Cúmulo

Outro dia o Glacial até me chamou de Datena por causa da conotação de um dos posts que eu tinha colocado aqui no blog. Mas o que fazer quando a gente percebe que a situação atual é tão, mas tão ridícula, que chegamos ao ponto de nem mais podermos realizar atividades corriqueiras, como ir ao banco, por exemplo?

Vocês vão me perguntar se estou falando sobre assaltos. Poderia até ser, já que eles são tão comuns hoje em dia. Mas estou falando de algo pior. Estou falando de uma pessoa que sofre não danos financeiros de terceiros, mas sim danos morais. Não é que, navegando na internet há pouco, me deparei com uma notícia mais do que inacreditável? Parece que uma cliente foi utilizar o atendimento de uma agência do Bradesco, foi seguida por um homem que se masturbou e que ejaculou na roupa dela.

Pelo incidente, pelo qual o Bradesco alega inocência, o banco terá que pagar uma indenização no valor de R$ 30 mil. Segundo o que eu entendi, não é necessário ter culpa direta num caso desses. Se uma empresa, seja ela um banco, um supermercado ou uma farmácia, oferece serviços ao consumidor em suas instalações, é obrigação dessa empresa zelar pela segurança de seus clientes enquanto estão no interior das mesmas.

— O mais ridículo, minha gente, é o seguinte: Como é que um camarada desses consegue se masturbar em público, livremente? Sei não… Desse jeito, onde vamos parar, minha gente?

Sobe a vinheta do Cidade Alerta…

Meu segredo, revelado…

É impressionante como nós, os bebês, não conseguimos guardar segredos… Tentei porquê tentei manter o meu o mais que eu consegui, e nada pude fazer contra ela, a tecnologia. Eu ainda não saí pra ver o mundo aí fora, mas me disseram que essa tal de tecnologia é muito, mas muito avançada, e que graças a ela as pessoas podem fazer coisas que antigamente seriam impensáveis… inacreditáveis, mesmo.

A foto que está aqui ilustra a mamãe segundos antes de começar a fazer um ultrassom morfológico. Esse exame, que tem um nome super-engraçado, serve pra descobrir uma série de detalhes sobre mim. Dá pra saber se meus dedinhos estão bem formados, se meus lábios estão bem formados… se os pézinhos, os joelhinhos, a coluna, o coraçãozinho e os pulmões, enfim, se tudo está certinho pra que quando eu nasça, traga bastante alegria pro papai, pra mamãe e pra todo mundo que eu sei que vai me amar muito.

Quanto ao meu segredo… Bom, não tenho mais. Agora já posso contar pra vocês: Eu sou um menino! Segundo o que a médica disse pra mamãe, estou com mais ou menos 35 centímetros e pesando uns 900 gramas… Esse é um baita de um tamanho pra um bebê da minha idade, não é mesmo? A única coisa chata é que eu continuo aqui, apertadinho nessa barrigona da minha mamãe… mal posso esperar a hora de sair…!!

Ah, o meu nome? Mamãe e papai ainda estão pensando… Curiosos!!!

O Bicho Homem

A gente vai vivendo nossas vidas sem nos preocuparmos muito com uma série de coisas. Não é preciso que eu pergunte a vocês se concordam, porquê, de uma maneira ou de outra, sempre acontece isso. Você não percebe que alguma coisa é indispensável até o momento em que fica sem essa alguma coisa. Uma matéria que li no Guardian Unlimited me deixou bastante atônito.

Segundo a reportagem, nós, os seres humanos, uma única espécie habitando a Terra, estamos colocando em risco a sobrevivência das outras mais de 10 milhões de espécies do planeta, além da nossa própria. Longe de ter a intenção de, necessariamente, fazer um post ecológico, a notícia que eu li preocupa — ou, pelo menos, deveria preocupar muita gente: Dois terços dos recursos naturais do planeta já foram completamente gastos, a maioria no último século.

As conclusões, todas de um relatório preliminar preparado por 1360 cientistas de 95 países, a maioria experts em suas áreas, são preocupantes. Não vou citá-las aqui, mas a maioria já sabemos de cabeça: O bicho homem desmata, usa mal a terra e explora atividades de subexistência, como a pesca, de maneira errada. Onde é que vamos parar desse jeito?

De Olho na Internet

A internet é ou não é o local mais democrático que você conhece? Regulamentada principalmente pela ICANN, a rede mundial de computadores tem sido uma das minhas paixões desde que eu a conheci e comecei a utilizá-la, em fins de 1996, justamente pela riqueza de informações que ela nos proporciona, pelo entretenimento, pelo conhecimento, e por tantas outras qualidades.

Me espantei hoje quando li, via Slashdot, que a ITU – International Telecommunication Union, órgão das Nações Unidas criado em 1865 para facilitar transmissões telegráficas e que depois passou a exercer controle também sobre comunicações via rádio e telefone está querendo estender seus braços para a internet. Mais precisamente, Houlin Zhao, diretor da ITU, em entrevista que deu à CNET News, fala sobre a necessidade de se instituir um governo para a internet.

Obviamente, este governo seria realizado pela ITU. A entidade, segundo seu diretor, poderia ser envolvida, em questão de anos, com questões que iriam desde segurança e spam até o gerenciamento da disponibilização de endereços de IP. Assim como a maioria das opiniões expressadas via Slashdot, a minha também é desfavorável. Não sei o que poderia acontecer caso a ONU resolvesse “governar” a Internet. Ainda mais porquê, segundo a reportagem, a ITU, embora declare-se independente, pode se mostrar ligada ao governo americano…

De Volta

O ato de blogar já foi classificado de todas as formas. Há momentos em que nos divertimos com essa atividade, há momentos em que nos entediamos e passamos dias a fio sem publicar um único post sequer. No meu caso, a ausência temporária foi do tipo que é forçada. Como estou hospedando meu blog em um servidor gratuito (um ótimo servidor gratuito, diga-se de passagem, mas ainda assim gratuito), tive que me contentar em esperar por dois dias a fio (quase dois dias e meio, é verdade), até que um problema identificado pela empresa numa troca de servidores fosse solucionada.

Cheguei a pensar em hospedar meu site em um host pago. Ainda não descartei essa possibilidade, também. De qualquer forma, enquanto decido o que fazer, vou continuando a blogar. Voltamos à nossa programação normal… E àqueles que tentaram acessar minha página no final de semana e não conseguiram, mil perdões. Agora deve tudo estar normal.

P.S.: Se vocês ainda não viram, aproveitem também para dar uma olhada no Diário do Bebê, cujo link também vai ficar na minha barra lateral.

E não foi dessa vez…



Eu disse. Eu avisei pra vocês que eu sou um bebê muito misterioso! Meu papai e minha mamãe iam me levar pra fazer ultrassom hoje, pra tentar descobrir se eu sou uma menina ou um menino. Estava tudo pronto pra gente poder ir e eu, que adoro passear de carro, já estava animado, quando de repente ligaram lá do lugar onde a gente ia fazer o exame.

Era uma moça, dizendo que a médica não ia poder atender hoje porquê estava passando mal. Assim, minha mamãe teve que remarcar o exame pra quarta-feira que vem, logo depois que o papai chegar do trabalho. Sendo assim, meu segredinho está mantido. Nem que seja por mais dois dias, só… 😉

Pintura na Barriga

Enquanto a mamãe e eu estávamos em Feira de Santana, visitando a família, meus primos Pricilla e Alef resolveram fazer uma brincadeira. Pintaram a barriga da mamãe com os nomes deles e encheram de beijinhos. Ela ficou com a barriga toda marcada de batom! Olhem só como ficou!



Eu sei que todos esses beijinhos foram pra mim, que ainda estou aqui, morando na barriga da mamãe. É muito bom saber que, mesmo eu ainda não tendo nascido, já sou um bebê muito amado por todo mundo ao nosso redor…

Oba! Compras!

Eu nem nasci ainda e já adoro fazer compras! Meus papais vão até o centro bater perna pra procurar algumas coisinhas. Se eu já adoro comprar junto com a mamãe e o papai, imaginem vocês então quando as compras são pra pessoa mais especial na vida deles, que sou eu mesmo? Depois eu conto novidades pra vocês, tá bom?

Não conto, não conto, não conto…

Mamãe e papai estão curiosos que só eles. Na semana passada, enquanto eu ainda estava visitando a Bahia com a minha mamãe, ela fez um ultrassom pra tentar descobrir se eu sou uma menina ou um menino. Eu confesso que dava pra sentir que ela estava muito, mas muito curiosa pra descobrir a resposta. Ela, minha vovó Maria e minha titia Juciara, que estavam acompanhando a mamãe no exame.

Acontece que eu, como sou um bebê muito, mas muito misterioso, resolvi manter meu segredo mais um pouquinho. Assim, a médica, quando foi dizer o resultado do exame pra minha mamãe, acabou revelando que eu estava com as minhas perninhas fechadas! Ora, se eu posso deixar esse clima de suspense no ar mais um pouquinho, pra que é que eu vou me revelar assim? Melhor esperar mais um tempinho…

Aliás, na segunda-feira que vem minha mamãe e meu papai estão querendo ir fazer outro ultrassom. Como ainda faltam dois dias, eu vou pensar se deixo eles me verem ou não. Até lá, fica no ar a resposta 🙂

Tela Transparente

A criatividade de algumas pessoas vai longe, isso eu tenho que admitir. Acabei encontrando no Flickr uma galeria de fotos chamada curiosamente de Transparent Screens. Segundo o próprio autor da galeria, trata-se de algo muito interessante que podemos fazer para ter um papel de parede muito criativo para nossos computadores, laptops, e por aí afora.

Pelo que eu entendi, lendo os comentários dessa foto que ilustra este post, é capaz dessa galeria se tornar um grupo de fotos, tamanho é o número de pessoas, este que vos escreve incluído, que ficou tentado a experimentar a novidade. Nada que seja muito trabalhoso. Imagino que baste tirar o computador do lugar, escolher o ângulo certo, caprichar numa foto digital e colocá-la como papel de parede. Qualquer hora eu juro que eu tento… Mas que achei muito interessante, isso eu não posso negar…

Perdeu a graça, né?

Não ia falar de GMail, ou de qualquer assunto nesse sentido. Mas dando uma olhada nas notícias de informática da Folha On-line, me deparei com a confirmação de que essa história de competir pela preferência dos usuários usando como atrativo o espaço em disco das contas de e-mail está virando mesmo febre.

Yahoo! segue Google e cria e-mail gratuito com 1 GB

O aumento na capacidade de armazenamento estará disponível para todos os usuários do Yahoo! Mail a partir do final de abril.

Não deve ser, a essa altura, novidade pra ninguém, que os provedores pagos Terra e UOL entraram nesta briga aqui no Brasil. O primeiro está oferecendo, regado a campanhas publicitárias veiculadas na mídia constantemente, espaço de 1Gb para assinantes de qualquer provedor. O segundo, oferece 2Gb para armazenamento de mensagens. O problema destes dois provedores é que eles cobram pelo serviço: as taxas são a partir de R$ 7,90 por mês.

Não é por nada não, mas acho que esse pessoal está meio atrasado. Tanto o Yahoo!, que eu admito ser uma empresa de ponta e de peso, quanto os provedores pagos brasileiros. Mesmo que à sombra do GMail surjam n serviços similares, nenhum deles terá tido a glória de ser o primeiro a ofertar tal possibilidade. Estou longe de necessariamente defender o serviço do Google, embora o ache muito bom: Afinal, não aguento mais ver meu reservatório de convites pro GMail se auto-reabastecendo a cada hora. Mas devo admitir que a internet, como a televisão, é um mundo onde nada se cria, tudo se copia.

Flickr, Yahoo’ed

Não tem nem como dizer que não é oficial, que é boato. Acabo de saber pelo blog do Cris Dias que o Yahoo! adquiriu o Flickr. Diretamente do blog dos caras:

What is going to happen to Flickr?

Flickr will be continuing on the path it’s on — to Flickr 1.0 and beyond. We’ll be working with a bunch of people that Totally Get Flickr and want to preserve the community and the flavor of what is here. We’re going to grow and change, but we’re in it for the long haul, with the same management and same team.

You’re not going to become a bunch of suits?

No, no, no! The precious DNA we’ve got — that of the Ludicrew — is on side and revving up for building Flickr. Having the team building out the team’s vision for Flickr has been stressed as our number one priority, and keeping us around — in spite of our wiseassery, tomfoolery and tendency to hoot spontaneously — is crucial for preserving the Flickrness that is Flickr. They’re not going to replace any of us with suits, nor induce us to wear them. Lapel? I don’t know what you mean.

Are you going to become Yahoo Photos?

No. Yahoo Photos will get a lot of Flickr features, and there are alot of other areas around Yahoo that will also be Flickrized where Flickrization would be good. Yahoo Photos and Flickr have different kinds of users with different needs, and will remain separate for the foreseeable future. Flickr would also suffer from a sudden deluge of LOL!!!!!!!!!!!!!!! omg! so we’re going to grow it carefully.

Será que isso indica novidades imediatas? Estou curioso. Como usuário pro do serviço, só espero que as funcionalidades que já existem sejam mantidas e que, em paralelo, novas coisas sejam incorporadas à conta. Parece que uma série de itens dentro do Yahoo serão flickrzados. Mas o que acontecerá do lado do Flickr? Assim que eu souber, digo.

É lenda ou não é?

Quão controversa pode ser uma lenda urbana? Não sei quantos de vocês já assistiram ao excelente programa exibido aqui no Brasil pelo Discovery Channel, chamado Mythbusters, ou Os Caçadores de Mitos. De qualquer forma, a especialidade dos apresentadores, Adam Savage e Jamie Hyneman, é justamente a de acabar com essas lendas, provando que não passam de pura bobagem.

Num dos primeiros episódios da série a dupla testa um dos mitos mais freq¼entes entre as pessoas que eu conheço. Você também acredita nisso, eu tenho certeza: Falar ao celular enquanto você está num posto de gasolina pode fazer com que as bombas de combustível explodam. Certo? Bom, no episódio em questão, Jamie e Adam comprovam que isso não passa mesmo de lenda urbana, e que é perfeitamente seguro conversar ao telefone com quem você quiser enquanto abastece seu carro.

Eu sempre vou ao posto de gasolina — qualquer que seja ele — e lá vejo aquelas sinalizações indicativas de perigo ao usar o celular. Se é tão lenda urbana assim, como é que um mito desses pode ganhar proporções tão grandes? Talvez porquê, embora comprovadamente mito, ele não seja tão irreal assim. Em maio do ano passado, por exemplo, a CBS noticiou que um estudante de 21 anos se viu cercado por chamas em um posto de gasolina, pelo simples fato de seu celular ter tocado enquanto ele abastecia seu carro.

Mas e quando cientistas comprovam, através de um estudo, que incêndio em posto de gasolina por causa de celular é lenda? Foi o que fez um cientista, Adam Burgess, da Universidade de Kent, na Inglaterra. Ele irá apresentar o resultado de seu estudo em uma conferência esta semana: Para ele, tudo isso de explosões provocadas por celulares não passa mesmo de bobagem:

Segundo ele, nenhum dos 243 incêndios ocorridos em postos de gasolina nos últimos 11 anos no mundo foi provocado por celular.

(…)

Para o professor, os alertas dos fabricantes para que as pessoas não usem os celulares em postos de gasolina por causa do risco de fogo deram maior veracidade à idéia inicial.

Independente do que discutem os cientistas, mostram os jornais ou desmistificam os programas de televisão, uma coisa eu sei. Para me manter seguro, é melhor não correr o risco: Continuarei desligando meu celular ao ir a um posto de gasolina, pelo menos até que estes três grupos cheguem a um consenso.

Como você bate papo?

Adianta eu dizer que a invenção da era da internet que eu mais amo é algo que foi inventado no final de agosto de 1988? É a mais pura verdade. Estou falando de algo que era usado em paralelo às salas de bate-papo de provedores como o Universo On-Line e do Terra, este último ainda na época em que se chamava Zaz. Na época em que eu entrei na internet assinando meu primeiro provedor pago, ainda nos idos tempos do Windows 3.1, a febre era se reunir em grupos nos canais de bate-papo do Internet Relay Chat, ou simplesmente IRC.

Muitos amigos que eu tenho são desta época: A minha esposa, caso vocês que lêem este blog ainda não saibam, eu conheci via IRC. Isso foi em 1997. Com o tempo, programas de instant messaging foram surgindo e se popularizando: Hoje em dia, embora as salas de IRC permaneçam lotadas até o teto, não há amigo meu que ainda as freq¼ente, e isso me deixa saudades. No entanto, tenho que admitir que não há concorrência possível para ICQ, MSN Messenger e companhia limitada.

O que eu tenho percebido é que, entre esses dois, que considero os mais populares e difundidos programas para bate-papo dos tempos atuais, tem ocorrido uma migração, lenta mas já perceptível, do ICQ para o Messenger, da Microsoft. Eu, que até semana passada estava usando o Miranda Instant Messenger para me conectar ao mesmo tempo nas duas redes, e que o troquei pelo IM2 – Instant Messenger 2, maior, mas com mais funcionalidades, percebi, ao menos entre os meus contatos, essa mudança de protocolos. E lhes pergunto: Qual é o protocolo de bate-papo de sua preferência? ICQ? MSN? Ou outro?

Machismo

Outro dia mesmo, falando sobre o Dia Internacional da Mulher, 8 de março, fiz um comentário no blog da Bia dando minha opinião sobre o ponto de vista dela em relação à comemoração: Ela dizia que, se é necessário um dia desses ser comemorado ainda atualmente, é porquê a sociedade ainda se sente em déficit com elas, as mulheres. Talvez elas ainda sejam uma minoria social, já que ninguém, como ela mesma disse, comemora o dia da Consciência Branca, o dia do Heterossexual, ou mesmo o Dia dos Homens.

Minha opinião, a mesma que eu coloquei lá, na época, é de que as mulheres têm conquistado espaços importantes na sociedade, e isso não acontece há pouco tempo. Conforme esse espaço vai aumentando e as mulheres vão sendo mais e mais reconhecidas, talvez no futuro não seja mais necessário considerar 8 de março uma data comemorativa, não porquê as mulheres não são importantes, mas sim porquê nesse dia finalmente todos os homens reconhecerão que elas têm tantos direitos e capacidades quanto nós, os homens.

Mas perguntem a um grupo de mexicanos liderados por Lorenzo Da Firenze, chefe do movimento Círculo Masculino, o que pensam a respeito das conquistas femininas dos últimos tempos, e podem se espantar: Este movimento visa defender o direito dos machos mexicanos, que teriam assistido silenciosamente ao que eles chamam de libertação feminina. Lorenzo diz que já é hora de protestar contra o que chamou de poderio feminino, e quer que os direitos dos homens também sejam reconhecidos: Numa passeata para defender o machismo, os homens mexicanos irão pedir publicamente que as mulheres respeitem os homens e colaborem com eles.

“A Marcha Masculina”, como é denominada esta manifestação, reivindica a declaração do dia 20 de março como “Dia Internacional do Homem” e defende que as mulheres “parem de se aproveitar das fragilidades do sexo masculino”. “É preciso falar da violência que as mulheres também exercem contra os homens; não há estatísticas sobre isto, é um fato que por trás dos tapas de um homem está algo que foi provocado pela mulher”, declarou, convicto, Da Firenze, 49 anos.

A gente falando em não ser mais necessário comemorar o Dia da Mulher e surge um grupo querendo que, de agora em diante, exista também o Dia do Homem. Fala sério. Essa discussão parece que ainda vai movimentar — e acalorar — os pensamentos de muita gente por muito tempo. É uma pena.