Macacos Dançarinos

Dancing Monkeys é o nome de um projeto muito interessante, desenvolvido por Karl O’Keeffe, com o intuito de gerar, automaticamente, step files que podem ser diretamente usadas por simuladores de Dance Dance Revolution, como é o caso do StepMania. Se você não sabe o que são step files, eu explico: É lá que ficam marcados os passos que devem ser dados pelos jogadores de DDR, quando dançam uma música.

O que há de interessante sobre Dancing Monkeys, além do fato de ser um programa gratuito? Originalmente, tratou-se de um trabalho de graduação do autor, e foi codificado todo em MatLab, sendo que nesta versão, é mais rápido que o executável stand-alone, criado logo em seguida. Como eu trabalho (ainda superficialmente, mas me aprofundando) com MatLab, achei a idéia genial: Basta você informar um arquivo MP3, e pronto: O programa o analisa, converte, reduz e associa os passos necessários para os três níveis de dificuldade, automaticamente.

Atenção, no entanto, se você espera interfaces gráficas fabulosas: Elas não existem, e o stand-alone deve ser rodado do prompt do MS-DOS. Um arquivo MP3 de 2,5 Mb, por exemplo, leva cerca de 8 minutos sendo processado. Só confirma o que O’Keeffe menciona, pois já alerta sobre esse fato em seu site: Isso não tira, no entanto, o brilho do programa, que permite o mapeamento de músicas brasileiras para o StepMania sem demora… Genial.

em Etc | 241 Palavras

Trinta e Nove

Na sexta-feira passada acabei tendo que voltar pra casa do trabalho, com uma baita amidalite bacteriana (bom, pelo menos foi esse o nome que a médica da fábrica deu) que me atacou de uma hora pra outra. Por conta dessa amidalite, passei meu final de semana inteiro à base de antibiótico, descongestionante, antipirético e banho frio, tudo por conta da febre, que chegou a trinta e nove e meio.

No entanto, aparentemente, o tratamento está dando certo. Me deixem passar, gente: Estou praticamente pronto pra outra

em Sem categoria | 90 Palavras

Mods que você não vê todo dia…

O que se pode fazer quando se acha que a aparência do seu X-Box está um pouco monótona demais? Ora, faça igual a esse cara aqui, e pronto

em Etc | 31 Palavras

Prata da Casa?

Kori Robin Brown, 31 anos, tinha o emprego dos sonhos de muita gente por aí, inclusive de muita gente que eu conheço. Brown era assistente administrativa da divisão de games e console do Xbox, o video-game da empresa de Bill Gates.

Eu usei o tempo passado porquê ela cometeu um crime, pelo qual está pagando com sua demissão sumária e imediata: Ela roubou US$ 6 milhões em softwares da Microsoft, e por isso foi condenada a 17 meses de prisão.

Ela pedia programas que seriam supostamente usados para fins corporativos. No entanto, Brown os vendia para lucro pessoal.

Isso me lembra tantos casos similares aqui mesmo, no nosso Brasil… bom, malandragem não é exclusividade nossa, não é mesmo?

em Etc | 121 Palavras

Rapidinhas

I. Silvia Abravanel, uma das filhas de Silvio Santos, disse a um programa de TV que seu pai já teria deixado pronto seu testamento, o qual estaria dividindo R$ 1,2 bilhão entre 11 pessoas: sua esposa, seis filhas e quatro irmãos. De tanto ver Silvio Santos na TV, e sabendo de muitas das coisas que este homem realizou em sua vida, através da leitura de sua biografia, feita pelo jornalista Arlindo Silva, eu tinha mesmo uma certa curiosidade, com relação ao valor da fortuna que ele conseguiu juntar durante toda sua vida. Obviamente, trata-se de um valor declarado pela filha – não se sabe o quanto ele possa ter de real -, mas já mexe com o imaginário popular, não é?

II. Assistir a partidas de futebol nunca foi mesmo o meu forte… Apesar de eu ser são-paulino, há tempos não posso me considerar um torcedor roxo, porquê nem a escalação do time principal eu sei mais, como eu sabia antes, nos idos anos de 1989 a 1994. Entretanto, para isso tenho uma teoria: Todo jogo do São Paulo que eu decido assistir, ele perde. Não poderia ser diferente ontem, contra o River Plate. Três a um, em um jogo que eu nem ia ver, hehehehe. Não foi desta vez, então, que a sina do São Paulo contra times argentinos foi por água abaixo: Meu time nunca ganhou de um time argentino, em território argentino. Quem sabe da próxima vez…

em Etc | 253 Palavras

Imaginem…

O departamento de polícia do condado americano de East Point possui um site na Internet. Grande coisa, vocês podem pensar, visto que muitos outros departamentos de polícia, sejam eles americanos ou não, também possuem sites assim. Mas, nenhum site policial jamais teve o que eles oferecem: Um formulário que permite que o próprio cidadão efetue sua prisão, poupando, assim, tempo para que os policiais não precisem abrir investigações sem necessidade.

O funcionamento da coisa é muito simples: Você preenche seus dados pessoais, endereço e qual foi seu crime (já adiantando se você se considera ou não culpado), e pronto: Aguarda em casa até que um policial chegue para levá-lo à prisão. Como o cadastro é feito no site, não é necessário imprimir nada Bom… Tudo isso é apenas uma brincadeira, como você já deve ter percebido. Mas parem pra pensar um minuto: Já pensou se esse fosse mesmo um modelo funcional? Aqui no Brasil, certamente, não daria certo, não é mesmo?

em Etc | 175 Palavras

Ninguém que eu conheça

Pense no seguinte cenário: Você faz uma compra corriqueira com seu cartão de crédito, em uma loja qualquer. Participa, automaticamente, daquelas promoções temporãs que promovem a Visa, ou o Mastercard, do tipo que dão prêmios de R$ 20 mil pra que você possa gastar a vontade, comprando o que quiser, em um tempo limitado. Obviamente, sem que seja necessário que eu pergunte isso a vocês, seria o sonho de muita gente, não é verdade?

Uma mulher espanhola, no entanto, pensa de forma oposta à maioria dos mortais: Ela recusou um prêmio que havia ganho em um shopping center, através de um concurso que foi promovido por cerca de 600 lojas, dando-lhe o direito de gastar 6000 euros (cerca de US$ 7 mil) em uma maratona de compras com no máximo 3 horas de duração. O motivo que ela deu? Estava muito ocupada para receber o prêmio.

Sinceramente, se este prêmio ainda estiver disponível, eu quero ele pra mim…

em Etc | 169 Palavras

Mais um, mais um…

CSS Creator, mais um site onde se pode criar, automaticamente, um layout tableless para seu site… (via Madville).

Será que este é bom?

em Etc | 22 Palavras

Jukebox Cerebral

Algumas pessoas que eu conheço dizem que, quando você acorda de manhã, a primeira música que escuta fica na sua cabeça… Possivelmente, seja algum tipo de manifestação relacionado a um parasita da música, ou algo assim. O fato é que hoje de manhã eu me peguei cantando Just Another Night, do Mick Jagger, possivelmente influenciado pelo fato de que foi a primeira música que escutei no rádio do carro…

Agora a música não sai da minha cabeça, e por isso eu levanto a seguinte questão: Qual foi a música – independente de você gostar dela ou não – que mais ficou presa na sua memória?

em Etc | 118 Palavras

Beber até cair… morto?

Os russos sempre tiveram a fama de beber para todas as ocasiões possíveis. Por isso, não é de se estranhar que em uma das cidades do sul daquele país seja realizada uma competição que almeja eleger quem é o maior bebedor de vodka da região. Várias pessoas se reúnem para o evento, sempre dispostas a beber até cair. Mas e se de repente uma delas levar isso muito a sério?

O vencedor da competição caiu morto praticamente logo após vencer o páreo. Embora seu nome não tenha sido revelado pela imprensa, sabe-se que ele tomou três garrafas de meio litro da bebida, em uma disputa que durou entre 30 e 40 minutos. Após anunciada sua vitória, foi levado de táxi pra casa, mas não resistiu e morreu 20 minutos depois…

O dono da loja onde o concurso estava sendo realizado foi acusado de homicídio: Segundo a reportagem, ele ofereceu 10 litros de vodka ao competidor que bebesse mais em menos tempo. Outros cinco competidores foram parar na UTI, provavelmente devido a coma alcóolico. Ainda segundo a nota que eu li, os russos bebem, em média, 15 litros de vodka pura por cabeça, todos os anos. Esse cara não teve sorte: Pode ter-se somado às estatísticas de que um entre cada sete russos são alcóolatras, ou podia estar num dia ruim, mesmo…

em Etc | 241 Palavras

Sem WWW

E agora fiquei sabendo através do MeFi que um grupo de pessoas decidiu organizar um protesto contra a colocação de www na frente dos endereços web. Este grupo de pessoas conta, inclusive, com um site na web, cujo endereço, obviamente, não possui o prefixo. Esse tipo de iniciativa pode causar muita discussão, se pararmos para pensar a respeito.

Quero dizer, quantos de vocês digitam endereços iniciados por www? Particularmente, eu me vejo dividido entre fazer isso e não fazê-lo. Na maior parte das vezes, eu acabo deixando as três letrinhas de lado, mas, se analisarmos friamente a coisa, existe pelo menos uma utilidade para o prefixo, que é indicar que tipo de serviço será acessado por um usuário, caso digite um endereço via navegador. Por exemplo, poderia haver www.servidor.com para um serviço HTTP, ftp.servidor.com para um serviço FTP, mail.servidor.com para o servidor de e-mail, e assim por diante. Quero dizer que, como a maioria dos que aqui comentaram, concordo com uma coisa: Remover o www dos endereços é precipitado. O que precisa haver é o suporte para ambos os formatos: Assim, quem quiser, digita. Quem não quiser, deixa de fora, não é?

Ah, só mais uma coisa… eu não sabia, mas os americanos pronunciam http:// como hitty-ping. A gente nunca pára de aprender…

em Etc | 236 Palavras

Tudo por um Recorde

Eu já ouvi falar de muitos recordes malucos que estão inscritos no Guiness, mas o melhor mesmo é ver a que ponto chegam as loucuras cometidas pelas pessoas para que possam ver seus próprios nomes figurando entre as páginas do livro. C Manoharan, um jovem indiano desempregado, é o mais novo autor de uma dessas loucuras.

Treinando por mais de um ano a fio, Manoharan conseguiu o que parecia ser improvável: Superar o recorde mundial de minhocas engolidas. Para que vocês tenham uma idéia do fundamento deste post, eu avisei que muitas das coisas que o Guiness registra são malucas, assim como os que figuram no livro. Sendo assim, existe mesmo um recorde mundial para uma coisa dessas. Anteriormente, ele era do americano Mark Hogg, que havia engolido 94 minhocas em 30 segundos.

O indiano, de olho na chance de escrever seu próprio nome na história, não deixou barato: Ultrapassou em muito a marca anterior, engolindo 200 minhocas vivas em 20 segundos, cada uma delas com cerca de 10 centímetros de comprimento. Além de ter assegurado seu feito, me fez pensar naquele (extinto) programa global, o Hipertensão, onde participantes se acotovelavam para ganhar dinheiro vivo em provas como engolir essas mesmas minhocas, ou serem trancados em caixas com insetos. Pelo visto, pra este indiano, isso seria coisa de criança

em Etc | 226 Palavras

Para um grande amigo meu

Você sabe que é com você que estou falando: Apesar da recente barra que você teve que segurar, e sabendo que apenas o tempo será capaz de curar sua tristeza, fechando a última porta, saiba que poderá sempre contar comigo, e com todos os amigos que você conquistou. Sempre que precisar. Em qualquer momento de sua vida.

É bom vê-lo se reiterando, aos poucos. Deixo-lhe esta mensagem, sabendo e ficando na esperança de que você retorne a seu estado habitual, cheio de alegria, e que contagia todos ao seu redor, o mais brevemente possível. Um forte abraço de um amigo que sempre estará ao seu lado.

em Sem categoria | 108 Palavras

Nas Trevas Digitais

Quarenta e sete minutos. Este foi o tempo durante o qual um atendente da Telefônica ficou comigo na linha ontem à tarde, tentando descobrir o porquê de minha conexão Speedy (em sua versão 2.0, a mais antiga, aquela sem propaganda enganosa) ter sido desconfigurada. Isso sem contar o tempo que passei com outro desses atendentes, durante a parte da manhã, ontem também, quando o diagnóstico (mais rápido e menos eficiente) teria sido o de que minha placa de rede estaria queimada. Detalhe: A minha placa vai muito bem, obrigado, e, como depois de quase uma hora nada foi solucionado, estou esperando uma visita técnica para algum momento entre hoje e amanhã – as 48 horas que a Telefônica pede como prazo para que seus serviços técnicos sejam executados.

Como esta não é a primeira vez que isso me acontece (que fique bem claro: A Telefônica possui um suporte técnico de qualidade – ao menos eu nunca tive qualquer problema com ele, e o fato de ontem de manhã um diagnóstico errado ter sido feito deve ter sido porquê era domingo: Pense bem, e coloque-se no lugar de um atendente de suporte técnico, e veja como seria legal trabalhar num domingo), cá estou eu: sem computador, e imerso em trevas digitais, sem poder ter alcance a qualquer informação nova em tempo real. Quando a Internet ainda não tinha se popularizado, sentia algo parecido quando acabava a energia e eu me via sem poder assistir à TV. Agora, sem Internet, a coisa é um pouco pior. Não posso ler as notícias, não posso saber das notícias, e ainda, não posso blogar, pelo menos não tranquilamente, como eu o faria.

Estas 48 horas de espera (que, mais uma vez quero deixar bem claro, são normalmente menos de 24 delas) só não serão piores devido a um motivo bem simples: Tenho excelentes acompanhantes enquanto eu precisar ficar off-line. Enquanto isso, a gente vai se virando pra colocar posts on-line, né? Até já, quando retornarei da escuridão

Update: às 15h20 da tarde fui informado de que o técnico da Telefônica já saiu de casa – Está tudo normal, e as trevas se foram: Eu sou muito bem-vindo novamente ao mundo on-line

em Etc | 390 Palavras

Só na Ficção?

Aqueles que, como eu, já leram as histórias de Harry Potter, o menino-bruxo que estuda em Hogwarts, fenômeno criado pela escritora J.K.Rowling, sabem que ele é um produto da ficção, invenção da imaginação de uma pessoa. Por isso não é de se espantar que, na história, logo no primeiro livro, o personagem seja apresentado como alguém que dorme no armário embaixo da escada. Os seus tios, cruéis, o fazem dormir ali por saberem que há algo de diferente com ele, e, conforme Harry ganha novos poderes e os entende, faz com que a situação mude, passando a ocupar um quarto normal. O desenvolvimento da trama é, nesta situação, muito divertido…

Quando coisas como estas acontecem na vida real, no entanto, não são nada divertidas. Não há gente dormindo em armários embaixo da escada, no entanto. É muito pior. No Quênia, um rapaz de 18 anos foi descoberto na região central, apresentando machucados, arranhões e outros sinais de maus tratos recebidos de sua madrasta, que o forçou a dormir em um galinheiro por dezoito anos seguidos! O fato foi confirmado por seu meio-irmão, e pela vizinhança, que disse que a madrasta do rapaz – que sofre com problemas mentais – apresenta mesmo traços de crueldade, sendo evitada pelo vilarejo onde moram.

Triste.

em Etc | 231 Palavras

Atônito

É só o que eu posso dizer para descrever como fiquei, assim que li uma nota da Agência Estado, onde noticiava-se que uma garota de 13 anos era responsável por comandar um prostíbulo na Bahia. A menor, identificada como L., disse que, se fecharem seu prostíbulo, abrirá um outro, porquê gosta do que faz. Ela comandava um grupo de mais 12 meninas, com idades entre 11 e 16 anos.

Entre os clientes das meninas, podiam-se achar empresários, caminhoneiros, e até mesmo policiais. Cada programa saía por um preço que podia variar entre R$ 20 e R$ 100. Com tanta coisa ruim que se vê na TV, ainda nos deparamos com notícias como esta, que, apesar de desviar-se um pouco do rumo rotineiro das demais, que tratam quase que 100% do tempo sobre violência e criminalidade, nos choca por apresentar o que é a situação em que a sociedade brasileira se encontra. Uma pouca vergonha. As famílias de baixa renda, desamparadas pelo governo, acabam tendo suas estruturas – já tão fragilizadas, ainda mais destruídas. E o pior: Hoje, ou amanhã, casos como esse tendem a ser esquecidos.

Quando é que as coisas nesse país vão mudar? Isso me revolta.

em Etc | 203 Palavras