar como uma outra pessoa que conheço tinha, também, acabado de comprar um computador que também veio com o tal instalado e estava gostando bastante da experiência de usá-lo.

Foi um relato em vão: Seu argumentou foi o de que o pessoal da escola não se acostumaria com a utilização, e que, por lá, o Windows seria melhor, já que nem a impressora eles estavam conseguindo usar por conta deste tal Linux. Vencido, me vi obrigado a matar o ping¼im, para isso usando alguns rápidos – e doloridos – golpes de fdisk /mbr e a instalar, a pedido dele, uma cópia perna-de-pau de Windows.

Apesar da história deste meu amigo, há cada vez mais gente se interessando pelo Linux que, hoje, já é utilizado em diferentes aplicações: Não apenas há um número crescente de computadores pessoais que o têm instalado, mas caixas eletrônicos, telefones celulares e supercomputadores também são movidos pelo sistema, cujo núcleo principal — ou kernel — foi desenvolvido pelo finlandês Linus Torvalds em 1991.

Como citei no início, o Linux é um sistema de código aberto. Isso significa que qualquer pessoa que tenha conhecimento mínimo de programação pode alterá-lo   seu gosto, implementando melhorias e criando novas distribuições. Por sinal, dentre as distribuições mais populares que eu conheço estão:

Mandriva Linux

mandriva.jpgO Mandriva Linux — antigamente conhecido como Mandrake — é uma das distribuições mais populares entre usuários novatos de Linux, principalmente aqueles que buscam uma alternativa ao Microsoft Windows, já que sua interface lhe é bem similar. Foi criado em 1998, também com um nobre objetivo: Tornar o Linux acessível a todos e disponibilizar uma enorme biblioteca de programas e uma interface de fácil utilização.

Debian GNU/Linux

debian.jpgO Debian GNU/Linux é outra distribuição Linux completamente gratuita que foi concebida por Ian Murdock, em 1993. Esta distribuição em particular se destaca por sua extensa documentação e pela grande comunidade de usuários. Trata-se de um software particularmente estável e com um processo de instalação muito simplificado. Uma ferramenta muito especial, chamada apt-get, se originou com ela, e hoje habita diversas outras distribuições, como o Ubuntu.

Ubuntu Linux

ubuntu.jpgDe acordo com a tradução que podemos encontrar no próprio site oficial, a palavra Ubuntu é africana e significa algo como ââ?¬Å?humanidade para os semelhantesââ?¬Â. Seus desenvolvedores têm o objetivo de trazer este slogan para o mundo do software, ao oferecerem uma distribuição completamente gratuita e que serve tanto para o uso doméstico quanto para gerenciar grandes servidores. Atualmente, o Ubuntu possui mais de 16 mil programas disponíveis, e é meu Linux de escolha.

Gentoo Linux

gentoo.jpgDentre todos os que citei, o Gentoo Linux talvez seja aquele que possui o processo de instalação mais chato — e também, o mais complexo — para os usuários menos pacientes. Trata-se de uma distribuição baseada em códigos-fonte, ou seja, sua instalação fornece pacotes que resultam em um sistema extremamente básico cujos componentes restantes devem ser configurado pelo próprio usuário, que os compilará a partir das fontes. Em resumo, você deve ficar longe dele se você é um novato.

Enquanto eu sei que a idéia de usar Linux pode parecer assustadora pra muita gente, devo dizer que a coisa não é tão difícil quanto parece. O exemplo mais clássico que posso citar é o de minha própria mãe, que, sem conhecer absolutamente nada do sistema, conseguiu ajudar um casal de amigos a usarem uma cópia do Mandriva Linux, em poucos minutos, para converter alguns CD’s para arquivos MP3.

ubuntu-installer.jpg

Além disso, há uma preocupação crescente em se tornar qualquer distribuição do Linux mais amigável na instalação, justamente o ponto onde muita gente esbarra ao sentir vontade de experimentar. A prova disso são os recentes lançamentos de instaladores automatizados que, de dentro do próprio Windows, podem ser usados para instalar no computador de qualquer pessoa o Ubuntu Linux ou o Debian/GNU — este último é encontrado, por sinal, no sugestivo domínio goodbye-microsoft.com .

Em resumo, o título deste artigo vale como o principal conselho, e como a conclusão final: Se você ainda não o fez, perca o medo do Linux, e usufrua de um sistema livre, em amplo desenvolvimento e que está mostrando, a cada dia que passa, ser um software particularmente notável…

Combo Speedy + VocêTV

Uma das coisas mais difíceis do mundo ultimamente tem sido encontrar notícias a respeito da VocêTV, o novo serviço de televisão digital por assinatura que tem sido ofertado em parceria da Telefônica com a empresa DTHI e que assinei no começo deste ano: Acredito que, pelo fato de a abrangência ainda não ser total no estado de São Paulo — o código de área 011, por exemplo, ainda não conta com o serviço, deixando muitos paulistanos e vizinhos destes ansiosos — a divulgação de novidades ainda se encontra um pouco prejudicada.

speedy_vocetv.jpg

De qualquer forma, acabei encontrando ontem uma notícia deveras interessante: Antes não passando de boataria de uma série de recém-assinantes como eu e de curiosos, agora a notícia se tornou oficial. Embora a compra da TVA pela Telefônica ainda precise de aprovação da Anatel, foi anunciada parceria comercial entre as empresas, que agora passarão a ofertar pacotes conjuntos de serviços de televisão por assinatura e internet banda larga. E de carona, a oferta também vale para a VocêTV:

No pacote básico de ambas, os preços são idênticos. As características é que mudam de uma empresa para outra. A Telefônica vai cobrar R$ 69,90 pela combinação de Speedy de 256 kbps e TV paga — com 43 canais, incluindo 10 da HBO, e serviço digital.

hbo_max_vocetv.jpgEmbora interessante e muito aguardado, o lançamento do combo parece ter afetado a oferta do pacote HBO Max Digital na VocêTV, o que era o atrativo para muitos que optaram — ou que estavam pensando em optar — pela mudança: Antes, assinando qualquer pacote de canais do serviço — mesmo a oferta básica — os 10 canais de filmes eram incluídos gratuitamente pelo período de um ano. Agora, ao assinar apenas a televisão digital, os canais só são ofertados na compra do pacote total, por R$ 79,90/mês, enquanto que, decidindo-se aproveitar também a oferta que inclui a internet banda larga, os 10 canais ficam na grade por 3 meses, reduzidos para apenas 4 deles depois disso, enquanto o valor promocional de R$ 69,90 sobe para R$ 89,90.

Independente da decisão que possa ser tomada pelos futuros assinantes, uma coisa é certa: O que faltava neste mercado nacional de internet e de TV por assinatura era justamente um pouco de concorrência. Agora basta esperar a resposta, por exemplo, da Embratel, que tem parceria, atualmente, com a NET. A guerra parece ter finalmente começado, e as batalhas são questão de tempo… quem será que vai ganhar?

Chegou o WordPress 2.1 “Ella”

Assim como já publiquei ontem no BlogAjuda:

Matthew “Matt” Mullenweg acaba de fazer o anúncio: Já está disponível para quem quiser fazer o download o mais novo WordPress, agora em sua versão 2.1, batizada “Ella”, nome dado em homenagem   cantora de jazz Ella Fitzgerald.

Nova tela de login do WP2.1

Aguardado por milhares de blogueiros ao redor de todo o mundo e também pela mídia em geral, o lançamento da nova versão do WordPress chega com um pacote enorme de novidades, que, supostamente, agradarão o mais exigente dos editores. Entre as principais novas características do “Ella” que devem agradar gregos e troianos estão:

  • Completo redesign da interface de administração: A interface ficou diferente e mais bonita. Agora é baseada no projeto Shuttle, que está em desenvolvimento desde 2005. Aliás, pode-se conferir algumas imagens da interface no próprio site do projeto.
  • Auto-salvamento: Chega de preocupações com a edição dos artigos. Com a nova característica de auto-salvamento, não será necessário se preocupar com perder um texto nunca mais, nem tampouco se utilizar de editores externos ao WP, cuja única finalidade muitas vezes, para muita gente, era justamente armazenar localmente uma cópia do artigo com propósitos de segurança.
  • Privacidade: Não quer que o conteúdo do seu blog seja indexado por sites de busca como o Google ou o Technorati? Tudo bem. Com as novas opções de privacidade da versão “Ella”, basta que você defina que o seu blog não deve enviar pings ou ser visto por estes sites!
  • Editor com abas: Para pôr fim ao dilema de usar ou não um editor visual — no padrão WYSIWYG, ou What you see is what you get, mais uma nova característica do “Ella” chega, muito bem recebida: A possibilidade de alternar entre este tipo de editor e a edição pura de código HTML, quando se bem entender, durante a edição dos artigos.
  • Verificação ortográfica: Para aqueles que se sentem   vontade com o editor visual da ferramenta, os desenvolvedores do WP agora incluíram o recurso de verificação ortográfica dos textos, o que certamente facilitará a publicação de textos mais corretos.
  • AJAX, AJAX, AJAX: O uso da tecnologia AJAX, que combina o poder do JavaScript e do XML, se faz ainda mais presente nesta nova versão do programa. Agora ela é usada para permitir operações como a criação de campos personalizados, moderação de comentários, exclusões de artigos e muito mais, tudo de forma mais rápida e prática.
  • Funções de importação/exportação XML “lossless”: As novas funções de importação e exportação XML que estão presentes na versão 2.1 foram desenvolvidas especialmente para quem precisa mover o conteúdo já existente em um blog com WP para outro, sem perda de conteúdo no processo.
  • Controle de homepage: Solicitada por muitos blogueiros e inclusive implementada — ao longo de todas as versões do WP — através de diversos plugins, a possibilidade de se selecionar qualquer página criada pelo software como sua página principal agora faz parte da versão 2.1. Desta forma, o sistema se aproxima mais de outros Content Management Systems (CMS),   medida que permite listar ou não os artigos ,mais recentes na capa do site.
  • Vida nova ao blogroll: O WordPress sempre foi conhecido por ser a primeira ferramenta para edição de blogs que conta com um blogroll — a lista de outros blogs e sites que você lê e visita — embutido. Agora este recurso ficou ainda melhor, com a adição de sub-categorias ao sistema, para que você organize ainda melhor os seus links.
  • Novo gerenciador de uploads: Agora o gerenciador que é utilizado para enviar conteúdo para o seu site — e, consequentemente, para publicá-lo em seus artigos — permite que sejam gerenciadas todasas imagens, vídeo e áudio de uma forma mais prática.
  • Novo feed de comentários: Agora o feed de comentários é mais democrático, por assim dizer. Ao invés de carregar apenas os 10 últimos realizados, traz todos eles.

Além destes e de muitos outros recursos voltados ao usuário final, o WordPress 2.1 “Ella” também deve agradar aos desenvolvedores, tornando mais fácil e rápido o desenvolvimento de plugins: O WP 2.1 agora possui, entre uma tonelada de outras novidades muito interessantes, uma pseudo-funcionalidade cron, para o agendamento de eventos na ferramenta, além de um carregador desenvolvido em JavaScript que deve tornar muito mais fácil a adição de recursos  s suas extensões.

Com a disponibilização da versão “Ella”, Matt também aproveitou para comentar o futuro do WordPress: Depois de afirmar que a série 2.x da ferramenta foi um sucesso sem paralelo — com mais de 1,8 milhão de cópias baixadas gratuitamente por blogueiros ao redor de todo o mundo — e que o compromisso da equipe com o suporte a bugs e demais problemas de segurança desta série deve se estender até 2010, ele falou sobre o ciclo de desenvolvimento, que não deve parar e deve passar a agradar ainda mais a legião de fãs do sistema.

Após ter passado os últimos três anos desenvolvendo o WP, a equipe decidiu por adotar um cronograma de lançamentos mais freq¼ente, assim como já acontece com outros projetos classificados como software livre. A exemplo do que ocorre com a distribuição Linux Ubuntu, onde atualizações de maior porte são lançadas várias vezes ao ano, a idéia é que o mesmo passe a ocorrer com o WordPress.

E para aqueles que já estão com as mãos coçando para saber o que vem por aí com a próxima versão — a 2.2 —, sua data de lançamento já está prevista, e deverá ser 23 de abril de 2007. O que mais pode impressionar no futuro, aliás, é o anúncio da equipe de desenvolvimento, que diz que a versão será baseada principalmente nos recursos e melhorias solicitados pelos próprios usuários do WordPress. Aliás, isso demonstra um enorme grau de confiança na comunidade de usuários que, aliás, podem votar, no próprio site oficial, nos recursos que consideram bons ou não para os próximos lançamentos.

Por hora, se você ainda não baixou a nova versão, não perca mais tempo!!

Motorola RIZR Z6

É desnecessário explicar o porquê de, recentemente, toda a mídia mundial ter voltado sua atenção ao lançamento do iPhone: O mais novo produto da Apple — a ser lançado oficialmente no segundo semestre de 2007 — é o sonho de consumo não apenas dos mais jovens, e sim, eu diria, de qualquer faixa etária de consumidores. Sendo uma mistura de smartphone e tocador de mídia, este telefone já é charmoso apenas por ser um aparelho totalmente desprovido de teclado, funcionando com uma tecnologia que alia uma touch screen a teclado e botões criados virtualmente. Além disso, ainda tem memória interna que varia entre 4 e 8Gb, e acumula as funções de um iPod, de uma câmera digital de 2 megapixels, de um navegador e comunicador instantâneo através da internet, e muito mais.

Sendo, portanto, o iPhone a “bola da vez”, porquê é, então, que o lançamento do novo Motorola RIZR Z6 teria me chamado a atenção a ponto de merecer um post exclusivo? A resposta é muito simples.

O novo Motorola RIZR Z6A atenção é merecida porquê, com o lançamento do RIZR Z6, a Motorola consolida sua presença no mundo Linux: Com este novo modelo, que deve atingir o mercado norte-americano no segundo semestre, sendo o primeiro de seu gênero a funcionar com o sistema operacional do pinguim totalmente embutido utilizando um único processador, a empresa agora já conta com um variado portfólio de produtos que usam Linux.

Fico especialmente feliz com o fato porquê vejo que, quanto mais o tempo passa, mais o Linux ganha conhecimento das pessoas, e se torna mais amigável: Aos poucos as vitórias do sistema fazem com que não apenas ele invada as lojas em computadores desktop populares, mas também que ele se mostre uma plataforma viável para operacionalizar um handheld: Neste caso, mesmo a Microsoft ajudou, pois foi um pedido da Motorola que seu aparelho pudesse ser sincronizado com mídias proprietárias do Windows, inclusive aquelas protegidas por DRM.

O aparelho em si é outro sonho de consumo: Além de ser extremamente compacto — com apenas 16mm de espessura —, o modelo contará com uma tela de 320×240 pixels de resolução e de 262 mil cores, suporte  s tecnologias GSM e EDGE, uma câmera digital — que também tem 2 megapixels, a exemplo do iPhone —, slot para cartões micro SD e com a capacidade de reproduzir os mais diversos formatos de mídia, como MP3 e AAC, além de mídias proprietárias da empresa de Bill Gates, como o Windows Media Audio, ou WMA, frutos do desenvolvimento conjunto que citei acima. Junte a isso tudo o uso de Bluetooth e me respondam: É ou não um argumento irresistível pra já reservar um bom presente de Natal, mesmo com ele ão longe?

Quase deixando as fraldas!!

Hoje comecei a usar um suporte no vaso sanitário, para ir me acostumando a fazer as minhas necessidades no lugar certo! Acontece que, mesmo antes disso acontecer, eu já vinha praticando em um troninho que mamãe e papai tinham comprado pra mim… Ou seja, agora, tenho não apenas um, mas dois lugares diferentes pra usar, ao invés das minhas fraldas…

Mamãe! Mamãe! Olha pra mim!!!

Pra ser sincero, estou gostando muito dessa novidade, porquê todas as vezes em que preciso decidir entre usar uma destas opções, me divirto   beça… Atualmente, passo praticamente o dia todo usando cuequinhas que a mamãe comprou especialmente pra mim, e as fraldas só me acompanham quando vamos sair e nos demorar um pouco mais de tempo ou na hora de dormir,   noite… No mais, estou muito   vontade com essa sensação de independência que é cada dia maior 😉

VocêTV: O guia de um recém-assinante

Logotipo VocêTVEsta semana passei a ser cliente VocêTV, serviço de televisão digital por assinatura da Telefônica operado por uma empresa parceira da gigante das telecomunicações, a DTHi Interactive. A VocêTV entrou na minha vida por acaso, para substituir o gap deixado pela Sky+DirecTV, depois que decidi cancelar os serviços da empresa ainda agora, no começo de 2007.

Já que anteriormente eu dividi com vocês a experiência — e os porquês — de haver cancelado um serviço que me acompanhava há vários anos, achei também extremamente interessante falar sobre seu substituto, a respeito do qual há ainda muito mistério, de forma a tentar prestar um serviço de utilidade pública, e documentar prós e contras de decidir realizar uma migração como esta de uma hora pra outra.

Me acompanhem agora, numa tentativa de realizar um dos reviews mais rápidos da história sobre o mais novo serviço de TV digital do país… Continuar lendo

YouTube TV

youtube.gifLonge de mim ficar estendendo as recentes — e já cansativas — conversas sobre Daniella Cicarelli que tomaram toda a internet, blogosfera e demais tipos de mídia essa semanaMas, é claro, se você ainda não está satisfeito e quer saber mais, tente procurar algumas notícias on-line..

De qualquer forma, enquanto tudo o que eu e metade da torcida do Flamengo desejamos é que a modelo ponha-se definitivamente em seu lugar e esqueça de uma vez por todas o tal vídeo dela com o namorado, o YouTube pode estar prestes a fazer um movimento que, a meu ver, parece ser o mais natural possível: Criar um canal de TV próprio.

Diversas fontes internacionaisEm tempo, confira o que dizem a respeito os sites internacionais Digital Video Guru, Gizmodo e Digital Spy. confirmam que pelo menos há a intenção da empresa em produzir seus próprios vídeos e, eventualmente, chegar   criação de um canal. De acordo com as palavras do próprio vice-presidente da companhia, Kevin Donahue, o YouTube já está em contato com diversas redes de televisão que gostariam de produzir um programa baseado no conteúdo de um dos sites mais populares e visitados do mundo.

A CBS, por exemplo, o maior canal de TV americano, já confirmou que passará a transmitir vídeos do site em sua programação, numa tentativa de renovar suas estratégias de mídia — um vídeo de 15 segundos, criado por um usuário do YouTube, será transmitido no dia 4 de fevereiro próximo, antes da abertura do Super Bowl.

Eu não duvido nada de que, se pelo menos um programa de televisão for produzido baseado nos vídeos mais populares que inundam os servidores do YouTube, se tornará extremamente popular. Aliás, se os executivos da empresa chegarem   levar a cabo seus planos, o fato marcará também a criação do primeiro canal de TV do Google, uma vez que foi a empresa de mídia quem, no ano passado, arrebatou o site pela bagatela de US$ 1,65 bilhões

Tag: Objetivos para 2007

Voltando de minhas férias-relâmpago e avoado como sempre, notei só hoje que recebi um agradável convite do Emerson Alecrim: Participar, junto com ele e mais uma série de blogueiros brasileiros, de uma brincadeira que teve origem nos blogs internacionais, o tag.

Trata-se, como, aliás, ele bem explicou, de escrever cinco itens sobre um assunto qualquer e depois passar a bola para mais cinco pessoas. Neste caso, aproveitando a virada do ano — no meu caso específico, um pouco tardiamente —, a idéia é escrever sobre objetivos para o ano de 2007. Desta forma, antes tarde do que nunca, mando as minhas:

  • Voltar a praticar esportes: Não sou uma pessoa esbelta há tempos, mas sempre tive consciência de que preciso voltar a me colocar em forma. Desde que o Xande nasceu então, é como se eu precisasse reinventar minhas pernas a cada dia… De qualquer forma, acredito nesta meta, uma vez que no final de 2006 já me pus   procura de academias onde pudesse praticar natação, meu esporte de preferência atualmente por ser completo, relaxar e ainda refrescar as idéias.
  • Relaxar mais: A vida que tenho levado — sobretudo profissionalmente — muitas vezes me sobrecarrega, como   muita gente, de estresse. Isso é ruim para a saúde e, ainda por cima, só contribui para o mau humor, uma vez que não se resolve problema algum estando estressado. Desta forma, a ordem em 2007 é tentar ligar o botão do keep cool.
  • Voltar a estudar: Minha formação após a conclusão da faculdade de Ciência da Computação foi brutalmente abandonada, um pouco pela falta de tempo e disposição, e, um pouco, também, devido  s atividades como papai. No entanto, tenho em mente que devo continuar me atualizando e já estou me preparando para fazer a decisão por alguma das áreas de meu interesse. Pós-gradução? Especialização? Mestrado? Quem sabe o que me reserva o futuro em 2007, não é?
  • Criar um site em conjunto com amigos: A idéia é antiga e consiste em falarmos de tanta coisa junta que nem sei dizer ao certo como funcionará. O que sei é que com certeza assuntos como televisão, cinema, seriados, gadgets e tecnologia em geral serão presença garantida. Quem sabe consigamos fazer até uma concorrência — de leve — com alguns gigantes nesta área! 🙂
  • Resolver a minha própria agenda e voltar a escrever mais artigos e com mais qualidade: Neste final de ano senti o que chamo de bloqueio de idéias. Sabe o que os escritores têm quando não conseguem ter idéias interessantes? Pois bem, é algo parecido. Fiquei tão cansado no dia-a-dia, e tanta coisa me tomou o tempo que fui incapaz de escrever com regularidade, constatação da qual não gosto nem um pouco, uma vez que diminui a qualidade do que produzo, ainda que seja um hobby. Para combater esta sensação, sei que enfrentarei uma batalha pessoal: Mas vou vencê-la e introduzirei conteúdo mais diversificado e interessante por aqui. Da mesma forma, também tenho que retomar iniciativas como escrever para os sites que muito gentilmente me pedem para contribuir, como o BlogAjuda. Eu vou arrumar um jeito, prometo!

Bom… é isso. Não sei se soa meio clichê em algum sentido, mas de verdade é o que desejo poder realizar este ano (puxa vida, como é complicado pensar nestas listas, não é mesmo?). E agora é hora de — mais uma vez tardiamente, é verdade — colocar cinco blogueiros na roda, embora a participação deles, é claro, não seja obrigatória: Neto Cury, Marcelo Glacial, Patrícia Muller, Antônio Santos e Rafael Arcanjo.

Quem será que topa? Em tempo, mais uma vez, feliz 2007 a todos!

Bye, bye, Sky+DirecTV

Foram anos e anos de entretenimento e diversão, mas tomei uma decisão e resolvi solicitar esta semana o cancelamento da minha assinatura Sky+DirecTV.

Originalmente sou um assinante DirecTV. Na época em que optei pelo serviço, uma série de vantagens que visualizei — sobretudo interface com o usuário na hora de buscar informações, a bela e bem cuidada apresentação de informações, o guia com sinopses e horários alternativos, serviços como agendamento de programas e busca de conteúdo, mesmo com o decoder desligado — me fizeram tomar a decisão, da qual nunca me arrependi durante os quase seis anos em que tive a companhia da programação oferecida pela empresa, que na verdade surgiu nos EUA em 1994.

Antiga interface oferecida pela DirecTV

Mas devo agora confessar que desde o momento em que as discussões sobre a fusão entre Sky e DirecTV ganharam uma definição mais concreta fiquei preocupado com o futuro da plataforma tecnológica que me fornecia os serviços de que tanto eu gostava. E meus medos se confirmaram: Há quase três meses me foi oferecida — por assim dizer, pois se tratava não de uma opção, mas sim de uma obrigação para continuar contando com a prestação de serviços de TV por assinatura oferecida pela nova Sky+DirecTV — o que os atendentes descreveram como atualização tecnológica. E a partir daí começou meu descontentamento.

Quando a migração ocorreu, descobri que a nova interface   qual fui apresentado era de operação simplíssima. Mas meu problema começou exatamente neste ponto: A falta que senti de recursos como trocar o áudio com o pressionamento de um simples botão, escolher meus canais favoritos e listar apenas estes durante minha navegação ou mesmo buscar programas por um trecho de sua descrição em diferentes horários do dia atual ou no futuro começou a pesar bastante, e me deixou um tanto quanto saudosista. Até a posição da tarja de informações — que na DirecTV ficava na região superior, como se vê na imagem e na Sky é na parte inferior da tela — acabou me deixando insatisfeito, por mais insignificante que este detalhe pudesse parecer.

Pode ter sido inclusive o meu lado nerd o responsável pelo saudosismo, uma vez que interfaces bem apresentadas e funcionais são exatamente o que procuro desenvolver quando estou programando ou usando um software de terceiros, e preferências pessoais como essas migram facilmente como desejos quando se escolhe um sistema de TV por assinatura com o qual se possa identificar. Mas o fato é que, não bastasse esta questão, descobri um problema que julguei muito ruim: A qualidade de áudio e imagem que passei a receber se mostraram, neste intervalo de tempo, muito aquém do que eu gostaria ou imaginaria receber.

Assim sendo, liguei — na última segunda-feira, munido de toda a minha paciência — para o serviço de atendimento Sky+DirecTV, como disse no início deste meu texto, para que pudesse cancelar seus serviços (aliás, a qualidade do SAC foi outra coisa que, a meu ver, diminuiu).

Tentem cancelar qualquer serviço do qual vocês possuam assinatura. Será mais difícil cancelá-lo, provavelmente, do que sofrer um parto, ver o Papa de perto ou até mesmo ganhar na loteria sozinho. No meu caso, a atendente tentou usar desculpas e artifícios como “o sistema está fora do ar” (“eu aguardo“) e “não tenho a senha para cancelamento” (comentário ao qual eu reagi com uma risada sarcástica), em vão. Também tentou me oferecer um desconto no valor da assinatura, mas minha falta de paciência com a baixa qualidade que eu julgo terem os novos serviços foi a gota d’água. Assim, após cerca de 45 minutos ao telefone, acabei conseguindo o que queria e cancelei minha assinatura.

Mas é claro que anos de companhia de um serviço de TV por assinatura não podem ser esquecidos. Esta maldita coisa vicia e, no meu caso, pelo menos, trata-se de um vício virtualmente incurável. Sendo assim, rapidamente encontrei um substituto para a minha ausência de canais como Fox, History Channel e People and Arts: Substituto aliás, com o qual tive o primeiro contato — acidental, é verdade — na semana passada, enquanto estava de folga no litoral. As suas vantagens em relação   Sky são muito grandes — a começar pelo preço que pagarei — e com certeza também pesaram na minha decisão. Mas o que ocupará o buraco deixado pela antiga DirecTV em minha vida será assunto para um próximo post, assim que a instalação ocorrer, ainda esta semana… 😉

Prepare-se para o Total HD!

bluray_hddvd.jpg

Na década de 1970, uma verdadeira disputa pelo formato de gravação de fitas de vídeoEm tempo, veja o artigo disponível na Wikipedia em inglês sobre outras famosas guerras de formato ao longo da história, pois se trata de algo muito interessante que predominaria no mundo se iniciou, sendo esta uma batalha entre gigantes japoneses: O padrão Betamax, lançado em 1975 pela Sony, competia com o padrão Video Home System, mais conhecido como VHS, lançado apenas um ano mais tarde pela JVC.

É fato que disputas deste porte levam um tempo bastante grande para terminar, pois, ao se depararem com mais de um formato disponível, os fabricantes e fornecedores normalmente se vêm frente a frente com um dilema: Qual deles adotar para a fabricação de equipamentos e mídia? No caso da batalha que mencionei acima, o padrão Betamax, embora amplamente suportado por empresas como a Sanyo, Pioneer e Aiwa, acabou sendo engolido pelo seu concorrente a partir de 1985. Já na década de 1990, o VHS se tornou o padrão definitivo para a gravação de fitas de vídeo.

Ontem mesmo um amigo me citava esta disputa, em referência a uma outra, mais moderna, no campo dos DVDs: Ocorre que um disco comum de DVD armazena hoje até 8,5 Gb de cada um de seus lados, o que pode se mostrar muito mais do que suficiente para muita gente. No entanto, num mundo em que cada vez mais se fala a respeito de televisão, filmes e imagens em alta definição, size matters, ou seja, é preciso se falar em mídias que possuam capacidades cada vez maiores para permitir a gravação e armazenamento de imagens, filmes e programas neste formato.

É aí que surgem dois grandes oponentes, o Blu-ray, formato cujo desenvolvido foi novamente liderado pela Sony, com capacidade de armazenamento de até 50 Gb — suficientes para armazenar até 23 horas de vídeo comum, ou 9 horas de vídeo em alta definição — e seu concorrente direto, o chamado HD DVD, desenvolvido pela Toshiba e com capacidades que variam entre 15 e 30 Gb. A exemplo da batalha que citei no início, temos aqui ingredientes suficientes para uma disputa que novamente levará mais de uma década para se resolver, caso não se chegue a um consenso entre formatos.

No entanto, pode ser que não seja necessário se esperar tanto tempo assim: A Warner Bros anunciou publicamente ontem o que chamou de Total High Definition Disk, ou simplesmente Total HD. Trata-se do que a empresa chamou de uma solução para um problema que “estava desesperadamente pedindo que o resolvessem”, nas palavras do executivo-chefe da empresa, Barry Meyer, responsável pelo anúncio.

O novo produto se destaca por unificar os formatos competidores em um único disco de alta densidade, projetado para custar pouco mais do que os que atualmente já estão no mercado. O lançamento de filmes em formato Total HD já está agendado para ocorrer a partir do segundo semestre deste ano. Enquanto os consumidores continuam com o pé atrás porquê ainda não se sabe o grau de aceitação que terá o produto da Warner Bros, as chances parecem promissoras, uma vez que grandes comerciantes como a Best Buy e a Amazon.com já anunciaram que suportarão as vendas do novo disco.

Será o fim da batalha?

Curtindo uma praiazinha…

Passado o ano novo, ficamos mais uma semana na praia…!! Enquanto esperávamos que o tempo melhorasse — porquê a chuva não queria saber de dar trégua! Eita chuva mala!! —, continuei a passar o meu tempo na casa dos meus avós… Enquanto brincava com tudo o que eu já tinha dito antes, comecei a gostar mais de me balançar na rede…!! Foi uma das coisas mais gostosas que já fiz, e eu aproveitava pra matar a minha vontade de fazer isso sempre que mamãe, papai, vovó, vovô ou qualquer outra pessoa sentasse nela…

Olha a minha pose na rede!

Ah, em um dos dias — também com o tempo ruim —, ajudei vovó a escolher feijão para o almoço! É que eu vi que ela estava mexendo com o feijão e não entendi muito bem o porquê. Daí ela me explicou o que era e eu quis ajudar… No final, não sei se consegui dar muita ajuda, mas, de qualquer forma, foi uma coisa bastante divertida, e eu gostei muito!!

Ajudando a vovó com o feijão!

Depois de muito pedirmos uma ajudinha pra Papai do Céu, pra ver se ele fazia a chuva parar, mesmo que fosse um pouquinho só, em uma manhã o sol apareceu, bem de levezinho, e foi a deixa pra todo mundo resolver aproveitar e se aprontar pra ir pra praia… Eu finalmente ia poder bagunçar um pouquinho na areia e me divertir bastante. Papai e vovô foram com seus carros numa praia muito longe, que eu descobri que se chama Ubatumirim, e a gente levou um pouco mais de tempo do que eu imaginava pra chegar lá… cheguei até a ficar meio impaciente…

Mas, apesar disso e da distância, valeu muito   pena. Essa praia é muito bonita e tinha muito espaço pra eu correr e aprontar… Mamãe correu bastante comigo durante o tempo que passamos lá, e o papai também fez a mesma coisa… Além disso, eles tinham comprado um cachorrinho inflável pra mim — que a vovó Helena batizou de Bidu — e, como eu também o levei pra passear na beira do mar, acabei colocando ele nas ondas pra poder surfar um pouquinho!!

Sentado na praia!

Brincando na praia! /></a> <a href=Correndo com a mamãe!

Nesse mesmo dia, ainda ajudei a vovó a pegar umas conchinhas… Ela me dava uma mão cheia delas e eu ia fazendo a seleção — mais ou menos como quando eu ajudei a escolher feijão — pra depois deixar separadas só as que eu mais gostava. No final, catamos um montão de conchinhas!!

Correndo na beira do mar Quanto espaço pra eu correr!! Nossa!

Estudando o guarda-sol E agora, corro pra onde? :)

Depois disso, voltamos pra casa. Nos outros dias em que ficamos em Ubatuba, a chuva ainda continuou a cair, e, sempre que dava uma trégua, íamos passear, mas nenhum passeio foi tão bom ou divertido quanto esse — embora eu tenha gostado de todos eles, é claro. De qualquer forma, já estou mais do que decidido: Adoro uma praia de montão, e sempre que puder vou voltar lá pra poder colocar os meus pézinhos na areia!! 😉

Ano Novo!

Fomos para Ubatuba passar o Ano Novo, mamãe, papai e eu. Uma das coisas que mamãe queria fazer enquanto estivéssemos lá era aproveitar para me levar   praia, já que, além de todos os meus brinquedinhos que eu já tinha dessa vez ainda levava na bagagem a carreta que eu ganhei no Natal…

Embora, esses fossem os nossos planos, o tempo dessa vez resolveu não ajudar e acabamos ficando a maior parte do tempo em casa, enquanto esperávamos a chuva passar e o Ano Novo chegar. Nesse meio tempo, para não dizer que não aproveitei, me diverti bastante com alguns dos meus passatempos favoritos, principalmente subir e descer a escada que tem na casa do vovô, brincar com a minha bola, conversar com o meu boneco Yumel e, o mais novo deles, brincar de tentar abrir os porta-malas dos carros do papai e do vovô!!

Na noite do Ano Novo, assim que deu meia-noite, fiquei sabendo que teve uma bonita queima de fogos na praia, que todo mundo assistiu da varanda da casa dos meus avós… Todo mundo, menos eu. Isso porque, cansado como eu estava de brincar o dia o inteiro, não aguentei esperar e capotei. Mamãe ainda precisou vir me tranq¼ilizar no berço, depois que o barulho dos fogos começou, porque fiquei assustado, mas acabei voltando a dormir depois que as coisas foram se acalmando…

Sanduíche de Xandinho!

Que carinha de sapeca!

Que sorriso lindo! Com o vovô no ano novo!

No dia seguinte quando acordei, já era 2007. É a segunda vez que vi uma passagem de ano na minha vida, só que, dessa vez é que pude aproveitar melhor. Espero que durante esse novo ano eu possa continuar aprontando bastante e me divertindo tanto quanto eu me lembro de ter feito isso em 2006!!