Teimosia Mortal

Homem morre no quintal após recusar ajuda

Glen Schibley, de 83 anos, estava trabalhando em seu jardim em Orlando, na Flórida, quando caiu e não mais conseguiu se levantar: Sua esposa, de 79 anos, queria pedir ajuda, mas seu marido disse que não, pois podia se virar sozinho. Três dias se passaram sob pesadas chuvas, e ele continuou deitado.

Embora não tenha ido pedir ajuda, sua esposa, de 79 anos, cobriu o marido com um plástico – protegendo-o das tempestades – e lhe trouxe comida e água durante todo o tempo: Até tropeçar no jardim, e também não conseguir se levantar. Quem achou o casal foi seu genro, que havia passado para saber como andavam as coisas. A mulher foi para o hospital com vários ferimentos, e o homem não resistiu.

Cá entre nós, é o cúmulo da teimosia: Que morte mais ridícula…

em Etc | 154 Palavras

Fábrica de Sonhos

Voltar das mini-férias proporcionadas pelo Carnaval sempre me provoca o que costumo chamar de leseira generalizada: A gente fica mole, por ficar tanto tempo em casa, sem fazer nada, absolutamente nada, a não ser acompanhar pela televisão os desfiles das escolas de samba. Não ligo muito para o caso, mas sempre tive comigo a sensação de que os carnavalescos e toda aquela gente são responsáveis por verdadeiras fábricas de sonhos, colocadas em funcionamento em pleno sambódromo, embalando a alegria de muita gente.

O reconhecimento deste pessoal é obviamente algo que não se pode deixar passar. Mas pense em uma fábrica de sonhos diferente, inventada pelos japoneses. Esta é, nada mais, nada menos, do que uma novidade que surgiu no oriente agora em fevereiro: A máquina tenta estimular seu usuário enquanto ele ainda está no estágio inicial do sono, ou REM (Rapid Eye Movement), para que ele tenha o sonho que deseja ter.

Os estímulos que o fabricante afirma darem certo variam: Vão desde a utilização de músicas, até aromas, mas passam pela gravação de uma frase que diga o que o usuário deseja sonhar, e pela memorização de imagens. Por mais entusiasta que eu seja do mundo da tecnologia, eis um assunto para o qual sou irremediavelmente cético. Ainda mais se, para provar que eu estou errado, eu precise gastar US$ 135. O que vocês acham?

em Etc | 246 Palavras

USB no PS2

Ontem, na casa de um amigo meu, fui apresentado à plataforma Playstation II. Dono de um Playstation I, obviamente eu já havia ouvido falar – e muito – dos jogos que estão disponíveis para a segunda versão do vídeo-game da Sony. Mas nenhum deles – embora eu tenha visto apenas um único título de jogo – será mais aterrorizante do que Fatal Frame II: Um RPG que mistura os ingredientes básicos do jogo com uma história de terror. É de arrepiar qualquer um.

Mas, na verdade, o post aqui é sobre um comentário desse meu amigo: Ele notou a presença de portas USB no PSII. Intrigado com o porquê de uma porta USB ali, ele me perguntou se eu sabia o motivo daquilo. Eu imaginei alguns acessórios do video-game que utilizassem essa interface. E não é que não demorou muito pra surgir um exemplo? A Sony mostrou essa semana, na IPv6 Business Summit, em Tóquio, um software que permite realizar video-conferências pelo Play II, através de uma câmera com interface USB. No entanto trata-se de algo experimental, e não se sabe se será lançada uma versão comercial do produto…

em Etc | 205 Palavras

A Mini-Sociedade do Anel

A Art Asylum é uma companhia americana que produz os chamados minimates, ou miniaturas de personagens de filmes e seriados de TV, entre outros. Sua vasta linha de produtos, que conta com os Marvel Minimates, Bruce Lee, Tony Hawk, e muitos outros, acaba de ficar maior, e reproduz agora personagens de uma das sagas de maior sucesso de toda a história da literatura, e, mais recentemente, do cinema.

De acordo com nota publicada no Omelete, a empresa está lançando agora os minimates de O Senhor dos Anéis. As miniaturas – que lembram muito os antigos bonecos de Playmobil – devem chegar às lojas americanas no meio do ano.

Lançadas em coleção aos pares, todos os personagens estarão representados: Primeiro virão Frodo e Sam, mas Legolas, Saruman, Gandalf e Pippin, sem falar de todos os outros, não serão esquecidos: Haverá também, obviamente, uma versão de Sauron, o Senhor do Escuro. Conheço muita gente por aí que faria qualquer coisa por uma coleção completa dessas… e vocês?

em Etc | 179 Palavras

Beijo na Boca é Coisa do Passado?

Pergunte a certos filipinos como foi que eles comemoraram o Valentine’s Day – Dia dos Namorados celebrado em 14 de fevereiro em vários países do mundo – e eles lhe darão uma resposta um tanto quanto diferente: Bom, pelo menos este será o caso de 5122 casais que se reuniram na capital das Filipinas, Manila, formando uma fila em uma das ruas principais da cidade, onde cada um deles se beijou por pelo menos 10 segundos na passagem da meia-noite da sexta-feira para sábado.

Além de se mostrar uma comemoração diferente, eles ainda conseguiram a façanha de quebrar o recorde mundial anterior de casais se beijando, conquistado ainda no mês passado, quando 4445 casais se reuniram em Santiago, no Chile.

Beijar continua sendo uma das melhores coisas do mundo, ainda que seja algo que dure apenas 10 segundos. Muitos beijos são, diariamente, inclusive menos demorados do que isso: É que beijos muito demorados podem, literalmente, fazer com que você fique sem ar. Na Itália, por exemplo, um homem que beijou sua noiva por 31 horas e 18 minutos seguidos precisou ser reanimado com oxigênio depois de tal ato. A namorada não precisou da reanimação, mas se deitou no chão para descansar. Falta de ar à parte, os dois ainda faturaram US$ 12,7 mil, e terão seus nomes registrados no Guiness.

em Etc | 226 Palavras

Quem quer pão?

O que você faria caso chegasse em casa com um saco de pão que você julga ser pão fresquinho, e descobrisse que se trata de pão amanhecido?

em Etc | 30 Palavras

Cliente Ouro?

Meu pai andava indignado com o preço cobrado por certa operadora de TV por assinatura, e então pediu a minha mãe que ligasse para eles para que cancelasse o serviço. Ele preferia, inclusive, pelo alto valor que estava pagando, optar pela concorrente, porquê viu um anúncio na TV onde esta dizia ter um preço especial para quem fosse assinante de outras empresas.

Acontece que o tal preço especial nada tinha demais. Ele consistia de 6 parcelas de R$ 99,00 por uma taxa de adesão, e de pacote completo por 5 meses, sem mensalidade. Depois disso, a mensalidade iria para R$ 59,90 com o pacote básico, e R$ 109,90 com o pacote completo. Acontece que o pacote básico da Operadora A equivale ao pacote completo da Operadora B: Ou seja, não compensava, principalmente levando-se em conta que meu pai já estava acostumado com certos canais que ele perderia.

Toca ligar pra Operadora A. Depois de algum tempo esperando, minha mãe perguntou porquê o pacote básico dela, chamado pela DirecTV de pacote ouro era R$ 5,00 mais caro que o meu pacote básico, denominado pacote básico, se os canais eram os mesmos: A resposta do atendente foi que não havia diferença entre os pacotes, e que minha mãe poderia trocar o dela por um pacote chamado ouro plus, reduzindo o valor cobrado, e igualando o mesmo ao valor que eu pago. Ela perguntou o porquê da diferença, e o rapaz lhe disse que isso se devia ao fato da assinatura dela já estar ativa há muito tempo, motivo pelo qual ela era o que a DirecTV chama de cliente ouro. Opa! Peraí! Quer dizer então que quem tem o serviço há mais tempo vira cliente ouro e, ao invés de pagar menos, paga mais?

Essa eu desconhecia. Depois disso, minha mãe corrigiu o valor da assinatura dela, deixando de ser uma cliente ouro, e voltando ao rol dos clientes meramente clientes. Agora, descontando-se o valor dos serviços opcionais para conforto do assinante, sua assinatura ficou R$ 38,90 mais barata! Sorte do meu pai, que ficou bem mais satisfeito, e motivo de atenção para todos nós: Você já se perguntou o que andam descontando dos serviços que você assina?

em Etc | 386 Palavras

Por que gritar?

Um dia Meher Baba perguntou aos seus discípulos o seguinte:

– Por que as pessoas gritam quando estão aborrecidas?
Os homens pensaram por alguns momentos…

– Porque perdemos a calma, disse um deles. Por isso gritamos.

– Mas por que gritar quando a outra pessoa está ao teu lado? Perguntou Baba. Não é possível falar-lhe em voz baixa? Por que gritas a uma pessoa quando estás aborrecido?

Os homens deram algumas respostas, mas nenhuma delas satisfazia ao Baba.

Finalmente ele explicou:

– Quando duas pessoas estão aborrecidas, seus corações se afastam muito. Para cobrir essa distância, precisam gritar para poder escutar-se. Quanto mais aborrecidas estiverem, mais forte terão que gritar para escutar um ao outro através desta grande distância. O que sucede quando duas pessoas se enamoram? Elas não gritam, mas sim, se falam suavemente. Por que? Porque seus corações estão muito perto. A distância entre elas é pequena.
Baba continuou:

– Quando se enamoram, acontece mais alguma coisa? Não falam, somente sussurram e ficam mais perto ainda de seu amor. Finalmente não necessitam sequer sussurrar, somente se olham e isto é tudo. Assim é quando duas pessoas que se amam estão próximas.

E então Baba concluiu:

– Quando discutirem, não deixem que seus corações se afastem. Não digam palavras que os distanciem mais. Chegará um dia em que a distância será tanta que não mais encontrarão o caminho de volta.

(vi aqui)

em Sem categoria | 255 Palavras

Bye Barbie, Bye Ken!

Para o público feminino que acessa este humilde blog, segue uma notícia-bomba que provavelmente não será destaque em sites especializados. O casal mais célebre do mundo das bonecas, cujo romance começou em 1961, quando Barbie conheceu Ken em um set de filmagens, está se separando.

Independente do que a Mattel, fabricante da boneca, esteja realmente preparando daqui pra frente, as explicações para o rompimento chegam a ser hilárias, pois lembram muito as histórias de casais de Hollywood. De acordo com a agente da boneca, Russell Arons, vice-presidente de marketing da empresa, pode ser que o pivô da separação tenha sido o boneco Ken, devido a um grave problema que acomete homens (de verdade) em todo o mundo: A insistência em não se casar, em contrapartida à vontade feminina de realizar este desejo.

Para justificar ainda mais o fato, Arons completa, dizendo que todas aquelas Barbies encontradas mundo afora com vestidos de noiva mais do que deixam claro o desejo da boneca de se casar. Agora, apesar de Barbie e Ken continuarem bons amigos, cada um seguirá o seu caminho: A Mattel já criou um boneco, Blaine, o surfista australiano, que pode ser o próximo da fila. E Ken deve entrar em outra onda, muito em breve.

E tudo isso, meus amigos, com bonecos: Life in plastic is fantastic.

em Etc | 229 Palavras

O Vídeo da Questão

Da Grécia vem uma história que faria qualquer um pensar em não procurar nada muito comprometedor na Internet. Afinal de contas, você pode acabar achando, não é mesmo? É que um homem grego de 30 anos, não identificado, resolveu promover uma investigação por conta própria, de forma a tentar descobrir porquê sua esposa, uma jovem de 25 anos, passava tanto tempo conectada à Internet, em casa.

Surfando na rede mundial de computadores – provavelmente à partir do histório de páginas acessadas recentemente – ele acabou encontrando um vídeo de sua esposa tendo relações com seu amante, em um site pornô. A polícia, depois da denúncia feita pelo próprio homem, realizou a prisão do responsável pelo site, que contava com mais de 5 mil associados e 30 mil visitas por dia.

Vou lhes contar uma coisa: Com todas as histórias de traição que se ouve contar por aí, certamente esta deve ser a pior maneira de descobrir que algo vai errado entre você e seu companheiro de matrimônio… Cada uma que aparece, hein?

em Etc | 185 Palavras

Quem dá mais?

Um montante de quase R$ 46 mil. Foi o que conseguiu a estudante de política social da Universidade de Bristol, na Inglaterra, Rosie Reid, de 18 anos de idade, quando decidiu que não queria terminar sua faculdade acumulando grandes dívidas: Para tanto, ela decidiu leiloar sua virgindade pela Internet.

A estudante, que declarou à imprensa ser homossexual, conseguiu uma oferta que julgou satisfatória, e encerrou o leilão garantindo a quantia em questão, que foi de ã 8,4 mil. Agora, tudo o que ela precisará fazer será entrar em contato com o felizardo ganhador.

A nota que eu li, da BBC, traz comentários da mãe de Rosie, que diz que preferia que as coisas não fossem assim, mas que nada pode fazer, porquê a moça já é adulta. A universidade, por sua vez, nada disse, visto que não há relação direta entre o fato e eles. No entanto, imaginem só se a moda acaba pegando a nível mundial. Maus exemplos à parte, até que não seria de se espantar, visto que, hoje em dia, tudo é artigo passível de ir para o e-Bay, não é mesmo?

em Etc | 194 Palavras

Cão robô é isso aí

Todos vocês provavelmente já ouviram falar no Aibo, aquele cão-robô desenvolvido pela Sony, e que sai pela bagatela de US$ 1600, aproximadamente. Ao invés de empatar esse dinheiro comprando o robozinho, imagine as coisas que seriam possíveis de se criar caso sua plataforma de software estivesse disponível. Acontece que está. E tem gente que já criou coisas interessantes baseando-se nela.

Natalie Jeremijenko, professora de engenharia da Universidade de Yale, nos EUA, é a mãe dos cães-farejadores robô. Feitos como o Aibo, os Feral Robotic Dogs também são de plástico e metal, mas são programados para possuírem olfato e poderem sentir o cheiro de compostos como solventes de tinta, cola de sapateiro e toxinas perigosas. Também são capazes de andar sobre diversos tipos de solo.

Essa última informação tirou-me uma dúvida grande: Que cães-robos poderão no futuro desempenhar diversas tarefas diferentes eu não duvidava. Mas fiquei pensando nestes pobres bichinhos embrenhados mata adentro, farejando drogas: Aparentemente, ao contrário do que eu pude imaginar, já são usados – com sucesso – nos EUA, Austrália e na Europa. Prova de que é possível fazer com que o melhor amigo do homem mecanizado tenha tarefas muito mais úteis do que simplesmente abanar o rabinho e pedir comida

em Etc | 223 Palavras

De Hoaxes e Spywares

Você acreditaria que um hoax que veio à tona em 2002 ainda pudesse estar causando tumulto entre alguns usuários de computador? Acredito que a resposta da maioria de vocês seja sim. Pois vejam bem o que aconteceu em casa, com a minha irmã. Ela veio me avisar que havia recebido um e-mail onde era mencionado um vírus, o jdbg. O mesmo e-mail conteria instruções detalhadas sobre como localizar um certo arquivo, e exclui-lo do seu computador, coisa que minha irmã acabou fazendo, inadvertidamente.

O tal arquivo é o Jdbgmgr.exe citado na mensagem como o tal vírus, e na verdade, nada mais do que um simples boato. Este arquivo nada mais é do que o Microsoft Debugger Registrer for Java, um arquivo legítimo do Windows. Prova de que a mensagem certa, carregada com pitadas de pânico provocado, pode levar os usuários a fazer qualquer coisa, inclusive prejudicando seu próprio sistema operacional. Agora que minha irmã já sabe da história, está ignorando mensagens adicionais de amigos dela, e avisando-lhes a respeito.

Falando sobre trojans e vírus realmente reais, essa semana minha mãe encontrou 3 vírus no computador dela, que foram removidos pelo Avast! assim que foram detectados. O problema era um Trojan Horse, chamado DyFuCa, representante típico das pestes que são os spywares modernos. Nada, no entanto, que o Ad-Aware não fosse capaz de lidar.

É como eu sempre digo: Nos dias de hoje, guarde as proporções da neurose, deixando-as de lado, mas tenha sempre à mão essa dupla: Um anti-vírus e um removedor de pestes. Vale muito a pena.

em Etc | 273 Palavras

Crédito Extra

A atual condição em que me encontro me faz precisar de um telefone celular. Isso me torna igual a milhares, ou, melhor dizendo, milhões de pessoas, tanto dentro do país, quanto fora dele. No entanto, eu mais recebo ligações do que as faço, e isso me tornou adepto do que todos conhecemos como celulares pré-pagos. Você não precisa se preocupar com a conta, visto que seu volume de ligações recebidas é muito maior do que o de ligações feitas: Assim sendo, o sistema de créditos cai bem. Compro mais quando eu preciso, certo?

Mas eu sempre disse a meus amigos e familiares que achava o sistema de créditos injusto em um ponto: A validade deles. Quer dizer, sempre comparei créditos de celular à gasolina que você usa pra abastecer o seu carro. Se você roda com o carro, a gasolina é gasta e logo você precisa reabastecer. Mas se você fica com o carro parado por seis meses, fica seis meses sem pôr gasolina, a gasolina continuando no tanque. Se pára um ano, é o mesmo que um ano sem abastecer, mas a gasolina fica no tanque, correto?

Porquê os créditos de celular não podem ser gerenciados pelo mesmo princípio? Se eu fico um tempo sem ligar pra ninguém, quero ter os meus créditos disponíveis. Até agora achava que eu era o único a pensar assim, mas parece que um deputado está do meu lado. Leandro Vilela, do PMDB de Goiás, está propondo um Projeto de Lei que poderá aumentar a validade dos créditos dos celulares.

A medida que o deputado está querendo implantar não torna os créditos indefinidamente disponíveis, mas sobe o prazo médio que as operadoras dão, 3 meses, para pelo menos um ano. Assim, pessoas que têm rendas mais baixas podem ser beneficiadas. E também aqueles que fazem pouquíssimas ligações celulares, como eu. Tomara que esse Projeto de Lei, que pode ser aprovado diretamente pela Câmara dos Deputados, sem passar pelo Plenário, não demore a sair. É mais um passo em direção àquilo que eu realmente gostaria: Pagar pelos créditos somente quando eu os utilizar…

em Etc | 380 Palavras

Big Brother da vida real

Imaginem alguém criando um banco de dados de proporções gigantescas, de forma a armazenar informações sobre cada livro comprado, programa de televisão assistido, e-mail enviado ou passagem aérea comprada por cada um dos cidadãos de um país. Além disso, esse mesmo banco de dados gravaria tudo o que fosse dito ou visto por cada pessoa. Parece um enredo de filme de ficção científica, não é mesmo? Mas trata-se de um projeto verdadeiro, mantido pela Darpa – Defense Advanced Research Projects Agency, nos Estados Unidos.

A notícia toda em volta do LifeLog, nome dado a tal projeto, e que significa algo como Registro da Vida, é que o Pentágono ordenou seu cancelamento. A nota, que eu li na Wired News, afirma que vários pesquisadores que trabalhavam no projeto nem sequer sabem porquê ele foi deixado de lado. Segundo o governo americano, tratou-se de um problema de mudança de prioridades.

Imaginem vocês terem sua privacidade invadida segundo a segundo. A menos que você faça isso de livre e espontânea vontade, seria algo constrangedor demais para se pensar. Ter registrados todos os seus passos, movimentos, falas e compras seria a maior das invasões possíveis à individualidade de alguém. Fico pensando se este tal cancelamento anunciado não é apenas uma fachada. Pode ser, afinal de contas, que eles continuem levando adiante essa doideira. Talvez eu esteja assistindo muito a Teoria da Conspiração. Mas talvez eu só esteja mesmo é com medo de que, continuando-se com esses experimentos, o próximo passo seja até mesmo o controle da mente das pessoas, tal como neste filme aqui. Tudo, de acordo com a ficção, seria simples demais: Dispositivos de controle mental acoplados às antenas de telefones celulares.

Dá pra se sentir um ratinho de laboratório, não dá?

em Etc | 313 Palavras

Em nome do Pai

É impressionante que notícias como esta que vou comentar agora – que ocorrem no Brasil – só sejam veiculadas com maior destaque pela mídia internacional. O caso envolve um assalto à um mosteiro – o Mosteiro Belém, localizado em Guaratinguetá, interior de São Paulo, e seria apenas mais um crime corriqueiro em nosso país, não fosse por uma certa peculiaridade que envolveu um padre e os assaltantes que invadiram o local.

Acontece que após roubarem cerca de R$ 20 mil, os assaltantes fizeram com que o padre jurasse pela Bíblia que havia lhes entregue todo o dinheiro que estava no local. Quinze homens armados e encapuçados levaram tudo, e ainda pediram aos religiosos que os perdoassem pelo assalto: Só estavam fazendo aquilo porquê precisavam do dinheiro.

Sim, sim: Quem não precisa? Vê se pode.

em Etc | 142 Palavras