Lego, o Favorito

Uma nota do Ananova diz que o Lego foi eleito o brinquedo favorito entre os adultos, de acordo com uma pesquisa encomendada pelo Cartoon Network. Em segundo lugar ficou o Action Man, seguido de perto pela dupla de bonecos Barbie e Ken.

Isso me faz pensar em qual seria o meu brinquedo favorito. Não acredito que fosse um posto ocupado pelo Lego, mesmo porquê na minha época de criança o que mais valia mesmo eram os Hering Rasti., muito inferiores em qualidade às peças de Lego, mas igualmente divertidas. Acredito que, se eu fosse pensar de bate-e-pronto, ficaria mesmo com o bom e velho Playmobil, que me fez viajar no mundo da imaginação. Mesmo com minha couraça de adulto ao meu redor, com certeza seria capaz de brincar com os bonecos articulados até hoje. A caixa que guardo no sótão da casa dos meus pais, com o pretexto de que serão para os meus filhos, me denuncia facilmente 🙂

em Etc | 167 Palavras

Que Walkman, o quê!

Até hoje, 170 milhões de unidades de todas as versões de PlayStation foram vendidas ao redor do mundo todo. Mas é óbvio que a Sony não se daria por satisfeita com esse número. A gigante japonesa resolveu dar mais uma cartada, e apresentou na Electronic Entertainment Expo, realizada em Los Angeles, o PSP, abreviatura de PlayStation Portable, ou Playstation Portátil.

A novidade, no entanto, não deve chegar aos mercados americanos ou europeus antes do ano que vem. Medindo 17 cm por 7,4 cm e pesando cerca de 260 gramas, o PSP vem para tentar abocanhar uma fatia do mercado de videogames portáteis, hoje dominado em 95% pela Nintendo, com seu GameBoy. A Sony quer aumentar seus lucros, o que não parece ser difícil quando se trata do videogame, um sucesso de vendas desde 1994. Mas serão eles capazes de conseguir abalar a liderança da Nintendo no segmento de mini-games? Pessoalmente eu acho que não. A Nintendo já está consolidada no setor.

Falo isso porquê observo meus sobrinhos, por exemplo, que, salvo engano, estão sempre com o GameBoy nas mãos. Coisa de criança, às vezes chegam a brigar pra saber quem será o próximo a jogar. Embora com toda a certeza não se liguem necessariamente na marca, personagens como o bom e velho Mario com certeza mexem com suas cabeças e imaginações. Por outro lado, acredito que o PlayStation portátil seria uma boa coisa para algumas crianças, e, sobretudo, para alguns adultos viciados. A Sony anunciou que a qualidade gráfica de seu PSP será semelhante à do PlayStation 2, motivo suficiente pra fazer muito marmanjo que eu conheço ficar com os dedos coçando pra jogar não só em casa, mas virtualmente em qualquer lugar que quiser…

em Etc | 303 Palavras

A Lenda Urbana do Papel Comestível

(Inspirado em fatos reais)

— Mamãe, mamãe!! Me dá um chiclete?
— Nada disso, meu filho. Chiclete faz mal pros dentes, você sabe disso.
— Chichete faz mal sim, mamãe. Mas esse que você tem aí não faz.
— Faz sim, menino!
— Não faz, não senhora! Esse daí é sugarless.
Xuga-o-quê?!
— Ai, mãe. Sugarless. Quer dizer que não tem açúcar!
— Não tem?
— Não. E se não tem açúcar, não faz mal pros dentes.
— Hummm…
— Então, vai liberar esse chiclete?
— Tá certo, menino. Mas só esse aqui, hein?
— Tá bom.

(…)

— Menino!! Tira já esse papel da boca!
— Mas mãe…
— Eu sei que eu sempre digo pra vocês não desperdiçarem nada em casa, mas comer papel de chiclete?
— Ai, mãe… grande coisa!! Um papelzinho desses…
— Grande coisa nada, menino! Depois fica aí, com a barriga cheia de vermes!
— Solitária, mãe.
— Solitária. E não mude de assunto, mocinho!
Taenia solium, mãe.
— Agenor Batista Sodré Ferreira Moraes Filho!! Pare já de corrigir sua mãe!!
— Ai, mãe… tá bom. Mas é que o papel desse chiclete é comestível!
— O papel é comestível? E quem foi que disse?
— Ora, mamãe… Eu andei lendo por aí…
— Pra mim isso parece mais uma lenda urbana.
— Que lenda urbana nada, mãe!

Continuar lendo

em Etc | 786 Palavras

Café ou Cybercafé?

CaféTodos nós sabemos muito bem — ou, pelo menos já ouvimos falar a respeito — que o café da manhã é de longe a refeição mais importante do dia, pois é dela que tiraremos energia para nos sustentarmos até o final de nossas jornadas diárias. Mas pense bem: o que seria suficientemente capaz de fazer com que você deixasse o café da manhã de lado?

No caso daqueles que trabalham em grandes corporações, a resposta parece mais do que óbvia: Uma pesquisa, chamada Web@Work, encomendada anualmente pela Websense — empresa que desenvolve soluções para controlar o uso da internet —, que ouviu 500 funcionários e 350 gerentes de tecnologia, deu conta de que, nada mais, nada menos, 49% dos entrevistados ficaria sem café da manhã para navegar na internet.

Quando a pesquisa diz navegar na internet, obviamente trata-se de navegar para tratar de assuntos pessoais. A maioria dos entrevistados disse que passa de 1 a 5 horas por semana navegando na internet para tratar de assuntos pessoais, e, a grande maioria o faz para aproveitar o acesso que têm à conexões de alta velocidade: Apenas um terço dos entrevistados na pesquisa possui acesso de banda larga em suas casas.

As páginas mais acessadas pelos empregados são as de notícias (84%), viagem (64%), e-mails pessoais (56%), compras (55%) e bancos on-line (53%). Além de páginas, 17% dos usuários aproveitam a conexão para bater papo via programas de mensagens instantâneas, como o ICQ e o MSN, enquanto 21% ouvem rádios on-line ou assistem transmissões de notícias ao vivo.

Não me lembro de ter ficado especificamente sem tomar café da manhã para navegar na internet, mas o fato é que, por diversas vezes, já acordei mais cedo, para chegar mais cedo ao trabalho, para poder dar uma lida nas notícias do dia. É muitas vezes baseado nessas notícias que eu componho os posts desse blog, por exemplo. E por inúmeras vezes, também, já comi meu café da manhã em frente ao monitor do meu computador, no trabalho. Embora a maior parte do tempo em que eu esteja on-line no trabalho se deva ao fato de estar pesquisando informações vitais para o mesmo, há mesmo uma certa parcela de preocupação em mim ao lhes contar isso, porquê, fatalmente, o próximo passo para mim pode mesmo acabar sendo ficar sem meu desjejum matinal…

Celular Bloqueado!!

Devido a alguns pequenos problemas de sinal da minha operadora dentro da empresa onde eu trabalho, no final da semana passada comecei a cogitar a idéia de trocar o chip do meu celular GSM pelo chip de outra operadora. Fui até a loja da Claro e lá me informaram que poderiam me vender o chip por R$ 25, mas que muito provavelmente meu celular estaria bloqueado para uso com chips de outras operadoras.

Resolvemos fazer o teste na loja, ali mesmo. Eis que a mocinha, muito prestativa, trouxe um chip da Claro e inseriu no meu celular. Dali a alguns instantes a mensagem “SIM Card não reconhecido” aparecia no visor, o que confirmou nossas suspeitas: Realmente meu celular estava bloqueado. Ainda segundo a moça que me atendeu, eu poderia procurar a TIM para desbloquear meu aparelho, mas ela acreditava que eles fossem me cobrar uma taxa pelo serviço. Perguntei a ela de quanto estávamos falando, e ela arriscou que alguém da TIM me diria que a taxa era de R$ 100.

Como eu estava num shopping aqui da cidade, resolvi ir até o Ponto TIM, a loja deles, que fica no andar de cima. Fui até lá e — mais uma vez — pude constatar que a mocinha da loja da Claro estava mais do que correta. Quer dizer, ela errou o valor em R$ 10, já que me pediram uma taxa de R$ 90 pelo desbloqueio do aparelho, mas mesmo assim, qualquer um dos valores é extremamente absurdo. Ainda mais se considerarmos o fato de que, quando compramos um aparelho GSM, ele se torna nosso aparelho e, até onde eu sei, podemos fazer dele o que bem entendemos. Mas parece que a coisa não é bem assim, afinal de contas.
Continuar lendo

em Etc | 874 Palavras

Tróia

Este final de semana a Alê e eu fomos assistir à Tróia, filme do diretor Wolfgang Petersen (o mesmo de Mar em Fúria), que conta um pequeno pedaço da guerra entre Micenas, na Grécia, e Tróia. Esta guerra começa quando Paris, um dos príncipes troianos, se apaixona por e traz para Tróia Helena, rainha de Esparta. O problema todo é que Helena é mulher de Menelau, um guerreiro cansado de guerra, mas que recorre à Agamenon, seu irmão, o maior conquistador da época, para ajudá-lo a recuperar a mulher, para que ele mesmo possa matá-la, lavando sua honra.

Antes de irmos ver o filme, li diversas críticas a respeito, e a maioria delas negativa. Mesmo assim, não desanimamos. Para um épico, todas as cenas do trailer que eu assisti prometiam um belo filme. As batalhas, todas travadas em campo aberto, com milhares de soldados se engalfinhando, para mim são um belo retrato daquilo que supostamente — em 1193 A.C — deve ter acontecido de verdade. A maioria das críticas que eu li condena o filme por não ser capaz de retratar detalhadamente A Ilíada, a mais extensa obra de Homero, na qual o filme foi baseado, mas acho isso uma verdadeira injustiça. Como todo filme baseado em livros ou quaisquer outros tipos de obras literárias, sempre são omitidos detalhes. No entanto, na minha opinião, o filme não perde seu brilho por conta disso. Valeu cada centavo do ingresso.

em Etc | 258 Palavras

Escambo de GMail

Acho que, a essa altura do campeonato, todo mundo já deve ter ouvido falar do serviço de e-mail gratuito do Google, o GMail. Se não, só para que vocês saibam, é aquele que oferece — ou melhor, oferecerá, quando estiver em pleno funcionamento — 1 GB de espaço para guardar mensagens dos usuários, permitindo virtualmente que nada seja jogado fora, e que se forme então o maior dos históricos de mensagens já imaginadas.

Pois bem. O serviço do Google deverá ser gratuito, assim que for lançado. Especialistas dizem que o lançamento do mesmo deverá ocorrer no terceiro trimestre desse ano. Então, o que faz com que pessoas criem sites como o GMail Swap, onde troca-se contas do serviço por todo o tipo de coisa? Segundo pude ler na Folha, tem gente trocando conta do GMail até por molho de macarrão!!

Ainda segundo a reportagem, além das trocas, sites como o e-Bay estão cheios de propostas de venda de contas do serviço de e-mail do Google. Os valores variam entre US$ 20 e US$ 80. As vendas são, na verdade, de convites que alguns usuários convidados para testar o GMail recebem, e que podem repassar a mais algumas poucas pessoas. De qualquer forma, eu não entendo porquê a grande correria. Como eu já disse antes, o serviço vai ser de graça. Tudo bem que eu tenho o meu lado nerd, e que acharia super legal poder testar o serviço antes de todo mundo. Mas também acho o cúmulo oferecer coisas em troca de um convite, ou pagar por ele. Como se vê, no entanto, tem gente disposta a qualquer coisa pelo gostinho de experimentar a coisa na frente de todo mundo…

em Etc | 300 Palavras

Joguinhos Viciantes

Space Impact 2Todo mundo tem um ou outro jogo que, em sua opinião, é considerado extremamente viciante. Muitos já foram os casos em que, inadvertidamente, me deparei com jogos assim. Você joga uma, duas partidas, e acaba se interessando mais do que o normal. A última vez que isso aconteceu comigo, por sinal, foi essa semana. Acreditem ou não, estava assistindo à uma palestra que prometia ser muito boa. Daquelas de tirar o chapéu ao final, mesmo. Mas acontece que não foi exatamente como nos prometeram. Comecei a abrir a boca de sono, e, ao olhar para o lado e perceber que a reação não era exclusivamente minha, entendi que a coisa estava realmente entediante.

Uma amiga sacou o celular da bolsa. Começou a se entreter com a agenda de telefones, anotando alguns números novos nela, e logo em seguida passou a se divertir com um jogo, o Space Impact 2. Apesar de considerar vários joguinhos muito viciantes, nunca dei muita trela aos games de celular. Talvez porquê o teclado do meu aparelho seja extremamente minúsculo, e meus dedos sejam extremamente grandes e desajeitados demais para fazer qualquer coisa nele que não seja digitar os números do telefone de alguém antes de uma chamada.

Mas cá pra nós, eu tive que dar meu braço a torcer. O tal do joguinho é extremamente viciante, mesmo sendo de celular. Os comandos são muito simples, e o seu objetivo também: Basta destruir tudo o que aparecer na tela — várias naves alienígenas de todas as formas e tamanhos. Ao final de cada fase, um monstro maior — o chefe da fase — aparecerá para tentar lhe destruir. Fácil fácil você vai se apegando ao jogo. Tanto que eu quase não devolvi o celular pra ela, depois de algumas partidas. Tive que devolver obviamente. Mas me viciei. E até fui atrás de um clone do jogo, para PC. Como o Google tudo sabe, encontrei um site onde há esse clone para fazer download. Não é tão bom quanto o original, mas já que meu celular não tem Space Impact, esse dá pra ir levando.

Ah, e sobre a palestra… É melhor deixar pra lá 🙂

em Etc | 379 Palavras

Perfeição Agora em Barras

Sonho de ValsaEu não sei quantas pessoas concordam comigo, mas eu preciso dizer uma coisa: O Sonho de Valsa é um dos chocolates mais vendidos no Brasil, líder de vendas da Lacta. Também, pudera: Na minha opinião, trata-se de um dos bombons mais perfeitos do universo, onde conseguiu-se combinar chocolate e castanha de caju, numa mistura irresistível!

Sempre comentei, com todo mundo que me conhece, que uma das coisas que tornariam o mundo um lugar mais perfeito para se viver seria o sonho de valsa em barras, assim como já acontece com o Diamante Negro. Esse último sempre foi vendido em barras, mas, como se trata de outra das minhas paixões chocólatras, aproveitei para citá-lo também. Eis que, para minha enorme alegria, meu pedido foi atendido! Hoje, na hora do almoço, qual a minha surpresa ao me deparar com o Sonho de Valsa Mais, um bombom que, derivado do Lancy, também da Lacta, junta três Sonhos de Valsa (menores, infelizmente) em um só, e nos delicia três vezes mais?!? Como não podia deixar de ser, esse eu já experimentei. E se já gostava de Sonho de Valsa, do Sonho de Valsa Mais gostei três vezes… mais!

em Etc | 208 Palavras

No que você anda pensando?

Para os que moram nas grandes cidades brasileiras, centros urbanos incontestavelmente lotados com carros de todos os lados, a situação é mais do que comum. Quantas vezes vocês já se viram presos no grande terror da vida moderna nas capitais? Os engarrafamentos podem chegar a ganhar proporções tão grandes que assustariam qualquer um. Você vê as notícias nos telejornais: “Engarrafamento causa fila de 80km em São Paulo”. Pergunta como isso é possível. Mas inconscientemente você mesmo se responde essa pergunta.

Se você está do lado de dentro do carro, vai logo pensando que a sua hora programada de chegar em casa vai sofrer um atraso. De minutos? De horas? Não se sabe. Não dá pra ver onde começa o engarrafamento, ou qual a principal origem do mesmo. Então você desiste. Está preso no carro, e precisa esperar. “Quem espera sempre alcança”, não era isso mesmo? O jeito é se entregar aos pensamentos. E daí vem a grande pergunta: Você já se deu conta do que pensa enquanto está preso nos congestionamentos da vida? Eu, particularmente, costumo pensar sobre aquilo que preciso fazer quando chegar ao lugar onde tenho que ir. Se estou indo pra faculdade, penso nas aulas, ou num ou outro trabalho que tenho que entregar. Se estou voltando pra casa, penso em comer 😉

Na Alemanha, uma pesquisa encomendada pelo Auto Club Europa, em Stuttgart, ouviu 1833 motoristas para tentar descobrir as respostas. Os resultados foram os seguintes:

  • 8% pensam em quanta gasolina ainda têm no carro
  • 7% pensam em sua próxima refeição
  • 7% pensam em ir ao banheiro!
  • 6% pensam em sua carreira no trabalho

O mais interessante é a principal descoberta da pesquisa: 1 terço dos entrevistados ouvidos afirmaram que, enquanto estão presos nos engarrafamentos, aproveitam o tempo para pensar em fantasias sexuais. Será que esta é uma tendência global? Será que aqui no Brasil as coisas também funcionam desse jeito? Não sei. Mas você pode me dizer: O que passa pela sua cabeça ao volante, quando o engarrafamento vem?

em Etc | 344 Palavras

Oinc! Oinc!

O relato a seguir parece ser coisa de filme. Pra ser mais exato, seria a história perfeita para a continuação da série de filmes com o porquinho atrapalhado Babe. É que, da Alemanha, chega a notícia de que uma porca foi escolhida para um dos papéis principais de uma ópera.

A ópera, chamada Martha or Richmond Market provocou uma disputa entre seis donos de porcos. Mas Berta — nome da porquinha que foi declarada a vencedora dos testes — deixou pra trás todos os seus concorrentes: dois deles ficaram muito nervosos e um terceiro não chegou a tempo, porquê estava preso em um engarrafamento. Niklas e Emma, porcos restantes, é que foram efetivamente vencidos por Berta.

A dúvida que a nota deixa é a mesma que eu comecei a ter desde o momento em que eu li a chamada. Que tipo de papel pode uma porca ter em uma ópera? Eu já ouvi falar de arte moderna, e já vi vários exemplos dela, também, mas será possível que se consiga que um animal faça qualquer papel de destaque sem um treinamento prévio? Acho que o público alemão vai ter que conferir isso in loco: É que a obra vai estrear em 11 de junho próximo…

em Etc | 216 Palavras

A Urna Desaparecida

Não é todo dia que a minha cidade vira notícia de jornal, por isso é que essa nota da Folha me chamou tanto a atenção: Acontece que operários que estavam realizando escavações na obra de um futuro estacionamento a se localizar no bairro Putim, aqui em São José dos Campos, acabaram se deparando com um achado arqueológico.

Eles encontraram uma urna funerária indígena em meio às operações, e as interromperam imediatamente. Especialistas da Fundação Cultural de São José dos Campos e de Jacareí já removeram a urna do local, mas ainda precisam estudá-la com mais calma, antes de terem realmente certeza de suas hipóteses: O artefato teria origem tupi-guarani, mas ainda não se sabe qual sua idade. E também não se sabe, ainda, se este é um achado isolado, ou se a área onde o estacionamento estava sendo construído seria um cemitério de índios, no passado. Por enquanto a obra está embargada.

Anos Incríveis: O Retorno?

Quando eu era mais novo, um dos meus programas favoritos na TV — e muito provavelmente o de muita gente que eu conheço e não conheço pessoalmente — era Anos Incríveis. Adorava passar o tempo na frente da minha televisão acompanhando as aventuras de Kevin Arnold, Winnie e toda a turma deste programa que, enquanto durou (1988 a 1993) arrebatou multidões de fãs que não perdiam um só episódio que exibia as passagens da vida de Kevin, que cresceu durante os anos 60.

Meu amigo Renó, após encontrar vários sites e grupos de discussão na Internet que comentam sobre o programa até hoje, ouviu um boato de que a série voltaria a ser exibida pela TV Cultura. Resolveu mandar um e-mail para a emissora perguntando sobre o fato:


From: xxxxx @xxxxxx.com.br
To: falecom@tvcultura.com.br; dirprog@tvcultura.com.br; gerprod@tvcultura.com.br
Sent: Monday, May 17, 2004 9:43 AM
Subject: ANOS INCRVEIS
Bom dia,
Há cerca de 10 anos não perdia um capítulo sequer da fantástica série "Anos Incríveis" que a TV Cultura exibia diariamente. Ouvi um "boato" de que o programa voltará a ser exibido, assim como Confissões de Adolecente e gostaria de confirmar se isso é real e quando está programado a sua volta?
Muito agradecido,
Xxxxxxx RENÃ?â??.

Felizmente, para ele, eu e tantos outros fãs, as notícias são, no mínimo, promissoras:


From: falecom@tvcultura.com.br
To: xxxxxx @xxxxx.com.br
Sent: Monday, May 17, 2004 5:23 PM
Subject: Re: ANOS INCRVEIS
Prezado Telespectador,
Acusamos o recebimento de seu e-mail e agradecemos sua participação em nossa programação.
Informamos que ainda não temos data e horário definido sobre a série Anos Incríveis. O contrato foi assinado com a produção e possivelmente a volta ocorra ainda neste semestre.
Gostaríamos de lembrar que para manter-se informado sobre nossa programação, você deve consultar sempre nosso site: www.tvcultura.com.br.
Atenciosamente,
Serviço de Atendimento ao Telespectador
TV Cultura - São Paulo

Agora é só esperar!!

em Etc | 352 Palavras

Trabalhando para Melhor Servi-lo

A mudança para a nova versão beta do WordPress — 1.2-epsilon-RC1 — pode fazer com que coisas estranhas aconteçam por aqui a qualquer momento. Uma das coisas mais notáveis (fora o layout, que está temporariamente alterado) são os nomes dos meses e dos dias da semana: Ao traduzir tudo para o português, meu feed RSS 2.0 parou de funcionar. Voltei tudo para o inglês e, por enquanto, estou tentando terminar a tradução de um arquivo de localização para o Português do Brasil.

Se ninguém o fizer antes, assim que estiver 100% completo, os meses e dias da semana devem voltar a aparecer em português, por aqui… Aguardem e confiem 🙂

em Etc | 119 Palavras

Mandamento Chave

Eu não sei se existe algum dos mandamentos de Deus que deveria ser considerado mais ou menos importante. Muito provavelmente não, pelo menos pelo que eu me lembre de minha formação católica, iniciada na infância. Apesar de não ser um praticante ativo — com isso querendo dizer que não vou à missa regularmente, por exemplo — gostaria de citar algo que sei ser verdadeiro: Não devemos julgar ninguém, exatamente para que não sejamos julgados.

Pois bem. Fui julgado essa semana. Alguém disse algo sobre mim, sobre a minha pessoa, sem me conhecer. Foi uma pessoa que eu nunca vi — e que, provavelmente nunca mais vou ver de novo — a responsável por isso. Me deixou muito triste o que ela disse, e não vou dizer aqui o que foi. Basta dividir com vocês a minha tristeza, e a esperança que tenho de que, continuando a seguir o caminho que Deus ensina, baseado em verdade e amor, a pessoa que me disse o que disse acabe se dando conta de que não devia ter feito isso.

em Etc | 192 Palavras

Bon-Vivants Virtuais

Playboy Game

A imagem acima é uma das primeiras liberadas pela Arush Entertainment para promover o seu novo jogo de estratégia. Em Playboy: The Mansion, o jogador é convidado a assumir o papel de Hugh Hefner, o milionário criador da revista, que vive cercado de belas mulheres o tempo todo, e dá festas muito badaladas. A principal forma de se dar bem no jogo é justamente essa: Festejar, decorar a casa e curtir a vida. Cercado de mulheres, ao menos virtualmente :mrgreen:

em Etc | 79 Palavras