Eu Visto o Futuro

Numa alta temporada do verão, você está morrendo de calor. É hora do almoço, e você, saindo do escritório, se dá conta que aquela camisa social de manga comprida – e ainda por cima, com um tom escuro -, não foi uma boa escolha, e agora está derretendo dentro dela. Mas pudera, como você iria saber, se a temperatura de manhã dava a impressão de que o dia seria frio?

Se você mora em São Paulo, ou em suas redondezas, não deve se espantar com isso. É muito comum que aconteça por aqui, uma situação dessas. Acontece que, vestindo o futuro, bastaria reprogramar as mangas de sua camisa para que elas ficassem curtas. Ao menos a sensação de calor passaria. Parece coisa de filme de ficção científica? Pois não é muito diferente disso não. Essa semana, um desfile denominado I Wear the Future ganhou as passarelas francesas, que normalmente mostram tendências da moda, mostrando que se pode aliar tecnologia à moda.

Um dos pontos mais interessantes sobre o desfile é que ele não foi comandado por nenhum estilista, e sim por um representante da Agência Espacial Européia. A intenção era mostrar que tecnologias recentes – inclusive as aplicadas em missões espaciais – se aplicadas à roupas, são, sem sombra de dúvida, um sucesso absoluto. É o caso da camisa que citei acima – além de tudo ela vem com memória, que permite que ela, ao ser esticada, volte à sua forma original, sendo necessário apenas que se passe o secador de cabelos sobre ela.

Outras peças incluem um pijama para recém-nascidos, com sensores e sinais que lêem a respiração da criança e previne a Síndrome da Morte Súbita para eles, soando alarmes se necessário. Tem também um casaco com aerogel, que protege quem o usa de temperaturas muito baixas, que atingem 50 graus negativos! Andando por São Paulo, que tal um casaco anti-violência? Leve como cashmere, mas cinco vezes mais resistente que o aço, protegendo contra balas de revólver, e até granadas, essa roupa ainda é resistente ao fogo, e dizem seus criadores que nenhuma faca ou objeto cortante é capaz de perfurá-la…

As roupas são apenas protótipos ainda. Até que alguém decida comercializá-las, o que não deve demorar muito. Ai sim, poderemos ver mulheres usando o Joydress, um vestido anti-estresse. Ele recebe impulsos de um pequeno controle externo, que massageiam o corpo e estimulam a circulação sang¼ínea. Tecnologia e moda definitivamente combinam, não é mesmo?

em Etc | 444 Palavras

Sopa de quê?

Se você estiver de passagem pelos EUA, e nas redondezas de Irvine, na Califórnia, fica aqui o meu conselho: Evite o McCormick & Schmicks Seafood Restaurant, que fica por lá. O motivo é que seus advogados (isso mesmo, advogados) estão até agora tentando explicar como uma camisinha foi parar na sopa de uma cliente. Parece brincadeira, de muito mau gosto, mas não é não. Havia realmente algo de estranho na comida.

Laila Sultan pediu sua sopa e, ao tomá-la, acompanhada por mais 3 amigos, sentiu algo diferente na boca. Primeiro achou que fosse um pedaço de peixe ou camarão, mas então notou que a textura era emborrachada. Agora, o processo que ela e seus amigos resolveram bancar contra o restaurante está empacado: É que os donos do estabelecimento juram de pés juntos que não sabem como é que o material foi parar na comida… Só posso dizer o seguinte: Da próxima vez em que você escolher um estabelecimento para matar a fome, procure saber sua classificação na vigilância sanitária. Felizmente, aqui em São José, alguns estabelecimentos deixam estas classificações à mostra…

em Etc | 191 Palavras

Cuspindo fogo em português

Segundo esta nota aqui, divulgada pelo Notícias Linux, e que me foi enviada pelo Fábio (valeu, cara), o Mozilla Brasil já conta com domínio próprio.

“O Mozilla Brasil tem por finalidade criar, como uma comunidade, um ambiente de tradução, divulgação e suporte do Mozilla para a comunidade brasileira.”

Como lançamentos iniciais, já disponibilizados pelo site, as traduções para o português do Mozilla 1.4 e do Thunderbird 0.3.

O dragãozinho agora fala nossa língua

em Etc | 82 Palavras

Não tem jeito mesmo…

Problema com motor atrapalha Barrichello nas 500 milhas de kart

Depois vêm me dizer que eu estou criticando demais, e coisa e tal… Quem sabe a velocidade não seja mesmo o negócio de Rubinho? Talvez futebol, caratê, musculação… Eu não sei… O que vocês acham?

em Etc | 50 Palavras

Sem beijação…!

Se o que as autoridades russas querem instituir em Moscou pegar por aqui, eu não sei o que poderá acontecer: É que em Moscou, a polícia solicitou ao governo que fossem instituídas multas para os casais que estiverem se beijando em público, em locais como metrôs e shopping centers. O motivo é que, juntamente com o comitê educacional da cidade, ambos acham que se trata de um mau exemplo para as crianças russas, afetando a moral e os bons costumes.

Incluídas em práticas imorais, tais como beijar, e também sujeitas a multas, estão consumir álcool – e ficar bêbado -, cuspir e realizar preces em voz alta demais. Os que beijam demais, e os que fazem qualquer uma das outras coisas podem estar sujeitos a multas de 300 a 500 rublos, o que chega a praticamente ã10. Os ativistas que são contra esta nova lei dizem que já estão preparados para passar o dia beijando na boca, se for necessário protestar… Eu hein?

em Etc | 172 Palavras

Deskbar

O Google está lançando mais uma novidade, a sua Deskbar, que, para quem usa o Windows, se incorpora ao lado do system tray, e permite a busca na web mesmo que seu browser não esteja aberto, e também acessar o Google através da prática combinação de teclas de atalho CTRL+ALT+G.

Parece ser uma boa, visto que também se pode procurar por imagens (CTRL+I), notícias (CTRL+N) ou preços de produtos, através do Froogle (CTRL+F). Nota deste que vos fala: Faltam, a meu ver, duas coisas: Uma busca no Google Groups, uma referência fantástica sobre conteúdo da Usenet, e, é claro, uma versão que não dependa do Internet Explorer. Aí sim, fica perfeito…

em Etc | 130 Palavras

O computador já pode ser desligado com segurança (será)?

Não podia deixar de citar aqui uma série de motivos pelos quais, aparentemente, a trilogia Matrix foi inspirada diretamente pelo sistema operacional Windows, da Microsoft. Veja se você concorda, após a leitura…

1. Você precisa fazer um “reload” de tempos em tempos.

2. Apenas 0,1% do código não é compreendido, mas é capaz de comprometer os 99,9% restantes para que o sistema não funcione.

3. Você se vê obrigado a comprar outros produtos, supérfluos e caros, para entender aquilo pelo que havia pagado antes.

4. É muita a expectativa ante a chegada do novo… A abstinência sempre leva a vender mais nas próximas versões.

5. Tudo parece muito bonito no papel, mas na realidade é mais obscuro.

6. Novas versões nem sempre eliminam problemas anteriores, mas provocam novos problemas no futuro.o

7. O sistema operacional acha por padrão que você não sabe pensar, não quer, ou não deve pensar por conta própria.

8. O sistema acaba com todos os recursos do equipamento e esgota a energia do usuário.

9. Quanto mais coisas acontecerem ao mesmo tempo, mais as coisas acontecerão em câmera lenta.

10. Qualquer programa que seja utilizado por um usuário pode se voltar contra ele.

11. Todos os passos são monitorados pelo criador do sistema operacional.

12. Os programas, mesmo eliminados, sempre continuam no sistema fazendo o que não deviam.

13. Você tem sensações de “deja vu”, e de que isto é alguma falha no código.

14. A rapidez de execução dos programas é apenas um mito.

15. Por mais que alguém se atualize e conheça o funcionamento, sempre serão lançadas novas versões desnecessárias, que fazem a mesma coisa, só para aumentar o controle sobre o ambiente.

16. As idéias inteligentes são perseguidas e aniquiladas, por menores que sejam.

17. Qualquer hacker é capaz de ultrapassar seus firewalls.

18. Os programas criados ali não funcionam fora de seu ambiente operacional.

19. O idealizador não trabalha para as necessidades dos usuários avançados, uma vez que a maioria está feliz de subutilizar um programa ou aplicativo que não compreende.

20. O ambiente facilita a multiplicação de virus e a atuação dos hackers.

21. O sistema já toma as decisões por você ainda que você não prefira que seja assim.

22. Nem mesmo experts entendem 100% do funcionamento.

23. O lançamento das sequências dos produtos se atrasam quatro anos.

24. Tudo o que você vê é sempre uma cópia de algo que já existia antes.

25. As perguntas dos usuários são ignoradas.

26. A maioria dos programas funciona mais lentamente do que deveriam.

27. No começo tudo parecia ser o paraíso, mas não serviu para nada. Cada vez que se lança uma nova versão, tudo fica pior para o usuário.

28. Seus lançamentos são mundiais, simultâneos e cortados pelo gerente de Marketing.

29. Os programas oferecem ao usuário uma ilusão de entretenimento e prazer, enquanto seus idealizadores aumentam seu poder sobre o mundo.

30. As mensagens de orientação do sistema, quando existem, são vagas e indiretas.

31. Qualquer problema, por menor que seja, cresce e cresce até fazer com que todo o sistema precise de um “reload”.

32. Uma simples queda da fonte de energia pode comprometer todo o sistema.

33. Nos novos lançamentos se preocupa mais com a aparência e com a eliminação das competências de melhoria, ou do que antes funcionava corretamente.

34. Executar dois programas poderosos no mesmo sistema gera confusão.

35. Lança-se correções que corrigem tudo o que tinham dito ter solucionado 72 horas antes, e que não conseguiram resolver, na verdade.

36. Formatar o HD e reinstalar o sistema é o melhor “reload”.

37. Os “idealizadores” querem controlar o mundo somente porquê fizeram um programa que 90% do mundo utiliza.

38. A maior parte dos recursos de sistema são consumidos somente para dar uma ilusão de bom funcionamento.

39. Eles estão convencidos de que o ambiente alternativo, criado pelos hackers, pode ser escolhido pelos usuários em algum momento futuro.

40. Não se pode confiar nos agentes de segurança.

41. Não se pode fazer nada contra os bugs, a não ser que você prefira ser a cobaia de uma nova versão.

42. Se você quiser ver alguma coisa mais, sempre vai precisar de um plug-in.

43. É preciso destruir-se quase tudo a cada versão nova lançada.

44. Por mais que se programe e pretenda solucionar os problemas, sempre há algo que tem que ser resolvido através de um “boot” ou “reload”.

45. O suporte sempre pensa que você é um idiota e que não sabe o que está fazendo ou dizendo. Conclusão: descubra você mesmo onde está o erro.

46. Os idealizadores sempre prometem acabar com um erro que eles mesmos criaram.

47. Programas mais antigos geram problemas.

48. Seu criador pensa que é Deus.

em Etc | 806 Palavras

Telefone de Pulso

Que a gigante de comunicações japonesa NTT DoCoMo seria capaz de inventar um telefone digno de desenho dos Jetsons, localizado no pulso do usuário, nenhum ser mortal jamais ousaria duvidar. Acontece que a grande novidade do aparelhinho é transformar o dedo de quem o usa em fone de ouvido!

O Finger Whisper (inglês para Sussurro dos Dedos) consiste de uma pulseira que transforma os sinais do telefone de pulso, digitais, em vibrações que vão diretamente para os ossos da mão do usuário. Estas vibrações podem ser captadas pelos tímpanos, quando o dedo é colocado próximo do ouvido. Se ao invés de ouvir, o usuário quiser falar, basta usar um microfone que está acoplado na pulseira.

Se você acha que não se trata de tecnologia suficiente, ainda tem mais: Como o telefone não possui teclado, as chamadas são feitas por reconhecimento de voz. Além disso, para iniciar ou finalizar uma chamada, basta pressionar o dedo indicador contra o polegar. Tecnológico demais? Que nada… eu quero

em Etc | 179 Palavras

A Escova de dentes pré-histórica

Existem tradições e hábitos dos seres humanos que transcendem a barreira do tempo e nos fazem ter incerteza sobre quando exatamente começaram a surgir. Um desses hábitos é escovar os dentes. Parece que, para este caso em específico, ao menos, a tradição é bastante antiga. É tão antiga que remonta aos tempos da pré-história.

Leslea Hlusko, uma paleontóloga da Universidade de Illinois, parece ter descoberto que o homem pré-histórico usava talos de gramíneas como palitos. Ela chegou a esta conclusão depois de analisar fósseis com quase 2 milhões de anos de idade, todos eles apresentando ranhuras em seus dentes, como se algum material tivesse sido esfregado ali. Para comprovar a coisa, passou 8 horas esfregando grama contra o dente de um babuíno, e conseguiu dar fundamento científico à sua crença.

Hmmmmmm… O que será que os homens das cavernas usavam como Listerine? =8^)

em Etc | 156 Palavras

Crimes Digitais

Câmara aprova projeto que pune atuação de hackers

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira, projeto de lei que pune crimes cometidos na área da informática, como a ação dos hackers (internautas piratas que invadem redes de computadores), clonagem de aparelhos celulares e falsificação de cartão de crédito. Até agora não havia nenhuma legislação punitiva para esse tipo de crime.

O novo projeto combate ainda a divulgação e distribuição de fotos pornográficas de crianças e adolescentes, além da criação de vírus de computador. Eu acho, particularmente, que já era hora de uma legislação dessas – que está em ensaio desde 1999 – aportar no Brasil. Só uma coisa me deixou meio triste: Não parece haver qualquer emenda ao projeto que esteja tratando especificamente de um dos maiores males da sociedade digital: O SPAM. Será que vai ficar pra uma próxima vez?

em Etc | 160 Palavras

Google no IRC?

Em 1996, quando eu entrei na Internet pela primeira vez, utilizava muito um protocolo chamado IRC (Internet Relay Chat), apropriado para bater papo on-line. Foi uma febre pra mim, já que programas como o mIRC eram muito melhores (e ainda o são) do que qualquer sala de bate-papo existente por aí, via browser.

Bom, essa história aí foi só pra dizer que descobri uma coisa hoje que me deixou abismado: Aparentemente o Google anda fazendo experiências ultimamente, e resolveu começar a indexar salas de bate-papo, além de tudo o que já cadastra em seus bancos de dados. Se as coisas no IRC continuam as mesmas, isto é, tudo lá pode ser considerado como altamente particular, eu imagino o que é que andará sendo computado como resultado de buscas daqui a algum tempo…

Medo.

em Etc | 135 Palavras

PVR Brasileiro

A Sky anunciou esta semana o lançamento de seu novo decodificador, batizado de Sky+, que é o primeiro exemplar nacional de um PVR, ou Personal Video Recorder. Para aqueles que eventualmente não ouviram (ainda) falar sobre esta tecnologia, trata-se de um decodificador turbinado, com funções extras que imitam as de um computador pessoal, e que permitem, entre outras coisas, que o usuário monte por si mesmo sua grade de programação, e que armazene digitalmente (em outras palavras, que grave) os programas que acha mais interessantes.

Quando eu comecei a ouvir o burburinho a respeito dos PVRs, fiquei conhecendo o TiVo, o primeiro da série, pelo que me consta até agora. Como se trata de um aparelho lançado nos EUA, então fiquei literalmente chupando os dedos, visto que não poderia utilizar os recursos de gravação inteligente, entre outros. Gravação Inteligente significa que o sistema pode aprender quais são os gostos do usuário e realizar gravações de várias horas (entre 35 e 80 horas de programação podem ser guardadas, no caso do TiVo). Ah, e você também pode pausar programas ao vivo por até 30 minutos.

Voltando a comentar sobre o Sky+, começam as diferenças: O aparelho, como qualquer novidade que se preze, ainda é diversão para poucos: Enquanto o modelo básico de um TiVo americano sai por US$ 199, o aparelho da Sky, nesta primeira leva, importado, custará R$ 1499, e o assinante pagará R$ 19,90 extras pela assinatura básica. Espero, sinceramente, duas coisas: Primeiro que o preço baixe, o que, segundo a reportagem, deve acontecer ainda este ano, depois que os equipamentos começarem a ser produzidos no Brasil. Depois, que outras operadoras façam como suas matrizes americanas, e tragam logo o serviço pra cá… Sensação de água na boca…

em Etc | 308 Palavras

Despesa Felina

Gato recebe cobrança de TV a cabo

Uma história assim é digna da seção Fala Sério, não é mesmo? Pois bem, aconteceu na Alemanha, quando Maxi, um simpático bichano que, segundo seu dono, adora assistir filmes onde animais são os atores principais, recebeu uma carta da operadora de cabo local exigindo que ele pagasse pela licença referente a um aparelho de televisão e um rádio.

Seu dono já disse que não vai pagar um tostão. Por sua vez, a companhia de televisão disse que eles mandam tantas cartas para lembrar dos vencimentos das licenças que, de vez em quando, cartas se misturam, e isso faz com que gatos, cães e outros animais recebam cartas em seus nomes. De qualquer forma é muito estranho: Qual foi o país onde – até hoje – já se ouviu falar de bichinhos de estimação cadastrados no sistema de endereçamento postal? Fala sério!!

em Etc | 164 Palavras

Kaya

Você conhece a modelo ao lado? Não? Tudo bem, ela não está entre figuras hors concour do mundo da moda, como Gisele B¼ndchen e companhia. Pra falar a verdade, eu só passei a conhecê-la, como você, agora. Esta é Kaya, modelo que possui sardas no rosto e boca carnuda, e um toque a mais: Esta boina na cabeça. E o que ela tem demais?

Bem, trata-se de uma criação nacional. E é isso mesmo, o termo é este: Criação. Kaya é a primeira modelo virtual brasileira, criação do artista gráfico Alceu Baptistão, que levou um ano e meio trabalhando em sua criatura. Ele inclusive confessa que a adição da boina na cabeça foi uma forma de diminuir seu trabalho. Assim ele não precisou projetar os cabelos da moça, que, na área de computação gráfica são muito difíceis de animar. O nome Kaya é uma mistura de nomes: Seu filho recém-nascido Caio, e o software que Alceu utilizou para projetar 100% da moça virtual, Maya (lembrei do meu amigo Fábio, agora, um aficcionado por este programa).

Kaya está em destaque na exposição Perfectly Real: Women in Bits and Bytes, em Londres, e está fazendo com que todos se apaixonem por ela. Realmente é, em minha opinião, um trabalho muito interessante e de destaque, primeiro porquê os traços, após todo este tempo de trabalho, são – em minha opinião – perfeitos. Segundo porquê se trata de um produto 100% nacional. Ponto para os artistas da computação gráfica, ramo da minha profissão pelo qual eu sempre fui apaixonado, mas que eu acredito não levar o menor jeito para exercer… Fico na admiração, mesmo…

em Etc | 294 Palavras