em Etc

Constatação

E aquilo que já aconteceu comigo, com você, com o seu pai, a sua mãe, o seu vizinho e até o tio-avô da sobrinha de segundo grau do seu colega de trabalho foi quantificado. É, eu estou falando de algo muito corriqueiro, mesmo: o travamento do Windows. Independentemente de discutirmos os momentos em que essa chateação ocorre, de qualquer forma, os mais inoportunos possíveis, a questão é que uma pesquisa realizada em conjunto pelas empresas Acadys e Microcost (é Microcost mesmo, viu?) descobriu qual o índice de travamento do sistema operacional mais utilizado do mundo.

Considerando-se, em conjunto, todas as versões do Windows existentes, a média de travamento ficou na casa dos 8%. Eu confesso que até esperava mais desse número, mas acho que Murphy pode eventualmente ser mais generoso com alguns do que com outros. Também descobri uma justificativa a mais para que eu não migre — a menos que seja forçado a fazer isso — para o Windows XP. É que, dentro da família do sistema da Microsoft, ele é o que possui a taxa de travamento mais alta, batendo nos 12%, enquanto que sistemas da família NT, como o Windows 2000 — que é o que tenho instalado em minha casa e no escritório — ficam na casa dos 3%.

Mas acho melhor parar de falar em travamento do sistema, porquê isso pode atrair algo que eu não quero que aconteça, não é verdade? 😉

  1. A realidade é que, nós, geeks ferrenhos, instalamos toda sorte de softwares, nem sempre confiáveis, na máquina o que faz com que geralmente ocorram falhas junto ao windows.
    Sou feliz com meu XP pro, de todos os windows com que já trabalhei, este é o que menos dá pau.
    Ailiás, já consegui travar até o kurumin hehehehe, o que confirma sobre o que vc falou sobre o murphy!
    Abraços

Os comentários estão encerrados.