Eternally stuck in beta version

O sonho dos seus sonhos

A idéia de poder programar o seu sonho favorito para sonhá-lo durante a noite parece muito mais o enredo de um bom romance de ficção científica do que coisa do mundo real, não é mesmo? Bem, na verdade, no que depender da Takara Co., empresa japonesa fabricante de brinquedos, não será mais assim. Eles são os inventores da Dream Woekshp, primeira máquina que teria, supostamente, o poder de permitir tal programação de sonhos.

A Dream Woekshp seria bastante compacta, lembrando o formato de um telefone celular, só que um pouco mais alongado.

Quando se prepara para dormir, o usuário monta uma fotografia sobre o assunto que deveaparecer no sonho, seleciona uma música apropriada para o momento ââ?¬â?? fantasia, comédia, história romântica, nostalgia ââ?¬â?? e gravar uma palavra chave como lembrete, como o nome de uma atração romântica.

O funcionamento do aparelho parece ser bem simples: Uma luz branca especial é emitida por ele, e aromas e música são emitidos para ajudar o usuário a dormir. Sendo vendida somente no final do ano, no Japão, a partir de US$136, não me parece que a máquina possa mesmo fazer tal coisa acontecer. Ao menos a notícia, do Último Segundo, não dá nenhuma pista sobre testemunhos de que a coisa já tenha funcionado. Sou um tanto quanto cético com relação a assuntos como esse mas, o fato é que, se tudo correr bem e realmente a invenção japonesa for um sucesso, acrescentarei uma dessas à minha wish list.

O Update

Um crachá fica pendurado atrás do espelho retrovisor do meu carro todas as vezes em que eu me dirijo à faculdade. Ele serve para que apenas os carros devidamente identificados possam adentrar o estacionamento. Ontem, lá pelas 20h30 estava eu, ao lado de minha esposa, contemplando o pedaço de papel protegido por plástico que ali sempre fica, balançando, enquanto voltávamos pra casa. E imaginando que aquela seria uma das últimas vezes em que eu precisaria vê-lo nesta posição.

Se você não está entendendo o porquê do início deste post, dê uma olhada no meu post anterior. Mas se você já havia acompanhado a história, bem-vindo ao meu update, que já devia ter saído há muito tempo, como lembrou bem a urea, em (mais) um de seus simpáticos comentários.

Continue reading “O Update”

Ansioso, eu?

AnsiosoExistem diversas situações pelas quais a gente passa na vida que são capazes de nos deixar com um nó na garganta. Como quando esperamos pela cobrança de um pênalti decisivo, na final de um campeonato em que nosso time do coração está. Como quando queremos declarar nosso amor para alguém, mas não sabemos como e apenas nos damos ao luxo de ficar nervosos quando estamos perto da pessoa amada.

E existem situações igualmente perturbadoras, que nos deixam com frio na barriga. Como quando estamos terminando de escalar uma montanha russa, e o carrinho está prestes a descer com tudo, conosco dentro dele. Nosso coração salta pela boca. Nessas horas tentamos nos acalmar e torcer pra que tudo dê certo. Estou falando de ansiedade. Para alguns, chega até mesmo a ser doença. Para outros, a ansiedade só ataca em momentos decisivos, como o que eu passarei hoje, dia 28 de junho de 2004.

Hoje estou me sentindo na final do campeonato. Como se estivesse acompanhando um jogo pelo rádio e no último minuto, à beira de um gol, acabasse a pilha e eu ficasse sem saber o resultado. Como alguém que acabou a escalada de uma das maiores montanhas-russas desta nossa vida, e agora está frente a frente com a descida, enorme e rápida, inevitável. É hoje a apresentação do meu Trabalho de Conclusão de Curso. Fiquei ponderando sobre escrever algo a respeito no blog. Desisti. Tornei a pensar na idéia. E um ciclo de incontáveis vezes se fez presente, até que resolvi soltar o verbo e registrar tudo aqui. Talvez esperando me aliviar desta ansiedade, desta tensão pré-apresentação.

Um espaço de meia hora, iniciado hoje às 18h30 me separa da formatura. Espero que tudo corra bem. Afinal de contas, está tudo preparado. Está tudo correto. Eu e meu amigo, que estamos juntos nessa, estamos bem preparados, acredito eu. Nosso orientador tem sido um grande apoio. E é por essas e outras que eu acredito que esse meu nó na garganta tem tudo para se afrouxar, dando lugar à visão mais esperada dos últimos tempos, para mim: A formatura. O Bacharelado em Ciência da Computação. Só posso lhes pedir que me desejem sorte. E que fiquem ligados para um update. 😉

Engolindo Sapo

A expressão engolindo sapo normalmente não passa disso: Uma mera expressão. Mas agora um ginecologista iraniano está dizendo que uma paciente sua deu à luz um sapo, após uma ultrasonografia ter revelado o que parecia ser um cisto, estando a menstruação da mulher atrasada em 6 meses. Mutação genética? Talvez. O fato é que o médico está dizendo que o cisto, na verdade, era a larva de um sapo cinza.

Obviamente, na minha opinião, trata-se apenas de história pra boi dormir. Muitos médicos dizem que algo pode ter acontecido ao feto que a mulher carregava, e que, mesmo à primeira vista não parecendo, poderia ser um embrião humano. Outros estão dizendo que há possibilidade de ser realmente um sapo: A mulher, cuja identidade não foi revelada, poderia ter engolido uma larva de sapo enquanto nadava em alguma piscina suja…

Celular, o Vilão

Desde que o mundo é mundo… bem, deixe-me arrumar isso, um pouco: Desde que os celulares existem a controvérsia sobre os males que eles podem causar também existe, e sempre foi muito grande. Há cientistas provando — ou, ao menos, tentando provar — de tudo sobre eles. A história mais conhecida sobre os aparelhos é a de que eles são cancerígenos, e, por isso é que se deve evitar colocar uma antena de celular na boca. Mas da mesma forma que os estudos que apontam males sobre os telefones portáteis existem, igualmente, estudos que clamam o contrário também pipocam nas publicações especializadas.

Talvez dizer que o uso desses aparelhos pode reduzir a fertilidade masculina seja um grande absurdo, ou um exagero. Talvez não. Mas trata-se da bola da vez, já que o jornal britânico The Sunday Times publicou hoje um estudo científico que afirma que homens que carregam o celular na cintura por muito tempo sofrem uma diminuição de 30% da capacidade total de produção de esperma, e que os 70% restantes acabam sofrendo alterações. Pelo menos foram as conclusões de Imre Fejes, autor do estudo, após analisar, por 13 meses, 221 homens que usam celular frequentemente.

Cá pra nós: Eu uso o celular, sim. Levo comigo na cintura, ou no bolso da calça, tal qual o estudo menciona. Mas sempre que chego a algum lugar, mantenho o celular à vista, colocando-o, por exemplo, sobre a mesa do escritório. Se estou almoçando, fica na mesa do restaurante. Será que neste caso, os riscos são menores? Hmmmm… Acho melhor ficar mesmo com a declaração do porta-voz da Associação Britânica de Operadores de Telefones Celulares:

“Os estudos sucessivos que foram realizados não demonstraram que haja efeitos adversos para a saúde”.

Meu nome é ESPN

Muita gente se inspira nos nomes de outras pessoas para dar nome à seus próprios filhos. Pergunte-se se o seu próprio nome já não é um desses casos. Pode ser uma homenagem a um parente seu, como um avô ou bisavô, ou pode ter vindo de um nome de cantor, ator ou esportista famoso da época. Quantos Roberto Carlos, Ronaldos e Ayrton Sennas já não nasceram batizados dessa forma? Muitos. E não há problema algum em se transformar uma admiração em homenagem, batizando seu próprio filho dessa maneira, não é mesmo?

Pois em alguns casos eu acho que a coisa passa dos limites. Acabei de ler uma nota do Yahoo! onde descobri que pelo menos três americanos resolveram prestar uma homenagem à uma preferência sua, mas não um ator, ou cantor. Trata-se de gente que resolveu batizar seus próprios rebentos dando-lhes o nome de ESPN. É isso mesmo, o canal de esportes das TV’s a cabo. O último caso é justamente sobre o qual eu li: Rebecca e Michael McCall batizaram seu filho de ESPN (leia-se Espen) McCall. Apesar da mulher não gostar da idéia logo de início, acabou afeiçoando-se ao nome.

Imaginem se a moda pega. Mais e mais pessoas batizando seus filhos com nomes de canais de TV. Num universo como esse estaremos vislumbrando dias em que nossos Joões e Marias se verão lado a lado de Globos, Bandeirantes e afins? Como não há nada que proíba a coisa, há sempre uma remota possibilidade. Assustador 😀

Bebê de Aço

Parece enredo de história de ficção científica? Parece enredo de história em quadrinhos? Muito provavelmente: O fato é que, em algum lugar da Alemanha, segundo nota que encontrei no Estadão, existe um super bebê, um garoto que está sendo classificado pela imprensa, e pelos cientistas como um mutante supermusculoso.

A questão é que o garoto, que tem menos de 5 anos de idade, possui uma alteração em seu código genético que impede que uma proteína chamada miostatina, que limita o crescimento muscular, seja produzida. Como resultado ele possui braços e pernas supermusculosos.

(…) o garoto é capaz de sustentar pesos de 3 kg com os braços estendidos, tarefa que muitos adultos considerariam impossível. Ele tem músculos com o dobro do tamanho previsto para crianças da mesma idade e metade da gordura corporal.

Apesar de ser um fenômeno já descrito em edição do New England Journal of Medicine, e da descoberta permitir, através de estudos, que apareçam remédios contra a distrofia muscular, por exemplo, há sempre a preocupação com o bem-estar do garoto: Com sua estrutura corporal, os cientistas acreditam que ele possa vir a sofrer, futuramente, de problemas no coração, ou, obviamente, distúrbios musculares.

Jambalaia

Se você é do nordeste, nem vale tentar responder à minha pergunta. Isso porquê o nordestino que é nordestino sabe o que é um bom prato quente. Trata-se de uma refeição extremamente apimentada, normalmente preparada a partir de um prato típico, como o vatapá ou o caruru. Se você não é chegado a comidas quentes desse jeito, é melhor se manter afastado delas. Mas, para descobrir, ao menos você tem que experimentar.

Em Chicago, Carlice Nash-Taylor e sua filha, Danyale foram a um restaurante e resolveram experimentar um prato de Jambalaya. Até aí, não há problema. Mas acontece que elas descobriram que o prato estava apimentado demais e tentaram devolver o prato ao restaurante. Os funcionários do local não aceitaram a devolução, chamaram a polícia para cobrar a conta e agora estão sendo processados por tal ato.

De acordo com o advogado da família, elas queriam pagar por parte da refeição, e a proposta não foi aceita. Eles teriam violado os direitos civis das duas, que agora só querem justiça. Um conselho de amigo: Se for experimentar um prato quente, ao menos faça-o em casa, ou na casa de um bom e velho amigo. Dá menos problema 🙂

Eu quero!!

Eu sempre me maravilhei com a linha Chessmaster. Agora que tive a oportunidade de conhecer a Chessmaster 10th Edition, então, nem se fala. Além dos belíssimos tabuleiros de sempre, o jogo parece continuar com seus pontos fortes: Um engine poderoso, que pode satisfazer desde os iniciantes, passando por aqueles que não entendem muito de xadrez — como é o meu caso, pois adoro o jogo sem saber jogar direito — e chegando aos grandes mestres sobre o assunto.

Uma novidade interessante, além de novos tabuleiros, é o redesenho da interface do jogo. Mas não pára por ai: A décima versão do programa traz ainda, pela primeira vez, peças animadas. ou seja, que se movimentam, lutando umas contra as outras. Mesmo que os que encaram o xadrez de uma forma mais séria possam vir a torcer o nariz para essa característica, aqueles que querem apenas um jogo descompromissado podem tornar as partidas no mínimo mais divertidas 🙂 E, de qualquer forma, há sempre a possibilidade de usar os tabuleiros convencionais…

Chessmaster 10 - 1 Chessmaster 10 - 2 Chessmaster 10 - 3

PS: O vídeo que acabo de ver com as peças se movimentando, no site oficial do jogo, em formato QuickTime, é simplesmente fantástico e hilariante. Só me fez querer ainda mais comprar o jogo. Ou, ainda melhor: Alguém se habilita a me dar de aniversário? Afinal de contas, nessas horas posso citar que outubro está praticamente aí!! 🙂

Surfando ao Pé-da-Letra

Net Surfing while SurfingSe perguntarmos aos internautas de plantão ao redor do mundo o que eles entendem por surfar, a resposta será rápida e rasteira, e virá praticamente em coro: Por vários anos agora o termo tem sido usado como sinônimo de navegar pela Internet, abrindo páginas e mais páginas da web em busca de informações. Mas uma parcela especial desse público lembra-se de surfar também em outro sentido, onde há praia, areia e pranchas: Mar.

Apaixonados pelo esporte agora podem se dar por (mais) felizes: É que acaba de ser inventado o primeiro protótipo de prancha de surfe capaz de acessar a Internet. Ou seja, surfistas do mundo inteiro poderão praticar seus dois tipos de surfe favoritos num piscar de olhos, já que o novo equipamento conta com laptop embutido, painéis solares e câmera de vídeo on-board. O sistema, wi-fi, é dotado de uma rápida conexão com a internet, através de pontos de transmissão localizados na praia.

Tudo isso foi posicionado anatomicamente para não atrapalhar o balanço dos surfistas enquanto estão pegando ondas: E o mais interessante: Mesmo com tudo acoplado, a prancha se mostra bastante leve, pesando apenas 2,3kg.

Essa história de novo?

Depois de Rosie Reid, estudante britânica que leiloou sua virgindade no último mês de março, conseguindo cerca de R$ 46 mil por ela, não se pensava que mais alguém fosse querer fazer a mesma coisa. Mas claro, foi um engano. David Vardy, estudante de 19 anos, também britânico, parece ser o próximo da fila: Colocou um anúncio no e-Bay que, após 7000 visitas, acabou sendo retirado do ar, pois o site entendeu que havia conteúdo sexual envolvido em sua oferta, com lance mínimo de 6 mil libras esterlinas.

Isso não foi problema para o garoto, que passou a anunciar sua proposta em seu próprio site na Internet. Até agora ele já recebeu oito propostas firmes, a maior delas no valor de 6114 libras. Se ele conseguir efetuar a venda diz que vai doar 1000 libras para instituições de caridade. David cita em seu site que seus interesses são entretenimento, mídia, computadores e dinheiro, e que nunca teve uma namorada séria por estar sempre envolvido com projetos de multimídia desde que era adolescente.

He is just hoping the winner is attractive.

Não posso nem dizer “se a moda pega estamos fritos”, porquê parece que a moda já pegou, não é mesmo? Fala sério!!

O Poder da Mente

Quatro voluntários de uma pesquisa realizada nos Estados Unidos são os precursores de algo fantástico: Eles conseguiram jogar video-game com a força do pensamento. Bastou que cada um dos quatro — todos com quadros de epilepsia — pensasse na palavra mover para que o jogo, que aliás é bastante simples, respondesse aos seus comandos. O único problema é que o sistema atualmente empregado pelo Dr. Eric Leuthardt, neurocirurgião do hospital Barnes-Jewish, em Saint Louis que trabalhou no estudo, é invasivo: Ou seja, foi necessário implantar eletrodos na superfície do cérebro dos voluntários — que têm seus crânios abertos —, para que então estes mesmos eletrodos fossem ligados externamente ao jogo.

Durante o estudo, os pacientes foram obrigados a ficar numa cama ligada a um computador por até duas semanas, mas Moran e Leuthardt — seu assistente — esperam desenvolver eletrodos que transmitam sinais sem conexões físicas.

Analisando a questão pelo lado tecnológico, seria perfeitamente possível transmitir sinais através de redes wireless, utilizando-se a tecnologia bluetooth, pra não mencionar outras, por exemplo. Já do ponto de vista científico, trata-se de uma das coisas mais interessantes sobre as quais eu já li até hoje. Se pararmos pra pensar, estudos como esses — embora ainda precisem de anos de testes em macacos ou outros animais antes de serem implantados em seres humanos definitivamente — são os precursores de uma tecnologia que pode fazer com que pessoas afetadas por paralisia, por exemplo, consigam realizar tarefas cotidianas como operar o computador, ou até dar ordens para se locomoverem através de equipamentos de transporte comandados por ondas cerebrais.

Quanto ao video-game, também seria interessante. E não seria complicado de aprender a manejar os controles com o cérebro: O artigo menciona que os voluntários levaram menos de 6 minutos para aprender a jogar, e obtiveram taxas de precisão entre 74% e 100%. Um deles, inclusive, acertou todos os 33 alvos que surgiram em sequência. Analisando calmamente, vocês já pararam pra pensar quanta coisa daria pra gente fazer só com o poder da mente? 😀

A Última Fronteira?

A Kaspersky Labs anunciou hoje que descobriu o Cabir, primeiro vírus de computador capaz de se transmitir pelas redes de telefonia celular. Acredita-se que o vírus tenha sido criado por um grupo internacional especializado na criação de pragas virtuais, o 29a, responsável, por exemplo, pelo vírus Rugrat, primeiro a atacar a plataforma Windows de 64 bits. Por enquanto, no entanto, não se descobriu nenhum efeito nocivo da praga, ou seja, parece ser inofensiva.

Pelo menos dois fatos me chamaram a atenção na matéria que li: Primeiramente, o vírus parece ser exclusividade do sistema operacional Symbian, que equipa vários celulares da Nokia. Disfarçado de utilitário de segurança, quando o arquivo infectado é executado, faz com que o vírus se instale e procure outros celulares vulneráveis a seu alcance, se transmitindo através de tecnologia bluetooth, wireless: Justamente a segunda coisa que me chamou a atenção.

Notícias como esta fazem com que tenhamos noção de que pragas virtuais, como vírus de computador, trojans e spywares não são exclusividade de laptops, palmtops e computadores desktop. Apesar de não ter sido encontrada nenhuma evidência de que o Cabir possua propósitos malignos, fica comprovado que é muito simples para qualquer um desenvolver código malicioso tendo como alvo os celulares, esses aparelhos que hoje são quase tão comuns quanto as canetas esferográficas em nosso poder. A grande questão é: Quanto tempo levará até que essas pragas cruzem a última fronteira e façam com que anti-virus para celular se tornem coisa corriqueira?

Desabafos

Garfield Waking upAcredito que não haja entre vocês quem nunca tenha ouvido falar do personagem Garfield, criado pelo brilhante cartunista Jim Davis, não é mesmo? Pois bem: O que talvez vocês não saibam é que este gato cor-de-laranja possui uma terrível aversão à segundas-feiras. Quantos de nós — pelo menos uma vez na vida — já não concordamos com ele, não é mesmo? Quantas vezes já não nos questionamos do porquê a segunda-feira tem que chegar tão cedo e com ela trazer todas aqueles inevitáveis momentos de volta? O momento de começar a semana de trabalho. O momento de voltar à escola. O momento em que devemos deixar de acordar tarde e voltar a madrugar. Deus ajuda quem cedo madruga, e isso é certo.

Ao contrário deste famoso gato, normalmente eu considero as segundas-feiras ótimos dias. Normalmente. Mas minha segunda-feira de hoje realmente foi formada por dois acontecimentos que me fizeram lembrar de Garfield, quando cita sua célebre frase, “I hate Mondays”. Primeiramente, o fato de — este ano — eu não ter tomado vacina contra a gripe, como acho que deveria ter feito, finalmente acabou mostrando suas consequências. A gripe, apesar de não muito forte, me pegou desprevenido. E o pior, com o mais irritante dos sintomas: Aquele que transforma nossos narizes em verdadeiras torneiras ambulantes 🙁 Estou péssimo, e tudo o que eu quero é que amanhã isso melhore. Espero que o velho ditado tantas vezes citado pela minha avó não se concretize comigo desta vez: “Gripe com remédio dura uma semana, e sem remédio, sete dias”. Terrível.

Não menos terrível é o segundo acontecimento. Como se já não bastasse a gripe, fui convocado novamente para ser mesário nestas eleições. Fui ao cartório eleitoral hoje — já gripado — para receber a notícia de que não adiantava pedir dispensa, que o juiz não ia nem considerar o caso. Tudo culpa minha, no final das contas. Não voto mais no centro — onde fica o cartório — e há tempos minha esposa vive comentando comigo que eu deveria transferir o título para nosso bairro. Por falta de tempo, e, muitas vezes, por pura falta de iniciativa, acabei postergando tanto a transferência que mais um ano se passou e eu continuei no meu antigo domicílio eleitoral… Agora terei que exercer meu fatídico cargo, o de primeiro mesário, por mais um ano. Há uma luz no fim do túnel, no entanto: Assim que passar o pleito eleitoral, posso entrar com um pedido de dispensa das funções de mesário. Aí sim, com grandes chances de conseguir minha tão sonhada liberdade.

É, segunda-feira. Desta vez você me pegou de jeito.

Falta de Afeto

Naquela que se mostrou ser uma decisão sem precedentes na justiça brasileira, um juiz de Belo Horizonte condenou o pai de um rapaz de 23 anos a pagar uma indenização no valor de R$ 52 mil por danos morais pelo fato de ter estado ausente do convívio familiar desde que ele tinha 6 anos de idade, ou seja: Por pura falta de afeto.

O rapaz tinha aproximadamente três anos quando seus pais se separaram. Até os seis, manteve contato razoavelmente regular com o pai, segundo consta do acórdão da 7ê Câmara Cível do Tribunal de Alçada de Minas Gerais.

A decisão em questão se baseia em uma nova tese, onde a família deixa de ser apenas o núcleo econômico de uma pessoa, e de possuir características meramente reprodutivas, para se tornar uma entidade onde prevalesce o amor, o companheirismo e o afeto. Na minha opinião, trata-se de uma das decisões mais acertadas de todos os tempos. Não basta a um pai pagar a pensão alimentícia a que um filho tem direito, mesmo que seja rigorosamente em dia. A criança — que por sinal não tem nada a ver com o fato de que seus pais se separaram — tem direitos assegurados ao amor, ao bem estar e à proteção, coisa que é responsabilidade dos pais, estejam eles unidos ou não. Ã?â??timo exemplo.