Trânsito Caótico? É o MIRT!

Quando você está voltando pra casa, do trabalho, se depara com aquela fila enorme de carros na sua frente, todos disputando um espacinho para avançar em um enorme congestionamento? O semáforo parece fechar rápido demais e você gostaria que isso não fosse assim? Pois seus problemas acabaram!! Bom, pelo menos os problemas dos motoristas do estado americano de Michigan.

É que por lá foi inventado um dispositivo que, custando apenas US$ 300, pode permitir ao motorista que mude a cor da luz do semáforo. Parece coisa de filme de comédia, mas não é: Os policiais locais estão preocupados com a coisa, um gadget vendido pela Internet, e sobre o qual as leis do estado não possuem efeito, visto que os sinais de comando que alteram o semáforo são enviados por luz infravermelha, contra a qual nada pode ser feito legalmente.

Batizado de MIRT, o que em inglês é a sigla para Transmissor Infravermelho Móvel, o invento tem tudo para se tornar popular. Mas imagino que, caso seja usado em massa, como já alerta a reportagem, possa causar um transtorno ainda maior do que um congestionamento. Já imaginaram uma caixinha dessas em carros brasileiros?

em Etc | 202 Palavras

Alerta

EUA desenvolvem vírus letal

O vírus, desenvolvido por Mark Buller, com fundos fornecidos pelo governo americano, é um parente próximo do vírus da catapora, que, testado em ratos, matou todos eles: Mesmo os que tinham recebido doses de remédios anti-vírus, e os que tinham sido vacinados. De acordo com a nota da New Scientist, o pesquisador diz que seus estudos visam antecipar os movimentos e conhecer os problemas que podem ser causados por bioterroristas.

E a pesquisa não parou por aí: Diversas variedades de vírus similares tiveram suas propriedades genéticas alteradas, e estão prestes a ser testadas em animais. De acordo com o pesquisador, apenas os ratos deveriam ser afetados, e morrer.

Sinceramente, este tipo de coisa me deixa indignado. Primeiro, com relação aos animais, visto que é uma crueldade com eles. Os críticos dizem que esta pesquisa é arriscada e desnecessária, e daí vem o segundo ponto de indignação: Pra que fazer uma coisa dessas? E se um vírus desse se espalha acidentalmente por aí?

em Etc | 178 Palavras

McInternet

Conforme eu disse antes, o McDonald’s continua na sua empreitada para levar acesso à Internet a todas as suas lanchonetes brasileiras. Projeto piloto em algumas lojas de São Paulo e do Rio, agora a empresa está se juntando à Hewlett-Packard, e estas à AOL e ao Banco Itaú, em uma iniciativa que, de acordo com o representante comercial do McDonald’s para o Brasil, Marcel Fleischmann, fará com que a rede de lanchonetes se torne sinônimo de Internet no país.

Durante os próximos cinco anos, as quatro empresas planejam investir cerca de US$ 20 milhões na iniciativa, exatamente começando agora, em um momento em que as vendas no Brasil não andam muito bem para o McDonald’s. A esperança é a de os computadores, que, como já havia sido divulgado, serão em média quatro por loja, mudem este cenário, fazendo com que o público tenha mais acesso à web.

Particularmente, acho que a coisa não vai pegar por aqui, pelo menos tanto quanto o McDonald’s espera… Imaginem a confusão que não será tantas pessoas nas lanchonetes se esbarrando para conseguir navegar por quanto tempo, 5, 10 minutos? E ainda por cima correndo o risco de encharcar os teclados com molho barbecue? Como aqui em São José a coisa ainda não chegou, melhor esperar pra ver in loco antes de falar mais alguma coisa, não é?

em Etc | 236 Palavras

Tão perto…

Essa é pra vocês verem que nós estamos mais perto do fogo do que parece: Os cientistas avisaram esta semana que a superfície do sol pode sofrer uma erupção solar, a exemplo do que já aconteceu na semana passada, ainda hoje. Se isso acontecer, chamas solares serão lançadas em direção ao nosso planeta, viajando a uma velocidade de mais de um milhão de milhas por hora, e batendo de frente com o campo eletromagnético da Terra.

Assustador, não é? Chega a te lembrar daquele filme com Bruce Willis? Mas calma, não é pra tanto, pelo menos no que diz respeito aos seres humanos, para quem tais explosões solares provenientes de erupções como estas são inofensivas. O maior problema de chamas deste tipo é que elas afetam as comunicações em nosso planeta. A explosão da semana passada, segundo li, menor do que a que se espera para hoje, chegou a tirar do ar as comunicações das empresas aéreas por alguns instantes. Esta semana espera-se que alguns satélites entrem em colapso momentâneo.

Como se vê, apesar de serem inofensivas às pessoas, as chamas causam um trabalho enorme, pois sem comunicação, nada se faz. Assim sendo, é torcer pra que essas erupções solares não sejam uma constante. Ah, sim… quer ver uma foto de uma dessas erupções?

em Etc | 234 Palavras

Tinta Condutora?

Quando você leva os filhos ao McDonald’s australiano e lhes compra um lanche, recebe um brinquedo pra eles, juntamente com uma bandeja, onde está desenhado um labirinto, à tinta. Até aí, esse tipo de coisa é normal, porquê também acontece aqui no Brasil, correto? Bom, as semelhanças param por aí, pois quando os seus filhos conduzem o brinquedo pelo labirinto da bandeja, as luzes dele se acendem.

Uma outra situação muito interessante: Você está em casa jogando Detetive, com um tabuleiro inteligente, que pode determinar automaticamente onde as peças estão, emitindo efeitos sonoros e música durante uma partida. Isso sem falar em medicamentos cujas caixas fazem a leitura automática da bula para os pacientes, principalmente no sentido de auxiliar os mais idosos.

Parece sonho demais pra você, qualquer uma dessas coisas? Pois não é. Em Nova Iorque, uma empresa chamada T-Ink parece ter conseguido o impossível: Criaram uma tinta especial condutora de eletricidade, que poderá substituir cablagens, placas de circuito e baterias. Todas estas coisas serão desenhadas com a tinta. Andrew Ferber, vice-presidente da empresa, é visionário à respeito do assunto: O que a empresa quer é um papel impresso que possa conversar, e ele imagina jornais impressos que contenham alto-falantes para a leitura de notícias, circuitos de transmissão, entre outras coisas.

Imaginem se essa tinta fosse colocada em canetas comuns? A quantidade de aplicações, desde as mais triviais até as mais avançadas, seria ilimitada, virtualmente Quem sabe isso não barateia o custo de produção de eletrônicos, e torna as coisas mais acessíveis, inclusive no campo dos computadores e internet? É só dar tempo ao tempo, não é verdade?

em Etc | 283 Palavras

Karaokê Erótico

Esta aqui eu vi no blog do CrisDias. Acontece que na Alemanha a mais nova mania é o karaokê. Até aí, nada de mais, não é mesmo? Acontece que este é um karaokê diferente, já que é pornográfico. Pelo menos, é assim que a nota do Yahoo! o define.

A coisa consiste no seguinte: Dois casais se posicionam em frente à uma máquina igual às máquinas de karaokê convencionais. Mas acontece que, ao invés de cantarem, os casais assistem à um filme pornográfico sem som, e precisam fazer as falas do filme. Enquanto isso, a torcida fica em volta, só na espera pra fazer o julgamento de quem foi que mais convenceu na performance.

Se a moda pega…

em Etc | 120 Palavras

Será mesmo?

Spam nos EUA vai custar um ano na cadeia e multa de US$ 1 milhão

O senado americano aprovou ontem uma lei anti-spam – a primeira ação do governo contra as mensagens de e-mail indesejadas, que promovem produtos enganadores, correntes sem sentido e pornografia, entre outras coisas. O principal problema com relação a estas mensagens é que você não as solicita, e, mesmo assim – obviamente – elas chegam ao seu endereço de e-mail, disfarçadamente, como se você houvesse solicitado alguma informação e estivesse recebendo uma resposta.

Esta praga virtual incomoda muita gente – inclusive a você e a mim, tenho certeza. Apesar de estar usando um programa de e-mail muito bom, e que conta com filtro anti-spam, é impossível que eu não receba ao menos 2 ou 3 destas mensagens-lixo por dia. Quando li a notícia na Folha On-line, fiquei imaginando que, ao menos no que depender da força de vontade dos americanos, a lei tem tudo pra funcionar. A votação foi esmagadora, e a lei foi aprovada por 97 a 0. “Para os senadores, se nada fosse feito em relação ao spam, ele poderia vir a se tornar uma grande preocupação e inundar as contas de e-mail dos internautas”.

Acontece que o spam já inunda nossas contas, visto que ele representa praticamente 50% do tráfego de e-mails na rede hoje em dia. A exemplo do que foi feito há algum tempo atrás com relação a ligações de telemarketing, haverá uma lista onde os americanos cadastrarão seus nomes, caso não queiram receber mensagens indesejadas. Os infratores, que mesmo assim inundarem as caixas de entrada destas pessoas, podem pegar até um ano de prisão e pagar multas de até US$ 1 milhão.

Será que funcionará?

em Etc | 298 Palavras

No Fundo do Mar

Aparentemente, a nova mania entre os milionários, ou entre aqueles que possuem dinheiro sobrando, não é comprar um iate, ou uma Ferrari. Nem uma mansão. Acontece que uma empresa britânica chamada Subeo desenvolveu o primeiro submarino particular do qual se tem notícia, e está agora oferecendo o veículo comercialmente. Pela bagatela de US$ 840 mil pode-se levar pra casa o submarino esportivo Gemini,que alcança a incrível velocidade de cinco nós – o que equivale a pouco mais de 9 km/h. Além disso, o veículo submarino pode levar 3 pessoas, ficar submerso por até três dias, e alcançar a profundidade de 50 metros abaixo do nível do mar.

De acordo com o inventor do submarino, o inglês Robert Leeds, já houveram diversas ligações de pessoas ricas do Oriente Médio interessadas na invenção, embora ninguém de outras partes do mundo tenha ligado ainda. Sinceramente, pra adquirir uma coisa dessas, tem mesmo que ter muito dinheiro sobrando, não é mesmo?

em Etc | 173 Palavras

Quer pagar com o telefone?

Pode parecer coisa de filme de ficção científica, mas eu lhe asseguro que não é. Na Coréia do Sul a tecnologia em telefonia celular já chegou tão longe que agora é possível fazer de tudo com os aparelhos vendidos lá. Quando eu digo de tudo é porquê, após ler uma reportagem na Internet me dei conta disso. A utilização de um celular por lá não é como a que damos ao aparelho aqui – um mero dispositivo usado para se conversar com outras pessoas: Para uma população de 48 milhões de habitantes, a Coréia conta com 33,2 milhões de aparelhos celulares, e estes são usados para as mais variadas finalidades, entre elas transferir dinheiro, reservar passagens aéreas ou comprar ingressos de cinema.

Agora, o mais interessante é que os últimos esforços do país para se tornar uma referência em tecnologia telefônica celular envolveram a participação da maioria dos bancos coreanos, das três maiores companhias telefônicas e das grandes operadoras de cartões de crédito do país, o que culminou em permitir que os coreanos paguem de tudo – de verduras a gasolina – pela utilização de um aparelho celular.

Isso significa parar de pensar em cartões de crédito e débito da forma como os conhecemos hoje: Agora eles estão embutidos no celular. Aponte seu telefone para um sensor especial, digite sua senha e pronto, compre um jornal, um refrigerante, ou pague sua pizza. Pra mim, que adoro toda essa parafernália tecnológica, seria o bliss. Digo isso porquê associo logo essa idéia a estar em frente a uma TV e, com a mesma facilidade que uso o controle remoto para trocar de canal, fazer os pagamentos das minhas contas.

O celular coreano pode realizar tanto operações de débito (como é o caso do que acontece no Brasil com o Cheque Eletrônico ou com o Visa Electron) quanto de crédito. Se o usuário perder o aparelho, ou se for assaltado, uma simples ligação bloqueia o celular, como acontece com a perda de um cartão de crédito convencional. Em outras palavras, um invento perfeito, principalmente para os coreanos que adoram tanto seus aparelhos celulares, e que os usam tão freneticamente.

Mas, deixo-lhes a pergunta: Fatalmente, coisas deste tipo irão aportar por aqui, mesmo que ainda leve alguns anos. A questão é justamente à respeito disso: Será que os brasileiros já estão em um nível culturalmente compatível para que seus celulares funcionem desta maneira?

em Etc | 437 Palavras

Telefonia de pernas pro ar?

Os criadores do Kazaa podem acabar trazendo dor de cabeça agora não somente para os donos de gravadoras, mas sim para os operadores de telefonia. É que eles estão falando em disponibilizar para a massa de usuários da Internet um programa que permita realizar ligações telefônicas on-line, com qualidade de som superior à de uma ligação comum, e o melhor: gratuitamente

O programa já existe: Se chama Skype, e já tem muita gente nos Estados Unidos que está aprovando – e utilizando – a novidade. Na verdade a estimativa é de que cerca de um milhão de usuários já possuam a ferramenta instalada em seus computadores. O Skype se utiliza de uma tecnologia chamada VoIP, ou voz por IP, que praticamente converte qualquer computador pessoal em um telefone convencional. Há somente uma desvantagem: Ambos os usuários que participarão de uma conversa precisarão possuir o programa, e uma conexão de banda larga.

Alguém topa experimentar essa novidade comigo?

em Etc | 169 Palavras

Não mexa com o River Raid!

Através do Blogdex encontrei um artigo interessante que mostra o que acontece quando crianças nascidas na era do Playstation são colocadas frente à frente com jogos que foram jogados por seus pais. A revista Electronic Gaming Monthly resolveu fazer a prova, e convidou 9 crianças com idades entre 10 e 13 anos para participar. O resultado foi que todos eles fizeram um milhão de críticas a respeito dos clássicos do video-game.

Os jogos testados foram Pong (1975), Donkey Kong (1981), Tetris (198, Space Invaders (197, entre outros. Todos os jogos realmente foram muito criticados: As crianças queriam gráficos 3D, movimentos e sons que dissessem alguma coisa à elas. Obviamente não há como elas perceberem a magia que havia em se jogar todos estes jogos à sua época. Na verdade, no meu caso, só não faço uma reclamação maior porquê ninguém mexeu com River Raid ou Pitfall, por exemplo. O que dizer das tardes inteiras jogando Megamania, ou fazendo campeonatos de Pac-Man no prédio onde eu morei?

É uma nostalgia e tanto ficar lembrando disso, mas eu acho que me diverti muito mais do que conseguiria hoje com um Playstation quando ia jogar Rally-X nas máquinas de fliperama. Acho que de duas uma: Ou eu estou ficando velho, ou a magia de se jogar video-game está se perdendo. Talvez ambos

em Etc | 227 Palavras

Cérebro Pianista

Se você gostaria de tocar piano, mas teve esse sonho frustrado por algum profesor de música que insistiu com você que são necessários anos de prática para se tocar uma música sem olhar as próprias mãos, anime-se: Cientistas alemães comprovaram que são necessários poucos minutos para que nosso cérebro aprenda como tocar uma música no teclado. Teclados imaginários também valem – aqueles que fingimos estar tocando no ar, inclusive -, pois estimula áreas do córtex ligadas aos movimentos.

Para qualquer pessoa, um mapa cerebral ligando certos sons a determinados movimentos feitos pelas mãos é desenhado em poucos minutos. Através de estímulos feitos em estudantes de piano iniciantes, comprovou-se através de exames de eletroencéfalografia que as orientações corretas levam mesmo nosso cérebro a executar músicas com perfeição. Será esta a oportunidade que muitos Beethovens estariam esperando sem saber? Se eu me desse bem com tocar música, até que tentaria aprender piano também

em Etc | 176 Palavras

Duplo Sentido

Fazia tempo que eu não ouvia falar de um caso assim, mas agora aconteceu. A General Motors está trabalhando no processo de renomear um de seus modelos, lançado no Canadá inicialmente com o nome LaCrosse, depois de saber que na região do Quebec esta palavra é sinônimo de masturbação em francês.

Trata-se de uma gíria canadense da qual a empresa não sabia, que causou duplo sentido no nome do produto. O vice-presidente da GM, Bob Lutz, comentou com a imprensa que achava que já conhecia todas as gírias francesas existentes, depois de ter morado 3 anos em Paris, falando francês diariamente. Aparentemente, esta é uma expressão que Lutz deixou escapar…

em Etc | 118 Palavras

Semana do Saco Cheio

Eis que resolveram fazer esta semana na faculdade a Semana do Saco Cheio. O que eu acho muito interessante é que esse tipo de iniciativa nunca ganhou força na faculdade – pelo menos entre os alunos da minha sala -, visto que sempre que era cogitada, sua mecânica era quebrada por alunos que eventualmente resolviam ir à aula de qualquer jeito. Aparentemente, desta vez funcionou, combinada com maestria pelo pessoal da lista de discussão da faculdade. Digo aparentemente porquê, pelo menos até agora, não fiquei sabendo de ninguém que tenha resolvido ir à aula.

Mas existe uma coisa em particular a respeito de semanas do saco cheio. Elas deveriam ser promovidas também no trabalho. Porquê é que elas têm que ser uma exclusividade de alunos de escolas de primeiro e segundo graus e faculdades, afinal de contas? Seria tão pura e simplesmente fácil definir-se que determinado grupo de dias seriam a semana do saco cheio do trabalho que eu realmente não sei o porquê ela ainda não existe oficialmente. Talvez, segundo um amigo meu, fosse necessário que houvesse mais de uma semana dessas por ano no trabalho… mas essa é outra história. Fica registrada a sugestão, mesmo assim. Quem sabe eles não instituem isso logo e eu até uso uns desses dias? Que vocês acham da idéia?

em Etc | 231 Palavras

Indigestão

Os navatusila são bastante rigorosos em sua lei: É expressamente proibido tocar a cabeça do chefe de sua tribo, e o transgressor desta simples norma pode acabar sendo devorado pelos nativos deste povoado das Ilhas Fiji, considerado canibal. Os nativos apresentarão no próximo mês um pedido de desculpas oficial por terem devorado um missionário inglês há 136 anos atrás. Só restaram dele as botas, exibidas em um museu local até hoje.

O missionário, que apenas retirou um pente da cabeça do chefe da tribo, na época, não teve a menor chance: Foi cozido e devorado. Agora, para se retratarem, os navatusila estão convidando os decendentes da vítima para a cerimônia de desculpas, ainda sem data definida. Eu hein? Espero que a história não se repita

em Etc | 139 Palavras